30 de dez de 2009

Desejamos a você um 2010 luminoso


A todos que passam por aqui diariamente ou vez por outra, acompanhando o Papel de Seda, desejamos que o ano nascente traga luminosidade interior para que a vida siga seu curso com lucidez e equilíbrio. Que a alegria nasça das conquistas simples e cotidianas, fazendo valer a pena os esforços de todos por uma vida digna, saudável e feliz. Acreditamos que somos aquilo que escolhemos ser e que, portanto, cabe a nós a colheita do que plantamos. Que essa colheita seja justa para todos e suficiente para revigorar a força de Deus que habita em cada um de nós.
Feliz Ano Novo!!!
Janaina, Juliana e Márcia

Funarte realizará assembleias estaduais de música em janeiro

De 6 a 25 de janeiro de 2010 serão realizadas Assembleias Estaduais Setoriais de Música em todo o país. A Fundação Nacional de Artes do Ministério da Cultura (Funarte/MinC) convida os agentes da cadeia produtiva/criativa da música (artistas, produtores/empresários, mediadores sociais, educadores musicais, entre outros) a participarem deste encontro.

Para tanto, deverão eleger três delegados que farão parte da Pré-Conferência Setorial de Música. Dezoito estados e o Distrito Federal já divulgaram a data e local de suas assembléias estaduais. Os membros da sociedade civil interessados em se candidatar a delegados da Pré-Conferência durante as Assembléias Setoriais Estaduais e Distrital devem fazer o registro de sua candidatura. Os delegados eleitos deverão postar, até 31 de janeiro de 2010, os documentos exigidos na Resolução nº 2, para concluir sua habilitação.
Por Clelia Araújo

28 de dez de 2009

Osmar Junior e Amadeu Cavalcante celebram os 20 anos de Sentinela Nortente

Um show de Osmar Júnior e Amadeu Cavalcante vai relembrar os 20 anosdo mais importante registro fonográfico da música amapaense nasúltimas duas décadas: o LP Sentinela Nortente. O disco é o primeiro registro do Movimento Costa Norte e abriu espaço para outros *longplays* como “Formigueiro”, de Val Milhomem, e “Vida Boa”, de ZéMiguel.
O show, que acontece terça e quarta-feira, 29 e 30 de dezembro, no Teatro das Bacabeiras, às 20hs, tem direção musical de Cleverson Baía e reúne músicos consagrados como João Batera (bateria), Pingo (teclado), Rogerinho (contra-baixo), Bebeto Nandes (teclado) e Sérgio Gato (percussão). Como convidados estarão Val Milhomen e Zé Miguel.
De acordo com Osmar Junior, Sentinela Nortente foi concebido durante um final de semana em que passou isolado numa fazendo no Maruanum, apenas com a companhia do violão e da namorada. Ali surgiram boa parte das composições, como “Coração tropical” e a música tema do disco.
Depois vieram outras composições, como “Tajá”, primeira parceria de Osmar Junior com Fernando Canto. Encerrada a fase de composição, Osmar Junior escolheu como intérprete de seus manifestos Amadeu Cavalcante, músico que já se destacava na noite amapaense. Surgia então o “Sentinela Nortente”, o compacto que representou o grande suspiro da música regional. Sob a influência dos ritmos caribenhos, da salsa, do merengue, e também do brega e da toada, Osmar Júnior compôs clássicos do cancioneiro regional, que são cantados até hoje.
O disco foi gravado em Belém na Gravason e teve a participação dos músicos amapaenses Zenor Silva, João Batera, Ednilson e Manguinha além de Téo Lima, do Pará. Sentinela Nortente é, em termos históricos, sociológicos, estéticos, filosóficos, um repositório do universo sócio-cultural que OsmarJunior tão brilhantemente captou e Amadeu Cavalcante soube interpretar com maestria.
Renivaldo Costa
Assessor de Imprensa

Boêmios: festa e homenagem para comemorar 56 anos de carnaval

Sambistas Nega Vânia, Carlinhos Bababá e Macunaíma

A Universidade de Samba Boêmios do Laguinho completa 56 anos reunindo gerações de boemistas, desde fundadores até crianças que fazem parte da academia, convidados e comunidade. No sábado, 2 de janeiro, dia do aniversário, uma grande festa está sendo preparada para comemorar a história de carnaval da mais antiga agremiação carnavalesca do Amapá.

Este ano a homenageada será a Rainha da Bateria Nega Vânia, que está à frente dos ritmistas da Bateria Pororoca há 10 anos. A homenagem tem justificativa que foi aprovada por todos. Nega Vânia é uma laguinense autêntica, moradora do bairro desde que nasceu, é de uma família tradicional onde todos torcem para Boêmios e São José, o time do bairro, nunca abandonou a Universidade, mesmo nos momentos de crise que toda agremiação passa e defende Boêmios na avenida com emoção e paixão.

