30 de abr de 2010

Lulih Rojanski fará noite de autógrafos no Sarau do Ponto de Cultura Largo dos Inocentes


"Olha aí o livro Abilash na revista Terra da Gente, em matéria enviada pela Escrituras Editora.
Terra da Gente tem tiragem mensal de 25 mil exemplares, com distribuição nacional, produzida pela Terra da Gente Produções, uma empresa do Grupo EPTV (TV Globo Campinas).
A autora está imensamente feliz com a publicação. Do livro e da matéria." (Lulih Rojanski)
A obra de Lulih Rojanski, Abilash, comentada na revista Terra da Gente, terá noite de autógrafos no Sarau do Ponto de Cultura Largo dos Inocentes, evento em parceria com o SESC Amapá.
Serviço:
Sarau do Ponto de Cultura Largo dos Inocentes
Parceria com o SESC Amapá
No SESC Centro
A partir das 20 horas
Shows de Aline Ataíde e da banda Afrobrasil
Exposições de Wagner Ribeiro e José Arcângelo
Homenagem do poeta Arthur Nery Marinho, pelo ator Álvaro Braga
Camisetas temáticas de Tica Lemos
Noite de autógrafo da escritora Lulih Rojanski

29 de abr de 2010

De Nós: Espetáculo de dança

Companhia de Dança Agesandro Rêgo
Espetáculo "De Nós"
Dias 31 de abril e 1º de maio
No Teatro das Bacabeiras
Às 20h30

28 de abr de 2010

Comunicação Regional e as Diversas Mídias

Arthur Nery Marinho: Mundo de angústias

Eu sou, Senhor, de todos os tristonhos,
talvez o mais tristonho e o mais calado,
pois carrego, no peito agrilhoado,
o fantasma de todos os meus sonhos.
A vida, que me dera dias risonhos,
tornou-se austera e transformou-me o fado.
Vi-me, porque sorria, condenado
a sofrer golpes rudes e medonhos.
Assim é que minh'alma, quando canta,
é tão sentida que Deus se espanta,
percebendo as angústias do seu mundo.
Eu sou, talvez, o único, na Terra,
que, após chegar ao píncaro da serra,
viu de cima as misérias que há no fundo...
(O poeta Arthur Nery Marinho será homenageado no Sarau do Ponto de Cultura Largo dos Inocentes, que acontecerá no dia 30 de abril, a partir das 20 horas, no SESC Centro)

Alcinéa Cavalcante: Homenagem ao poeta

Arthur Nery Marinho com o poeta Paulo Tarso Barros
A Confraria Tucuju vai homenagear, no sarau de sexta-feira,30, o poeta Arthur Nery Marinho (1923-2003).

Uma homenagem justíssima a este poeta, músico, jornalista e desportista que nasceu em Chaves (PA) mas aos 23 anos de idade veio para o Amapá e nunca mais saiu daqui. Cantou, tocou e escreveu as coisas desta terra como se fosse a sua terra natal.
Compadre de meus pais, Arthur Nery Marinho frequentava muito nossa casa. Lembro-me que quando eu era criança eu ficava boaquiaberta ouvido-o declamar suas poesias para minha vó Elvira Araújo.

Nossa casa tinha uma grande varanda, onde minha vó, paralítica, passava a maior parte do dia em sua cadeira de rodas rezando, cerzindo, lendo, fazendo crochê… o poeta chegava, cumprimentava-a e começava a declamar (outro que costuma fazer isso era o Cordeiro Gomes, mas em outro post eu conto). Eu corria para ouvi-lo e a poesia que eu mais gostava era Auto-Retrato, que está publicada no livro Sermão de Mágoas. Ele dava tanta vida ao poema que eu, na inocência da infância, jurava que ele tinha o corpo todo marcado de cicatrizes.

Uma das imagens que ficaram gravadas na minha retina é o poeta levantando a barra da calça ao dizer o verso “E por toda parte a perna cortada.” Eu arregalava os olhos na tentaviva de ver os golpes em sua perna e morria de pena dele. “Isso deve doer muito”, eu pensava.

Só na adolescência fui entender o Auto-Retrato do poeta.

Cresci, fiquei adulta, meus pais se separaram, morreram e meu contato com o poeta foi rareando. Mas nas poucas vezes que nos encontramos após a morte de meu pai sentia o enorme carinho que ele tinha por mim e isso me fazia muito feliz.

Poucas vezes estive na casa dele. Era uma casinha tão aconchegante, na rua mais tranquila do bairro Jacaré-acanga, bem na frente de uma pracinha. Pensava com meus botões: todo poeta deveria morar num lugar assim, onde há paz, verde, crianças jogando bola, gente enamorada e canto de passarinhos. Uma das vezes que estive lá foi para convidá-lo a sair na escola de samba Unidos do Buritizal, em 1992, cujo enredo era “Alcy Araújo – o poeta do cais”. Fazia pouco tempo que Arthur tinha passado por uma delicada cirurgia na cabeça. Mas mesmo assim ele topou. Enfrentou o desafio de ir para a avenida, sambar em homenagem ao compadre, na comissão de frente da escola que estreava no carnaval. E estreou em alto estilo: foi a vice-campeã.

Outras vezes encontrei com ele embaixo da mangueira da Sead. Ele costumava dar uma paradinha ali quando ia falar com os secretários de Estado em busca de apoio para a publicação do livro “Sermão de Mágoa”. E foi ali, embaixo daquela mangueira, numa manhã de sol bochechudo e céu azulzinho de 1993, que ele me deu a boa notícia: finalmente Sermão de Mágoa ia ser publicado. Já estava no prelo. Vibrei. E foi também embaixo da mangueira que ele me deu um exemplar do livro tão logo saiu da gráfica, antes do lançamento.

O poeta Arthur Nery Marinho faz parte da primeira geração dos modernos poetas do Amapá.

Nascido em Chaves (PA), em 27 de setembro de 1923, veio para o Amapá em 1946. Ao lado de Alcy Araújo Cavalcante, Álvaro da Cunha, Aluízio Cunha e Ivo Torres, Arthur desenvolveu importantes projetos culturais.

Está na Antologia Modernos Poetas do Amapá, na enciclopédia Brasil e Brasileiros de Hoje, na Grande Enciclopédia da Amazônia e na Coletânea Amapaense de Poesia e Crônica.

Foi vice-presidente da Sociedade Artística de Macapá, diretor do Jornal Amapá, presidente da Federação Amapaense de Desportos (hoje FAF) e sócio-fundador da Sociedade Esportiva e Recreativa São José e do Grêmio Literário e Cívico Ruy Barbosa.
Em 1993 publicou o livro de poesias “Sermão de Mágoa”. Morreu em 24 de março de 2003 e alguns meses após sua morte a Associação Amapaense de Escritores fez o lançamento do livro de poemas e trovas “Cantigas do Meu Retiro”.

O Sarau será no Sesc Centro (Av. Padre Júlio Maria Lombaerd, esquina com a rua General Rondon), a partir das 20h. Além da homenagem ao poeta haverá show da banda Afrobrasil, exposição dos artistas plásticos Wagner Ribeiro e Miguel Arcanjo, comercialização de artesanato, obras literárias, CDs e DVDs de artistas regionais.


