30 de mai de 2009

Que tal nos amarmos?


Que tal nos amarmos
Assim, de trás pra frente?
Como se o tempo fosse
Uma lógica ora inexistente.
Ontem, nos despediremos com desprezo
Hoje, nos amamos com desejo
E amanhã, nós nos quisemos ainda em segredo.

Augusto Oliveira


(Imagem: Joseph Hancock)

2 comentários:

Jac. disse...

Eu quero amar assim...
Pra no final é que dar certo!
Tudo de trás pra frente
No ontem o desencanto
E no amanhã a paixão
A descoberta sem fim!

Beijos, amiga!

Márcia Corrêa disse...

Jac,
O poeta Augusto Oliveira é paraense radicado no Amapá. Publicou ano passado a obra "Brilho de Fogo" - nome de uma rara espécie de colibri que existe nas florestas do Amapá, mais epecificamente na Serra do Navio. O livro, assim como o colibri, é uma beleza e contém esse e outros poemas eróticos.