“Nega Vânia nasceu Boêmios, desfila desde criança nas alas infantis, passou por várias alas comuns e coreografadas, sambista e hoje está no posto há dez anos mostrando o que é ser apaixonada por uma escola de samba, quando ela entra na avenida, todos percebem, ela não é simplesmente uma moça que está na frente da bateria, sem paixão, não está de passagem, ela é Boêmios, um dia vai deixar o posto, mas com certeza nunca deixará de ser boêmios”, fala o presidente Vicente Cruz.

A festa vai começar às 20:00 e terá apresentação de Osmar Júnior, boemista e autor de enredos poéticos que deram título e até hoje emocionam. A comemoração continua com apresentação da homenageada Nega Vânia, crianças da Escolinha Falconery, com os casais de mestre sala- e porta bandeira mirim e primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira. Tudo ao ritmo da Bateria Pororoca. Após as apresentações, muito samba e pagode até a madrugada. As portas da sede estarão abertas ao público e convidados.

Mariléia Maciel
Assessora de Comunicação - AUSBL

25 de dez de 2009

Elias de Paula: Poema de Natal


Que tua estrela sempre brilhe e retorne ao teu céu,
Iluminando o teu renascimento e do teu mundo,
E todos os teus sonhos e esperanças do melhor que há em ti,
Possam se confirmar como uma divina Dádiva.
Que a paz se abrigue em teu espírito e em tua alma,
O amor seja o hóspede permanente de teu coração,
E a alegria se abra em teu sorriso e em teus olhos,
Transbordando a tua volta e anunciando tua chegada.
Que a tua vinda e vida sejam sempre um anúncio de festa
Para os que te cercam, te encontram e te amam,
E que o reconhecimento da realeza de tua origem,
Resplandeça no berço de tua humildade.
Que todos os homens e mulheres de boa vontade,
Possam reconhecer em ti a Mensagem de Boas Novas,
E tenhas aos teus pés os presentes que serão teus tesouros
E que jamais serão subtraídos: tua sabedoria e tranqüilidade.
Que os anos da Luz te cerquem e cuidem de teu caminho,
E que a Graça e a benção de Deus estejam sobre ti,
A chama divina jamais se apague em teu templo interior,
E sejas sempre o melhor presente para ti e para os teus.
Que as estações se sucedam em tua vida te dêem viço,
e possas realizar as semeaduras e as colheitas do Bem,
E assim cultives os jardins e construa as pirâmides
Que marcarão tua vida e tua eternidade.
Corra sempre o rio em que te purifiques e renasças,
O vinho da alegria nunca falte na festa de tua vida,
E os pães se multipliquem sempre e possas reparti-los,
Entre os que necessitam e na ceia dos que te amam.
Que ninguém te atire pedras, mas comemore tua chegada,
Derramando-te óleo perfumado sobre teus cabelos e teus pés,
E se houver tempestade, que ela cesse perante ti,
E o mar da vida se abra para que possas atravessá-lo.
Que o teu nome esteja escrito no Livro dos Filhos da Luz e da Eternidade.

Com todo Amor e Carinho, Obrigado por Ti.

Elias de Paula Araújo

14 de dez de 2009

Atitude cidadã

A jornalista Sândala Barros, atualmente no Sebrae, fez o que todo mundo deveria fazer. Ao constatar que a obra de recuperação do canteiro central da av. Feliciano Coelho em Macapá está prejudicando as árvores do local, comunicou à Promotoria do Meio Ambiente. As árvores estão sendo "estranguladas" pelo calçamento. Acionado, o Ministério Público tomou providências conforme documento abaixo:
"A Sua Excelência o Senhor
DAVI SAMUEL ALCOLUMBRE TOBELÉM
Secretário Municipal Obras (SEMOB/PMM)

NESTA

Ref. Canteiros centrais Avenida Feliciano Coelho

Senhor Secretário,

Considerando o grande número de reclamações recebidas nesta Promotoria de Justiça a respeito de possível comprometimento da arborização e paisagismo urbano por ocasião da recuperação de canteiros centrais da Avenida Feliciano Coelho (da Rua Tiradentes até a Hildemar Maia), sirvo-me do presente para solicitar que encaminhe cópias de projeto e/ou pareceres técnicos que fundamentem os serviços tais como estão sendo realizados no prazo de 15 (quinze) dias.