Publicado originalmente em www.alcinea.com

27 de abr de 2010

Jornalista da Editora Abril palestra em Macapá

O Pós-Doutor em Jornalismo Impresso Oswaldo Coimbra vem no próximo dia 28 de abril em Macapá para palestrar no III Congresso Seama de Comunicação. Coimbra falará do processo de produção de texto na reportagem impressa.

Oswaldo é autor do livro O texto da Reportagem Impressa - um curso sobre a sua estrutura, também Professor da Universidade Metodista de São Paulo e da Universidade Estadual de Londrina no Paraná, além de ser jornalista profissional da Editora Abril.

O congresso acontece entre os dias 28 a 30 de abril, as inscrições podem ser feita na central de Atendimento ao Aluno, localizado nas dependências da Faculdade Seama. Mais informações pelo telefone 2101-5170.

SERVIÇO
Departamento de Jornalismo e Imprensa da Faculdade Seama
E-mail: jornal@seama.edu.br
Fones: (96) 2101 5151 ramal 5160
(96) 8114 5698

26 de abr de 2010

Banda Afrobrasil vai eletrizar o sarau da Confraria Tucuju

Vem das festas do Laguinho e do Curiaú, onde o sincretismo religioso ganha o som dos tambores do Marabaixo e do Batuque, a base sonora da banda Afrobrasil. Idéia de Adelson Preto, filho de tia Chiquinha e seu Bolão, figuras tradicionais da cultura popular do Amapá. Adelson, nascido e criado no seio da cultura negra, fundou a banda no dia 20 de novembro de 2004 durante o Encontro dos Tambores daquele ano.

A tradição na base dos ritmos e as inovações melódicas e poéticas criadas pelos compositores regionais formam o repertório essencial da Afrobrasil. E não é só, o nome da banda aponta para uma proposta que pretende ir além das fronteiras regionais. Por essa razão o repertório traz também outros ritmos brasileiros cuja base percussiva é o tambor. O resultado é um show eletrizante, chamando a platéia a dançar.

A banda Afrobrasil será a principal atração do Sarau do Ponto de Cultura Largo dos Inocentes, vinculado à Confraria Tucuju. O evento vai acontecer no próximo dia 30 de abril, a partir das 20 horas no SESC Centro, localizado na av. Pe. Júlio Maria Lombaerd, esquina com a rua Gal. Rondon, Centro de Macapá. Haverá também show de Aline Ataíde, exposição dos artistas plásticos Wagner Ribeiro e Miguel Arcanjo, comercialização de artesanato, obras literárias, CDs e DVDs de artistas regionais. O poeta Arthur Nery Marinho receberá homenagem póstuma.

Ascom/ Confraria Tucuju

Arthur Nery Marinho: Sermão de mágoa

Meu coração é público, Senhores!
É como um botequim dali da esquina.
À turba não ilude.
Sempre há de ter lugar aos sofredores,
pois, sendo núcleo de mais triste sina,
tem calma e tem virtude.

Entrai, ó legião de sofredores,
neste templo onde o ódio não existe.
Entrai que a casa é grande e há hospedagem
suficiente para a turba triste...

(O poeta Arthur Nery Marinho receberá homenagem póstuma no Sarau do Ponto de Cultura Largo dos Inocentes, da Confraria tucuju, dia 30 de abril no SESC Centro, a partir das 20 horas)

22 de abr de 2010

São Jorge será festejado no Laguinho com marabaixo, ladainha e baile

São Jorge, o Santo Guerreiro, será homenageado nesta sexta-feira (23) no bairro do Laguinho. A família Prazeres festeja há cinco anos o santo com uma programação que inicia às 06:00 e encerra na madrugada do outro dia. Matriarca da família, dona Geralda, falecida, festejava o santo com orações todos os anos e passou a tradição religiosa para filhos e netos, organizadores do marabaixo da Tia Geralda, que dança especialmente nesta data.

A festa segue as tradicionais homenagens aos santos realizadas em todo o Estado, unindo fé católica e festa profana, ou lúdica, como alguns preferem definir o baile. A programação inicia com alvorada de fogos, às 06:00, seguida do levantamento do mastro de São Jorge, às 7:00 e missa. Às 09:00 será servido o café da manhã.

Durante o todo o dia os festeiros, família, amigos e colaboradores organizam a programação noturna com a preparação de caldos, gengibirra e ornamentação. Às 20:00 será realizada a ladainha, liderada por seu João, do quilombo do Curiaú, que faz a reza em latim. Os grupos de marabaixo convidados, Raimundo Ladislau, Pavão, Favela e de Campina Grande, sob comando de Mestre Jacundá, se apresentam a partir das 21:00 até meia-noite, quando começa o baile com som mecânico. A organização garante segurança e policiamento. A casa da família Prazeres fica na avenida São José esquina com Nações Unidas, no Laguinho.

Mariléia Maciel
Assessora de Comunicação
Mais informações: 8116-6687

Festa do Tambor: Torneios e shows para comemorar 65 anos do bairro do Laguinho

Os festejos para comemorar os 65 anos de criação oficial do bairro do Laguinho já iniciaram com torneios de futebol de salão e seguem até o dia 16 de maio. A Festa do Tambor - A Força do Laguinho iniciou no último domingo, na sede do São José, com treze times representando entidades e pontos culturais do bairro se revezando: Banco da Amizade, bloco Mãe Luzia, Marabaixo do Artur, grupo Sambarte, bloco Tia Fé, Poço do Mato, Estilizados, grupo junino Estrela do Norte, Associação Amigos do Laguinho, Imena, banda Afro-Ritmo, bloco Mancha Negra, Boêmios do Laguinho,grupo Baraká, Pilão e Tio Duca participam das quatro chaves do torneio.

Os torneios e a festa são uma iniciativa de um grupo de voluntários que durante o ano inteiro movimentam o bairro com programações esportivas e culturais. “Temos bem mais que 65 anos, mas resolvemos festejar a data que consta nos históricos registros, quando o Laguinho foi ocupado pelos negros que moravam no Centro, onde hoje estão prédios e residências oficiais”, explica um dos organizadores, Carlos Peru.

A programação cultural acontecerá nos dias 14 e 15 de maio, no Centro de Cultura Negra do Amapá. Está confirmada a participação de poetas com suas obras, exposição fotográfica, grupo de teatro ”Oi Nóis Aqui Traveis”, grupos de marabaixo do Artur, Raimundo Ladislau e Pavão, escolas de samba Boêmios do Laguinho e Piratas Estilizados, grupos de samba Sensasamba e Sambarte, batuque Raízes do Bolão, Fernando Canto, Francisco Lino, Marilene Azevedo, Osmar Júnior, Carlos Peru, grupo Afro-Baraká e outras atrações.

Mariléia Maciel
Assessora de Comunicação
Mais informações: 8116-6687

20 de abr de 2010

Um círculo de pedras no norte do Amapá guarda uma história intrigante sobre povos antigos da Amazônia

Está na Natonal Geographic

Stonehenge tropical
Os raios de sol atravessam a pedra do Furo e inundam de luz o círculo cerimonial. Para os arqueólogos, o lugar era usado em datas astronômicas especiais - assim como o famoso sítio britânico de Stonehenge.

Foto de Maurício de Paiva

Cursos gratuitos de Fotografia e Produção Executiva para Cinema e Vídeo

O Museu da Imagem e do Som (MIS) está com inscrições abertas para dois cursos na área de audiovisua: Fotografia e Produção Executiva. Destinam-se aos produtores independentes e são gratuitos. Os cursos terão carga horária de 80 horas-aula, ministradas nos turnos da manhã e da tarde.
O curso de Fotografia será conduzido por Rodolfo Figueiredo, diretor de fotografia e câmera em cinema, publicidade e televisão. É bacharel em cinema e vídeo pela ECA-USP com especialização em fotografia e participou de workshops de atualização da Kodak e Panasonic. Desenvolveu em 2001 junto com Christian Saaghard e Alfredo Manevy o projeto das Oficinas Kinoforum de realização e produção audiovisual, que há 5 anos vem formando novos olhares na periferia de São Paulo e em outras localidades.

O curso de Produção Executiva será ministrado por Márcia Macêdo, produtora paraense que participou de projetos audiovisuais em documentários, ficção e animação nos suportes película e digital. Márcia já foi jurada do Festival de Gramado (categoria super 8mm), produziu documentário com a diretora nacionalmente conhecida, Carla Camuratti, fez a Produção Executiva da animação “A onda, festa na pororoca” e dos curtas em 35mm “Dias”, “Chama Verequete”, “Alice”, dentre outros. Foi Presidente da Associação Brasileira de Documentaristas e Curta Metragistas - Seção Pará. Em agosto de 2003, cursou o Workshop de Produção Cinematográfica para Produtores Executivos Profissionais do Mercosul promovido pela Motion Pictures Associate – MPA.

Os interessados em participar de um dos dois cursos podem procurar o Museu da Imagem e do Som (MIS), que funciona do Teatro das Bacabeiras no horário de 8:30 às 12:00 e das 14 às 18:00, de segunda a sexta-feira. São apenas 25 vagas para cada curso.
Serviço
Curso de Fotografia para Cinema e Vídeo
De 03 a 14 de maio
No Teatro das Bacabeiras
Incrições gratuitas
Curso de Produção Executiva para Cinema e Vídeo
De 10 a 21 de maio
No Teatro das Bacabeiras
Incrições gratuitas
Informações de Alexandre Brito

19 de abr de 2010

Vencedores do Pixinguinha no Amapá fazem show em São Luiz

Serviço
Show Timbres e Temperos
Com Enrico Di Miceli, Patrícia Bastos e Joãozinho Gomes
Em São Luiz - MA
No Teatro Arthur Azevedo
Dia 26 de abril
Às 21 horas

Caixa lança editais de patrocíno à cultura para 2011

A Caixa Econômica Federal anuncia segunda-feira (19), na CAIXA Cultural Rio de Janeiro, o conteúdo de quatro editais de apoio a projetos culturais para 2011. A novidade este ano é a criação do Programa CAIXA de Apoio ao Patrimônio Cultural Brasileiro, em substituição aos programas de Adoção de Entidades Culturais e de Revitalização do Patrimônio Histórico e Cultural Brasileiro. Além do novo edital, serão publicados também o de Ocupação dos Espaços Culturais da CAIXA, o de Apoio ao Artesanato Brasileiro e o de Festivais de Teatro e Dança. Ao todo são R$ 33,1 milhões em investimento cultural.

Um dos diferenciais deste ano é que as inscrições de projetos para todos os Programas passam a ser por meio de formulário eletrônico. Todas as informações necessárias para a inscrição de projetos estarão disponíveis no regulamento de cada programa, no site
www.caixa.gov.br/caixacultural. O Edital 2011 de Apoio ao Patrimônio Cultural Brasileiro vai destinar R$ 3 milhões para patrocínio de projetos de preservação, acessibilidade e divulgação do patrimônio cultural nacional. O valor máximo de patrocínio por projeto será de R$ 400 mil. As inscrições vão de 31/05 a 30/07/2010 e o resultado da seleção será divulgado até 29/11/2010.

Já o Programa de Ocupação dos Espaços da CAIXA Cultural investirá R$ 26 milhões na seleção de projetos para ocupação dos espaços localizados em Brasília, Curitiba, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, para formação da pauta no período de janeiro a dezembro de 2011. O valor máximo de patrocínio por projeto será de R$ 300 mil. O período de inscrição irá de 26/04 a 18/06/2010 e a divulgação do resultado da seleção será feita até 29/10/2010. Os projetos deste programa podem ser nas áreas de artes visuais (fotografia, escultura, pintura, gravura, desenho, instalação, objeto, vídeo-instalação, intervenção e novas tecnologias ou performances), artes cênicas (teatro, dança e performance de palco), música, cinema e outros. Além das modalidades espetáculos, exposições, exibições, estão contempladas ainda palestras, encontros, cursos, workshops, oficinas e lançamento de livros.

O Programa CAIXA de Apoio ao Artesanato Brasileiro selecionará projetos a serem realizados ao longo de 2011 que visem ao desenvolvimento de comunidades artesãs e à valorização do artesanato tradicional e da cultura brasileira, contemplando várias etapas do processo produtivo. Em 2011, a CAIXA planeja investir no programa cerca de R$ 600 mil, sendo que o valor máximo de patrocínio por projeto será R$ 50 mil. As inscrições irão de 26/04 a 18/06/2010 e os resultados sairão até 20/08/2010.

Por fim, o Edital de Festivais de Teatro e Dança vai destinar R$ 3,5 milhões para festivais de teatro e dança que acontecerão em todo o território nacional no período de janeiro a dezembro de 2011. O valor máximo de patrocínio por projeto será de R$ 200 mil. As inscrições vão de 26/04 a 18/06/2010 e os resultados saem até 13/08/2010.

Assessoria de Imprensa
Caixa Econômica Federal

18 de abr de 2010

Sarau de Inverno do Ponto de Cultura Largo dos Inocentes

Poeta Arthur Nery Marinho
A Confraria Tucuju, através do Ponto de Cultura Largo dos Inocentes, desde março deste ano vem realizando novos projetos, estreando com a homenagem a São José, santo padroeiro de Macapá e do Amapá. No próximo dia 30 de abril, o ponto realiza um sarau de inverno na sede do SESC Centro, com shows de Aline Ataíde e da Banda Afro Brasil.

Entrada franca, boa música, performances poéticas, exposições de artes visuais, artesanato e sabores regionais. Mais um encontro cultural com a marca da Confraria Tucuju. A Banda Afro Brasil tem a liderança do músico Adelson Preto e trabalha ritmos regionais e samba com muito tambor. Aline Ataíde é um jovem talento do circuito de barzinhos, com repertório de MPB, pop e música regional.