RECOMENDAMOS, desde logo, a adoção das medidas preventivas e corretivas que garantam as condições vitais para sobrevivência e desenvolvimento de espécies vegetais plantadas atualmente, que venham a ser plantadas ou as que venham a ser substituídas no trecho supracitado.

Atenciosamente,

Haroldo José de Arruda Franco
Promotor de Justiça"

Macapá de São José e São José de Macapá

Palestra "Macapá de São José e São José de Macapá - a identidade amapaense segundo o olhar da Psicologia Analítica".
O custo para assistir à palestra é de um brinquedo para menino e um brinquedo para menina, que serão encaminhados posteriormente às crianças internadas no Hospital da Criança e do Adolescente durante o período de Natal.
O envento ocorrerá no dia 17/12 (quinta-feira), às 19:00, no Centro Clínico Seama. A inscrição pode ser feita por telefone ou pessoalmente.
CENTRO CLÍNICO SEAMA PSICOLOGIA
Av. Presidente Vargas, 2661, Santa Rita
Entre Marcelo Cândia e Santos Dummont
Tel: (96) 3223 3810

9 de dez de 2009

Macapá terá Feira de Artesanato Reciclado neste final de semana


Neste final de semana a Praça Floriano Peixoto será o espaço da primeira Feira de Reciclável de Macapá. Realizada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente, a Feira tem como objetivo promover a educação ambiental e valorizar o trabalho feito dom material reciclado, dando oportunidade para que os artesãos que trabalham com reaproveitamento comercializem e seus trabalhos.

A feira vai acontecer nos dias 12 e 13 de dezembro, de 17 às 22 horas. A Semam garantirá a estrutura física e a organização do evento. Durante a Feira será apresentado um desfile de roupas recicladas. Os interessados em participar podem procurar a Semam, na rua Claudomiro Matias, 1530, Jardim Felicidade I, ou ligar para o número 4009-1611, de 08 às 14 horas.

Mariléia Maciel

7 de dez de 2009

É proibido proibir a Tropicália

O projeto Navegando na Vanguarda apresenta o show-manifesto Tropicália na Linha do Equador, com o compositor/cantor amapaense Aroldo Pedrosa, vencedor de festivais de música popular pelo país, entre eles o 3º Fest Sinhá – Festival Internacional da Canção de Goiás/2000, o 10º Festival MPB de Tatuí/2001 (SP), o 37º Festival da Canção de Boa Esperança/2005 (MG) e o II Festival Universitário da Canção-Feucan/2005 (Macapá-AP).

Aroldo Pedrosa contará com o acompanhamento da banda Vanguarda Amazônica, formada pelos músicos amapaenses Alan Bacelar (direção musical, violão e guitarra solo), Irlan Guido (guitarra base), João Paulo (teclado), Helder Melo (baixo), Tato (bateria), Paulo Vilhena (percussão), Aritiene Dias (sax), Jorge Luís (trompete) e Antônio Carlos (trombone). Fechando o elenco, as becking-vocal Lorena e Camila, e a atriz Rosa Rente, que fará intervenções poéticas tropicalistas.

O repertório das canções do show foi escolhido através de um trabalho minucioso de pesquisa, fazendo um panorama da MPB, que vai da popularíssima e inesquecível Vou tirar você desse lugar (Odair José) à antológica e revolucionária É proibido proibir (Caetano Veloso), além das canções do compositor Aroldo Pedrosa que se destacaram pelos festivais do Brasil, como “Levemente Louca” e “Todas as Mulheres do Mundo nº 2” – ambas em parceria com o compositor Cléverson Baía.

Tropicália na Linha do Equador é um show coletivo de artistas convidados – Lula Jerônimo, Jô Masan, Cléverson Baía, Dilean Monper, Roni Moraes, Dylan Rocha, Américo Brasil, Alê d’Ile, Rebeca Braga, Layza Michelle e Brenda Nandes.

O clássico Sintonia (Moraes Moreira), Aroldo Pedrosa e Américo Brasil cantam em homenagem saudosista à chamada música brega de qualidade que o movimento, sem nenhum preconceito, absorvia. A extraordinária “Construção”, de Chico Buarque de Holanda, e com os mesmos arranjos do tropicalista Rogério Duprat, o anfitrião interpreta em parceria com Roni Moraes, para, em seguida, rememorarem “Você não entende nada/Cotidiano”, do antológico encontro de Chico e Caetano, no show gravado ao vivo, realizado em 1972, no Teatro Castro Alves (Salvador/BA).