Arthur Nery Marinho será o poeta homenageado pelo Sarau. Paraense que se radicou no Amapá, onde faleceu em 23 de março de 2003, Marinho é dono de uma obra “niilista, densa, verdadeira: um descortinador da alma humana”, na fala do também poeta Paulo Tarso Barros. Sua poesia evidencia influência de Augusto dos Anjos ao mergulhar fundo nos dramas da existência.

Serviço
Confraria Tucuju
Ponto de Cultura Largo dos Inocentes
Sarau de Inverno
No SESC Centro
Dia 30 de abril
Às 20 horas

Comunicação Confraria Tucuju
confrariatucuju@yahoo.com.br
Telefone: 3224-2415

Seja voluntário do CVV pela internet

O Centro de Valorização da Vida - CVV, através do seu programa de apoio emocional e prevenção do suicídio – CVVWEB – realizará no próximo dia 24 de abril curso gratuito para novos voluntários destinados a atendimento pela Internet. No dia do evento será apresentada a filosofia da entidade e a forma de conduta a ser Seguida pelo voluntário.
Requisitos: ter mais de 18 anos; possuir computador com banda larga e ter disponibilidade para um plantão semanal de 3 horas de duração a ser realizada na própria residência, disposição para ajudar o próximo e abertura para o autoconhecimento.
Local: Av. Brigadeiro Luis Antonio 4.348 (três quadras abaixo da Av. Brasil)
Horário: das 13h30 às 17h30.
Local de fácil acesso a pessoas com dificuldades de locomoção
Inscrições pelo site: http://www.cvvweb.org.br/.
Para maiores informações acesse o link “Fale Conosco” do site acima.

17 de abr de 2010

Cley Lunna faz show no Teatro das Bacabeiras


O cantor e compositor santanense Cley Lunna entra definitivamente para o cenário musical amapaense com o show MINHA HISTÓRIA, em parceria com outros artistas. O espetáculo é uma preparação para a gravação de seu primeiro CD. Com 29 anos e há oito vivendo de música, Cley descobriu seu talento muito cedo, aos 17 anos, e investiu nele por risco e conta própria, seguindo a lógica de que talento aliado a profissionalismo resulta em reconhecimento e espaço garantido.

Estudou violão e construiu um repertório composto de músicas de compositores que fazem sucesso no Brasil inteiro, compositores amapaenses e de composições de sua própria autoria. Participou dos festivais de música Sescanta e Fecamp, Projeto Botequim, além de fazer sucesso nos tradicionais barzinhos de Macapá e Santana. Em 2009, reuniu centenas de admiradores em sua apresentação no aniversário de Santana. Atualmente Cley mostra seu talento na Choperia da Lagoa.

O CD do artista será produzido em São Paulo até o final deste ano. As participações no show são de Patrícia Bastos, Zé Miguel, Enrico di Miceli, Jackson Amaral, Dulce Rosa, Pedro Carmona, Bárbara Damas e do paraense Márcio Frias.
Serviço
Show "Minha História"
De Cley lunna
Dia 17 de abril
No Teatro das Bacabeiras
Às 21 horas
Ingressos: R$ 10,00

Mariléia Maciel
Assessoria de Comunicação
Mais informações: 8116-6687

Belém: Todos os sábados e domingos de abril no Espaço Riachuelo

16 de abr de 2010

Amazon Music faz show instrumental nesta sexta

O Quarteto Amazon Music, de música instrumental, se apresenta nesta sexta-feira (16) na Casa de Chorinho do Ceará da Cuíca. Com repertório variado o quarteto tem público cativo. “É uma sintonia muito forte com nosso público, somos fiéis a eles e vice-versa”, fala Finéias Reis, líder do quarteto. O Amazon Music nasceu há 3 anos e se apresenta em bares, clubes e festas particulares. Realiza o Festival de Música Instrumental em Macapá, que terá sua terceira edição em agosto deste ano. É composto por Finéias Reis, Israel Cardoso. Marquinho Sansi e Ezequiel Freitas. O show terá participação especial da saxofonista Bibi e do percussionista Valério de Lucca.

Serviço

Show com Quarteto Amazon Music
Casa de Chorinho Ceará da Cuíca
Localizada na av. Piauí, entre as ruas Jovino Dinoá e Leopoldo Machado
Bairro: Jesus de Nazaré
Mesa: R$ 20,00
Hora: 20:00

Mariléia Maciel
Assessoria de Comunicação
Mais informações: 8116-6687

BR Cultural e SESC Amapá apresentam o espetáculo "Rainhas(s)"

Rainha(s)
Duas atrizes em busca de um coração. Uma livre recriação da peça Mary Stuart de Friedrich SchillerMary Stuart, de Schiller, é um “drama trágico”. Foi uma das obras máximas da fase madura de seu autor: um drama de grandes conflitos individuais inseridos num fundo histórico, e moralmente exaltando a purificação interior da consciência que triunfa sobre a fúria cega dos instintos.
O enredo da peça gira em torno da luta político-religiosa entre as Rainhas Elizabeth I e Mary Stuart, que disputavam a coroa da Inglaterra na segunda metade do século XVI. Schiller é uma espécie de Shakespeare alemão do século XVIII, capaz de tomar um episódio decisivo da história européia, a luta pelo poder numa Inglaterra tão poderosa quanto decrépita, e transformá-lo em assunto humano, pungente para além das épocas e das nações, cuja poética, porém, conserva em si o travo político de origem.
O trabalho cênico e dramatúrgico do espetáculo RAINHA[(S) revisita esse clássico por uma ótica diferente: apenas duas atrizes em cena, levando a carga trágica do drama à sua essência. O espírito de “nacionalização dos clássicos” presente no projeto cria um interesse no intercâmbio do particular com o universal, da experimentação com o clássico.

A diretora Cibele Forjaz e as atrizes Georgette Fadel e Isabel Teixeira, partiram do texto clássico para criarem coletivamente uma dramaturgia própria, trazendo para o coração da cena a atualidade de um texto histórico. O trabalho de adaptação em sala de ensaio centrou-se no embate constante entre as rainhas, que se multiplica num embate cênico entre as duas atrizes. O duelo se traduz assim em vários níveis: o duelo de duas rainhas que almejam um só trono, o duelo de duas atrizes no jogo cênico e o duelo interior de cada personagem/atriz.
Serviço
Espetáculo: "Rainha[(s)] - Duas atrizes em busca de um coração"
Data: 16 abril às 20:00 e 17 abril às 21:00
Local: SESC Araxá
Assessoria SESC

15 de abr de 2010

Talento da música paraense lança primeiro disco

Filha de pescador, Cristina Caetano começou a cantar na adolescência

Ao iniciar sua carreira como intérprete da banda do músico santareno Paulinho Jofre, Cristina Caetano jamais poderia imaginar que, 20 anos depois, lançaria seu 1º CD justamente com um dos ícones da música paraense que divulga os sons da Amazônia para o mundo. O álbum “Cristina Caetano interpreta Sebastião Tapajós & Parceiros”, que teve pré-lançamento na última sexta-feira, na Pousada do Cajueiro, na praia da Maracangalha, mostra a maturidade do trabalho da artista.

Neta de “seu Nito”, pescador da vila Curuai, e de dona Maria Ribamar, a Mazinha, Cristina Caetano cantava nas igrejas, acompanhando sua avó, e em eventos religiosos nos bairros da Interventoria e do Diamantino. Mas também cantou em bailes, barzinhos e festivais de música, tanto que em 2008 conquistou o 3º lugar no I Festival de Música Paraense, evento que envolveu artistas de todo o Estado.

Há quatro anos, cruzou nos palcos da vida com o violonista Sebastião Tapajós. Da conversa, surgiu a ideia de uma parceria entre sua bela voz e o violão do mestre, viabilizada através da Lei Rouanet, do Ministério da Cultura, com patrocínio da Mineração Rio do Norte. “Gravar meu primeiro CD sob produção musical de Sebastião Tapajós é uma grande responsabilidade, mas ao mesmo tempo tenho a sensação de amadurecimento como profissional”, diz ela, com firmeza.

Graduada em Administração de Empresas e mãe de uma menina de 15 anos, Cristina Caetano sabe como é difícil conquistar espaços, principalmente pela falta de eventos públicos como os antigos festivais. “Não é fácil competir e aparecer na mídia nacional, mas percebo que muitos artistas fazem seu trabalho de forma maravilhosa e tentam se mostrar para o Brasil através das novas tecnologias”, diz Cristina que é antenada no potencial da internet para divulgar seu trabalho.

Das 1.500 cópias, 600 serão destinadas a Pontos de Cultura e demais espaços públicos de disseminação da cultura nos municípios do Pará. O restante será vendido a R$ 10 a unidade. A proposta veio do próprio marido de Cristina, o jornalista e historiador Paulo Henrique Lima, especialista em utilizar a internet como meio de democratização cultural. O sobrenome Caetano parece uma sina de quem tinha que brilhar. “Algumas pessoas acham que coloquei simplesmente como sobrenome artístico, mas é meu sobrenome mesmo”, diz ela. “Um jornal de Belém já me chamou de Cristina Veloso”, relembra, sorrindo.


(Diário do Pará)

Lançado edital Microprojetos Mais Cultura na Amazônia Legal

Foi publicado no Diário Oficial da União de 12 de abril de 2010 (Seção 3, pág. 23) o Edital do Programa Mais Cultura de Apoio a Micropeojetos na Amazônia Legal. O edital irá apoiar cerca de 770 projetos culturais nos municípios que integram a Amazônia Legal (Acre, Amapá, Amazônia, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Roraima, Roraima e Tocantins) e que beneficiem jovens de 17 a 29 anos. As inscrições, abertas até o dia 11 de junho, podem ser feitas por pessoas físicas ou pessoas jurídicas sem fins lucrativos. O Edital é uma iniciativa do Ministério da Cultura, através da Secretaria de Articulação Institucional/SAI e da Fundação Nacional de Artes/Funarte, em parceria como Banco da Amazônia e os Estados que fazem parte da Amazônia Legal.

14 de abr de 2010

Mais de um milhão de pessoas já foram assitir “Chico Xavier”

Em Macapá o filme estréia dia 16 de abril (sexta-feira) no Cine Imperator

Não teve chuva, mandinga ou espírito travesso que pudesse impedir o caminho ladeira acima de “Chico Xavier”, o novo filme de Daniel Filho. A estreia, há uma semana, foi arrasadora, com quase 600 mil espectadores em apenas três dias, recorde dos últimos 15 anos do cinema brasileiro (o período que costumamos chamar de Retomada). Mas o resultado mais impressionante veio na noite de sexta-feira: 1 milhão de espectadores em apenas sete dias em cartaz.”

(André Miranda – O Globo / 09.04.10)

Chico Xavier “O Livro” é best seller
O livro que conta os bastidores e emoções do longa metragem de Daniel Filho está em primeiro lugar na lista dos mais vendidos da semana. Marcel Souto Maior ocupa também o segundo lugar da lista com “As Vidas de Chico Xavier ” a biografia do médium que deu origem ao filme.

(Fontes: Revista Veja, Folha de São Paulo, O Globo)

Visite o site: www.chicoxavierofilme.com.br

Sérgio Sales lança "Treze e outros contos"

O escritor e músico Sérgio Sales lança seu primeiro livro na próxima quarta-feira (14), no hall do Teatro das Bacabeiras, às 19h30. A obra, "Treze e outros contos" teve uma primeira edição artesanal, distribuída para os amigos, e agora sai em sua segunda edição, com impressão profissional. Sobre o trabalho, Sérgio Sales conversou com o Papel de Seda.

Papel de Seda - Qual a temática do seu livro?

Sérgio Sales - A primeira edição foi experimental, com quinhentas cópias. Distribuí para amigos e algumas bancas de revistas. Teve uma aceitação muito boa, tanto que foram feitos trabalhos escolares com alguns contos do livro. Isso me deu motivação para uma segunda edição mais bem formatada e acrescida de mais três contos.

A temática é basicamente o ser humano e suas reações e emoções. Fala sobre a vida e sobre coisas que acontecem com todas as pessoas. Tudo isso dentro de um contexto amazônico. Alguns contos tem como cenário a Amazônia.

Papel de Seda - Você teve apoio para essa edição?

Sérgio Sales - Tive apoio da Secretaria de Cultura do Estado, do escritório de advocacia Wagner Gomes, do vereador Clécio Luis, de amigos e familiares.

Papel de Seda - Como vai ser o lançamento?

Sérgio Sales - Será feito junto com a Teia Cultural, uma programação que ocorre todas as quartas-feiras no Teatro das Bacabeiras.

Serviço:
Treze e outros contos
Livro de Sérgio Sales
Lançamento dia 14 de abril
No Teatro das Bacabeiras
Às 19h30
Preço: R$ 20,00

13 de abr de 2010

Projeto "Parabólica" da Fundação Palmares chega a Macapá

A Fundação Cultural Palmares, vinculada ao Ministério da Cultura, promove nos dias 15 e 16 de abril em Macapá (AP) o Projeto Parabólica. O evento visa orientar agentes sociais interessados no desenvolvimento de políticas públicas e projetos que promovam e disseminem a cultura afro-brasileira. Os interessados em participar podem fazer as inscrições gratuitamente no site da Palmares.
O evento – que no Amapá acontece em parceria com o governo do Estado e com a prefeitura de Macapá – já percorreu oito estados brasileiros e reuniu mais de 400 pessoas. Esses estados foram selecionados a partir de uma pesquisa quantitativa de projetos recebidos pela Fundação nos últimos dois anos com o mapeamento dos locais que mais apresentaram projetos ou buscaram informações junto à Fundação Palmares, incluindo os candidatos a editais e seleções públicas.
O mapeamento também apontou as principais falhas cometidas na elaboração de projetos. Por isso, o Parabólica visitará dez estados com parte de sua equipe técnica para apresentar as ações de cada área para 2010 e ainda orientar sobre os procedimentos administrativos e ferramentas como o Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse - SICONV, desenvolvido pelo Ministério do Planejamento para o cadastro de projetos e possíveis repasses de recursos.
O Parabólica já passou por Alagoas, Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Pernambuco e encerra suas atividades no próximo dia 20 na Bahia.A FundaçãoA Palmares fará em agosto de 2010, 22 anos de existência e o Ministério da Cultura, também em 2010, 25 anos. Fruto da demanda do movimento negro o objetivo da Fundação é promover a preservação, a proteção e a disseminação da cultura negra visando à inclusão e ao desenvolvimento dessa população no Brasil.
A Fundação Cultural Palmares atualmente tem representações no Rio de Janeiro, Bahia e Alagoas. Esta última, inaugurada dia 26 de março como determina o Decreto nº 6.853, de maio de 2009, que autoriza também a criação de representações em São Paulo, Minas Gerais, Maranhão e Rio Grande do Sul.
Horário: 15 abril a 16 abril 2010
Local: Centro de Cultura Franco Amapaense
Organizado por: Antônio Brito

12 de abr de 2010

Escritor reconhece em livro modernidade nas ações da Confraria Tucuju

Professora Zaide Soledade, Fernanda Fernandes e Telma Duarte: história e juventude no mesmo espaço de cultura.
O escritor amapaense Fernando Canto fez um agradecimento especial à Confraria Tucuju e à presidente da Casa, Telma Duarte na página de apresentação de seu novo livro, "Adoradores do Sol", recentemente lançado em Macapá. Com o título "Um novo textuário embaixo do sol", na apresentação Fernando escreve:

"Agradeço a todos que me ajudaram a realizar este trabalho, especialmente à Prefeitura de Macapá e à Confraria Tucuju, através da presidente Talma Duarte, que vem realizando excelente administração naquela entidade, dando a ela o que mais necessitava, principalmente modernidade."

Sobre modernidade

"Para lutar pela nossa história e por nossa cultura, a Confraria tinha que crescer e ganhar a condição de casa de cultura. Isso se conquista profissionalizando as ações, planejando e lançando o olhar para as novas gerações e seus anseios, sem perder de vista a base sólida assegurada pelos homens e mulheres que fundaram a confraria. Pioneiros e juventude que representam o passado, o presente e o futuro da cultura amapaense", disse Telma Duarte.

Considerada de utilidade pública pelo estado e pelo município, a Confraria Tucuju abriga hoje o ponto de cultura "Largo dos Inocentes", patrocinado pelo Governo Federal.

10 de abr de 2010

Sarau de domingo na Praça da Bandeira

O Grupo Imagem e Cia realizará o espetáculo "No Caminho da Paixão", com performance de estátuas vivas, teatro, arte de rua, releitura de obras clássicas, canto lírico, erudito, popular e regional. Um sarau contemporâneo a céu aberto na Praça da Bandeira, às 17 horas do próximo domingo (11), em Macapá.

Artista do Piauí grava canção de Nivito Guedes em novo CD

Vavá Ribeiro lança novo cd 'Rota de Reis'

Quem gosta do estilo musical e aprecia o trabalho do piauiense Vavá Ribeiro pode conferir o seu novo CD “Rota de Reis”, um cd atemporal, com sotaques de ritmos que são ou se agregam a tudo de novo e de sempre à musicalidade nordestina. Com exceção de duas ou três faixas, o disco percorre o mundo do baião com nuances de maracatu, xote e expressões afro-brasileiras como Cabindas (dança também chamada Piauí) e Batucajés.

As rotas são uma análise psicológica e sociológica do comportamento humano em relação ao amor ao próximo e a si mesmo, da necessidade de ir até o limite, para se descobrir com os erros, os valores morais em sua essência. Os temas quase sempre falam de amor carnal e fraterno, inerentes ao trabalho do cantor e compositor Vavá Ribeiro.

Com direção do músico piauiense Elladio Jardas, o cd foi gravado em Campinas-SP, e contou com participação de músicos de primeira linha como Jorjão Carvalho, Sandro Haick, Lucas Casácio, Lara Ziggiatti, Thadeu Romano, Aramis Rocha, Santão, Marcelo Valezi, Paula Moreti e Vander Lee.

No repertório, contém VESTIDO FLORIDO, de Nivito Guedes( AP), SIMPLESMENTE, de Geraldo Maia em parceria com Carlos Mascarenhas(PE), LONGE DE O’CÊ, de Erasmo Dibell em parceria com Zé Américo(MA e SP), oito canções de Vavá Ribeiro, PROSA DE MARIA, AMARELINHO, A SAGA DE DAVID, MEU RUMO, ROTAS DE REIS, JOÃO, O QUE VIRÁ, em parceria com Reginaldo Leal(PI) e NA MORADA, em parceria com Gilvan Santos(PI), além de O TEMPO E A LUA, canção do último citado.

O cd foi gravado com recursos da FUNARTE, através do projeto Pixinguinha e administrado pela produtora piauiense ADJUNTO.

Fonte: VOOZ

9 de abr de 2010

Comédia Damas de Paus no Teatro Porão do SESC a partir desta sexta

"Damas de Paus" é a mais nova comédia da Cia. Teatro do Riso, que estará em cartaz a partir desta sexta-feira (09), e ficará o mês inteiro no Teatro Porão do Sesc Araxá, todas as sextas e sábados, sempre às 20h00.

A comédia aborda uma estranha relação entre duas irmãs, que o tempo inteiro reacende as contradições entre elas: rica e pobre, intelectual e analfabeta, chique e brega, bonita e feia, amável e revoltada etc. Elas fazem parte de uma única família, porém de histórias distintas: a mais nova, teve todos os privilégios e regalias. Assim, sendo, a MAIS NOVA, estudou, teve acesso as boas maneiras, freqüentou os melhores ambientes, enveredou pelo mundo dos estudos e pode fazer até pós-doutorado fora do Brasil. Já a MAIS VELHA, nasceu apenas para o trabalhou. Muito cedo caiu no mundo do trabalho, não teve oportunidades para estudos, sempre de casa para o trabalho pesado, casou com um pobretão, que não tem nem onde cair morto, teve três filhos de péssima qualidade, para o seu desespero e atormento. O que elas não esperavam era a resposta do destino. A MAIS NOVA, teve um acidente vascular, ficou semi-deficiente e foi pedir socorro justamente a MAIS VELHA, sua rival por natureza desde a infância. Assim, numa relação confusa entre parente e emprego, a MAIS NOVA administra a casa, paga salário para sua irmã e a explora de todas as maneiras.

A montagem do espetáculo é irreverente, prima por belas interpretações dos atores, já conhecidos do público amapaense: Alcemy Araujo, encarnando a MAIS NOVA e Geóstenys Melo, a MAIS VELHA. Ambos prometem risos para a platéia com DAMAS DE PAUS, a comédia dos contrastes.

FICHA TÉCNICA:
Alcemy Araujo: MAIS NOVA
Geóstenys Melo: MAIS VELHA
Texto: autores diversos
Concepção de Figurino: Geóstenys Melo
Concepção de iluminação: Ane Kelmi
Concepção de sonoplastia e cenário: Genário Dunas
Execução de sonoplastia: Ismael Sávio (Piauí)
Direção Geral : Genário Dunas

SERVIÇO
PROJETO VAMOS COMER TEATRO
Espetáculo: DAMAS DE PAUS
DIAS: SEXTAS E SÁBADOS DE ABRIL
LOCAL: TEATRO PORÃO/SESC ARAXÁ
HORA: 20:00
PREÇO: R$ 10,00 INTEIRA
R$ 5,00 ESTUDANTES, COMERCIÁRIO E DEPENDENTES

Por Genario Dunas

8 de abr de 2010

Abertas as inscrições para o edital Rumos Literatura 2010-2011 do Itaú Cultural

O programa Rumos Literatura 2010-2011, conta com o apoio da Anpoll - Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Letras e em Lingüística (http://www.anpoll.org.br/site/) e da ABRALIC - Associação Brasileira de Literatura Comparada (http://www.abralic.org/).

Inscrições gratuitas: de 3 de março a 31 de julho de 2010.

Público alvo: todas as pessoas interessadas nos temas propostos, independente do nível escolar e atividade profissional.

Em sua quarta edição, o programa Rumos Literatura é dirigido aos interessados em desenvolver textos reflexivos sobre literatura e crítica literária brasileira contemporânea. A novidade desta edição é a possibilidade de estrangeiros se inscreverem. O programa busca colaborar no desenvolvimento de potencialidades ao estimular a formação do interessado em literatura na ampliação de sua rede de relacionamentos intelectuais e profissionais e, posteriormente, lançar e divulgar uma publicação com sua produção autoral.

O programa está dividido em duas categorias:

1. Produção Literária, para projetos de ensaio que tratem de um tema relativo à produção literária brasileira a partir do início dos anos 1980.

2. Crítica Literária, para projetos de ensaio sobre a produção crítica na literatura brasileira realizada a partir do início dos anos 1980.

Importante: o interessado não precisa escrever o ensaio final, apenas o projeto que será desenvolvido em 2011, conforme consta no edital.

Leia o edital completo, regulamento, prêmios e saiba com se inscrever na página http://www.itaucultural.org.br/index.cfm?cd_pagina=2708.

Dentre os prêmios, os selecionados receberão apoio financeiro mensal e remuneração referente ao licenciamento dos direitos autorais do trabalho concluído e aprovado.


Acompanhe as notícias e comentários sobre o programa Rumos no blog http://rumositaucultural.wordpress.com/.

Contamos com a sua inscrição e boa sorte!


Assessoria de imprensa do Itaú Cultural

7 de abr de 2010

Heraldo Almeida comemora um ano do programa Movimento e Ação

Foto: Mariléia Maciel
Joãozinho Gomes, Enrico Di Miceli, Cláudio Rogério, Patrícia Bastos e Heraldo Almeida
O Programa Movimento em Ação completará, no próximo dia 8 de abril, um ano divulgando a arte e cultura amapaense. Transmitido de segunda a sexta-feira, das 08:30 às 10:00, pela Rádio Equatorial FM, o programa tem como característica principal os microfones abertos para artistas com carreiras consolidadas e artistas novos. Apresentado pelo radialista Heraldo Almeida, com Cláudio Rogério na técnica Mariléia Maciel na produção, o programa foi pensado por Vicente Cruz, presidente da Escola de Samba Boêmios do Laguinho e do São José Esporte Clube, entidades localizadas no bairro do Laguinho.

“No início tínhamos um alvo, que eram as ações do São José, do Boêmios e do Movimento Vento Norte, mas logo percebemos que os artistas tinham necessidade de um programa que falasse somente de cultura local, que não misturasse com política, polícia e outros assuntos que já são debatidos por pelo menos oito programas matinais. Então resolvemos reformular a programação, claro que ás vezes não tem como fugir das polêmicas, mas o principal é falar de nossa tradições”, fala Heraldo Almeida.

Para comemorar um ano de existência, a produção, em parceria com a Bacabeira Produções, está organizando uma grande festa aberta ao público. Será em frente à sede de Boêmios do Laguinho. No palco se apresentarão os artistas que participaram do programa. “Será uma festa inesquecível, um encontro de talentos. Estão confirmados Joãozinho Gomes, Val Milhomem, Amadeu Cavalcante, Patrícia Bastos, Ana Martel, Osmar Júnior, Nilsom Chaves, Juliele, Grupo Pilão e muitos outros que estarão juntos dos grupos de marabaixo e batuque, bateria de Boêmios e Sambarte. São tantas atrações que a noite vai ser curta pra prestigiarmos tudo”, conta a produtora cultural Clícia Hoana.

Serviço:
Aniversário do programa Movimento em Ação
Em frente à sede da U.S. Boêmios do Laguinho
Dia 8 de abril de 2010
Várias atrações

Informações de Mariléia Maciel

6 de abr de 2010

Exposição fotográfica apresenta tradições da cultura Quilombola no país

Após visitar mais de 15 cidades brasileiras, chega a Macapá a exposição Quilombolas - Tradições e Cultura da Resistência, no próximo dia 08 de abril, no Museu Fortaleza de São José de Macapá.

O registro fotográfico, inédito, realizado pelo fotógrafo documentarista André Cypriano em negativo convencional preto-e-branco tratado digitalmente, é resultado da pesquisa de campo em 11 comunidades negras remanescentes dos quilombos no Brasil, incluindo o Quilombo de Curiaú, localizado a oito quilômetros de Macapá, com cerca de 360 famílias. Foi nesta região que chegaram, em 1751, os primeiros negros escravos trazidos por famílias do RJ, PE, BA e MA e muitos vindos da Guiné. A herança africana é preservada por meio de festas religiosas, como a tradicional festa de São Joaquim, escolhido pelos antigos escravos como padroeiro do local. Durante dez dias no mês de agosto as comunidades reúnem-se para cantar sob a benção católica, as ladainhas caindo, pouco depois, no ritmo quente do batuque e do marabaixo tocado em tambores chamados de macacos, feitos do tronco de macacaueiro e forrado com o couro de animais.

A mostra pretende divulgar a realidade das comunidades quilombolas brasileiras e incentivar o diálogo entre as comunidades afrodescendentes de cada região do país por onde passa, dando-lhes visibilidade e enfatizando as questões sociais, culturais, reconhecimento e participação social.

A exposição, que em Macapá tem o patrocínio da Petrobras, é composta por 27 fotografias em preto-e-branco, no formato 50 cm x 75 cm; sete fotografias panorâmicas, no formato 40 cm x 110 cm, seis fotografias em preto-e-branco 30 x 40 cm, dois mapas, cinco painéis de textos e legendas.

A mostra que se iniciou em 2007, foi concebida inicialmente para poucas cidades. No entanto, devido ao interesse de público e órgãos institucionais de cultura, a mostra já circulou por 15 cidades brasileiras e seis cidades da América Latina - Assunção, Buenos Aires, Montevidéu, La Paz, Lima e Bogotá. Nesta nova fase, foram programadas 15 exposições em todo o País, entre elas Teresina (PI - 27/04) e Natal (RN – 20/05)

A curadoria da exposição é de Denise Carvalho, produtora cultural e diretora da Aori Produções Culturais, empresa realizadora do projeto. O material original faz parte do livro Quilombolas - Tradições e cultura da resistência, com fotografias de André Cypriano e pesquisa de Rafael Sanzio Araújo dos Anjos.

ANDRÉ CYPRIANO
Nasceu no ano de 1964, em São Paulo. Em 1990, um ano após a sua mudança para os Estados Unidos, André começou a estudar fotografia em São Francisco. Desde então tem completado vários projetos que têm sido expostos em galerias e museus no Brasil, na Europa e nos EUA. Como parte de um projeto de longo prazo, começou a documentar estilos de vida tradicionais e práticas de sociedades em lugares menos conhecidos nos remotos cantos do mundo. Cypriano fotografou o povo de Nias, na costa oeste da Sumatra (Nias: pulando pedras), práticas de rituais em Bali (Bali: uma busca espiritual). Seus documentários fotográficos têm sido usados em seminários educativos. Atualmente, ele trabalha como fotógrafo freelancer em Nova York e Rio de Janeiro, dando continuidade a seus projetos sociais e culturais, um deles é a exposição Quilombolas – Tradições e Cultura da Resistência.

SERVIÇO:

Exposição Quilombolas - Tradições e Cultura da Resistência

Local:
Museu Fortaleza de São José de Macapá
Rua Independência, 251 - Centro - Macapá – AP
Fone (96) 3212-1260

Abertura:
08 de abril de 2010, às 16h

Visitação:
De 09 de abril a 09 de maio de 2010
De terça a domingo, das 9h às 18h
Entrada Gratuita

Patrocínio:
Petrobras

Apoio Institucional:
Ministério da Cultura
Secretária Especial de Políticas para a Igualdade Racial - Seppir
Fundação Cultural Palmares
Governo do Estado do Amapá
Secretaria de Estado da Cultura do Amapá
Secretaria Extraordinária de Políticas para os Afrodescendentes

Realização:
Museu Fortaleza de São José de Macapá

Aori Produções Culturais
www.aori.com.br

Livro: Quilombolas – Tradições e Cultura da Resistência
R$ 78,00 reais – ISBN – 97-88599953-01-3
Nas melhores livrarias do país e para mais informações:
www.distribuidorabookmix.com.br

Contatos para Imprensa:
Assessoria de Imprensa: Baobá Comunicação, Cultura e Conteúdo
erika.balbino@baobacomunicacao.com.br

5 de abr de 2010

Liz espalha poema em novo blog


A poetisa Beth Zhalouth espalha seus poemas agora na internet. Ela estreou no espaço virtual com o blog www.poemasdusoleil.utiliblog.com. Liz é mineira e vive no Amapá há dez anos.

3 de abr de 2010

Ciclo do Marabaixo começa neste Domingo de Páscoa no Laguinho

Foto: Mariléia Maciel
A Associação Cultural Raimundo Ladislau, do bairro do Laguinho em Macapá, se prepara para o Ciclo do Marabaixo deste ano que inicia dia 4 de abril e segue até a festa de Corpus Christi, dia 6 de junho. São aproximadamente 150 pessoas entre crianças, jovens, adultos e idosos que preparam o festejos do maior símbolo da tradição cultural amapaense. Uma mistura de tradições religiosas e lúdicas, a festa homenageia o Divino Espírito Santo e Santíssima Trindade e nestes dois meses a programação é dividida em seis apresentações de rodadas de marabaixo, almoços, bailes, novenas e ladainhas com a participação de brincantes e convidados.

Com 22 anos de existência, a Associação é representada pela bisneta do Mestre Julião Ramos, precursor do marabaixo no Amapá, Danniela Ramos, que todos os anos prepara um festa que atrai em média 4.000 pessoas que participam de todas as programações. “Hoje o marabaixo é respeitado, temos poucas resistências, até a Igreja Católica que por dois anos um padre da paróquia São Benedito tentou impedir nossa entrada, foi coerente e passou a respeitar ainda mais nossa tradição”, fala a presidente Danniela.

A festa é prestigiada por pessoas de todas as idades, crianças de dois anos até idosos de mais de 80, caso de Tia Biló, única filha viva de Julião Ramos participam da tradição. Todos os anos a coordenação da festa traz uma atração de outra localidade, este ano os grupos de Mazagão Novo e Velho e de Torrão do Matapi fazem a recepção junto com o grupo Raimundo Ladislau. Para a festa, serão produzidos 2.500 litros de gengibirra, muitos panelões de caldo e mais refeições completas para os dias de festa. A abertura será a partir das 17 horas deste domingo de Páscoa, na casa da festeira Tia Biló, na rua Eliezer Levy, entre Mãe Luzia e Nações Unidas, no Laguinho.

PROGRAMAÇÃO

04/04 – 17:00 – Domingo de Páscoa – 1º Marabaixo - Marabaixo da
Ressurreição
08/05 – 09:00 – Sábado do Mastro – Corte do Mastro no Curiaú
09/05 – 10:00 – Domingo do Mastro – 2º Marabaixo
12/05 – 17:00 – Quarta-feira da Murta do Divino Espírito Santo – 3º Marabaixo (Até o amanhecer do dia 13/05-Quinta-Feira da Hora:Levantação do mastro do Divino Espírito Santo às 07:00)
13/05 – 21:00 – 1º Baile dos Sócios do Divino Espírito Santo
14/05 – 19:00 – Início das novenas do Divino Espírito Santo
21/05 – 19:00 – Início das novenas da Santíssima Trindade
22/05 – 21:00 – 2º Baile dos Sócios do Divino Espírito Santo
23/05 – 07:00 – Domingo do Divino Espírito Santo (missa na Igreja São Benedito, logo após,, café da manhã na casa da festeira Tia Biló)
16:00 – Murta da Santíssima Trindade – 4º Marabaixo (até o amanhecer do dia 24/05 quando o mastro da Santíssima Trindade será levantado às 07:00)
24/05 – 21:00 – 1º Baile dos Sócios da Santíssima Trindade
29/05 – 21:00 – 2º Baile dos Sócios da Santíssima Trindade
30/05 – 07:00 – Domingo da Santíssima Trindade (missa na Igreja São Benedito, logo após, café da manhã na casa da festeira Tia Biló)
03/06 – 20:00 – Corpus Crhisti – 5º Marabaixo
06/06 – 17:00 – Domingo do Senhor – Derrubada dos mastros e encerramento do Ciclo do Marabaixo

Mariléia Maciel
Assessora de Comunicação
A.C.R.L. – Ciclo do Marabaixo 2010

1 de abr de 2010

Marcos Quinan: Lucidez

a escuridão retalha as ruas
e duas esquinas disputam
quem copula a cadela
o vício da miséria
fere narinas
entorpece dentro
e disputa
com o cheiro que cola
noite a noite
como brincar
o vício da miséria
sacia as trevas
mas quer sempre mais
e vai inventando
variações
para sua droga podre
troca sangue
por sangue
qualquer dono
qualquer dano
qualquer ramo
reinventado
em nova droga
bairros inteiros
espalhados
pela noite
engolindo
sujas de miséria
as cidades
que dormem o dia
a lucidez insone
dispara o canto
me liberta e me prende
em todos os ângulos
que formam os vãos.
MQ