Alan Bacelar é um jovem compositor do movimento musical alternativo de Macapá (as chamadas bandas de garagem), mas que envereda pela MPB, tendo inclusive classificado música em festival do Rio de Janeiro. No show-manifesto, acompanhado pelo piano de Dilean Monper, Alan canta Imagine (John Lennon), em homenagem ao genial artista inglês assassinado em 8 de dezembro de 1980, ou seja, há exatos 19 anos. Depois, com a banda, faz Perfeição (Renato Russo) – canção contemporânea de protesto ao “Brasil da pilantragem do século 21”. Lula Jerônimo e Alê d’Ile homenageiam Tom Jobim, falecido também na mesma data e cidade (Nova York), mas há 10 anos.

Rebeca Braga despontou no Festival Jovem da Canção (Fejoca) e hoje é cantora reconhecida em nosso cenário musical – canta Lindonéia (Caetano Veloso/ Gilberto Gil), gravada recentemente por Fernanda Takai. Dylan Rocha tem o jamaicano Bob Marley como mestre e faz o reggae do umbigo do mundo. Cléverson Baía, parceiro do protagonista Aroldo Pedrosa, é convidado para mostrar Levemente Louca.

Layza Michelle e Brenda Nandes, que debutaram em shows recentes pelo projeto Botequim (Sesc Amapá), vão incorporar a cantora tropicalista baiana Gal Costa, com as clássicas Vapor Barato e Baby.

Importante momento do show-manifesto é a reverência que o artista – discípulo confesso do movimento tropicalista – faz aos 41 anos da Tropicália, rememorando dois episódios históricos e controvertidos da cultura brasileira: o Phono 73 – quando o compositor/cantor baiano Caetano Veloso, ao retornar do exílio londrino, se apresentou com o cantor brega Odair José, cantando Vou tirar você desse lugar. O segundo episódio é o polêmico Festival Internacional da Canção-FIC, de 1968, realizado no Teatro TUCA (SP) e promovido pela Rede Globo, onde o criador da Tropicália, acompanhado da banda Os Mutantes, defendeu a sua É proibido proibir, explodindo em um discurso que perpetuou a máxima “Vocês não estão entendendo nada”. A reverência culmina com o retorno de “1968 – o ano que não terminou”, do escritor e jornalista Zuenir Ventura – livro famoso que fala dos acontecimentos da época, reeditado agora e provocando novas e acaloradas discussões. Em Vou tirar você desse lugar, o músico Alan Bacelar faz o violão tocado por Odair José, e na emblemática É proibido proibir, a banda Vanguarda Amazônica recebe o reforço da Mini Box Lunar para reviver a banda tropicalista Os Mutantes. É proibido proibir é homenagem ainda aos músicos que fizeram Os Joviais – grupo musical amapaense, dos anos 1960, provocador da retirada do governador Ivanhoé Gonçalves Martins – o mais linha-dura de todos os governadores militares que vieram para o Amapá no período da ditadura –, ao tocar em evento a canção de protesto de Caetano Veloso. O vocalista-fundador da banda, Jô Masan, hoje com mais de 50 anos, é convidado para relembrar o inusitado episódio ocorrido no auditório do Cine Territorial (atual Escola Barão do Rio Branco) e cantar “Vou Ver Chicago”, feita numa noite longínqua e clandestina dos anos rebeldes.

No repertório tem ainda “Como 2 e 2”, composição de Caetano Veloso composta no exílio londrino para o rei Roberto Carlos e Soy loco por ti, América (Gilberto Gil/ Capinan), composição feita em homenagem ao líder guerrilheiro Che Guevara, morto em 1968. Esta canção (uma idéia de Caetano) é marco do Tropicalismo. E para temperar e mexer ainda mais o caldeirão, Linha do Equador – canção de Caetano em parceria com o compositor alagoano Djavan, e bem representativa da idéia da Tropicália no meio do mundo. E o show se encerra apoteoticamente com canções carnavalescas: Eu quero botar meu bloco na rua (Sérgio Sampaio) – que o Brasil inteiro cantou nos anos 1970, outra importante canção de resistência ao truculento regime militar instaurado no Brasil a partir de 1964 –, A filha da Chiquita Bacana e Chuva, Suor e Cerveja – marchinhas maravilhosas e pulsantes do disco “Muitos Carnavais” do doce bárbaro baiano.

Tropicália na Linha do Equador contará ainda com cenário, decoração e banquete de frutas. Não perca!

Serviço

Show: Tropicália na Linha do Equador
Local: SESC Centro – Avenida Padre Júlio com Rua General Rondon
Data: 8 de dezembro de 2009 – terça-feira
Início: 21h
Traje: Tropicalista
Entrada: Franca - leve uma fruta, de preferência tropical, para o Banquete da Tropicália


Por Lulih Rojanski

3 de dez de 2009

Palestra e seminário transpessoal com Alberto Almeida

Dia 05/12/09 - Palestra Pública "A mensagem da Manjedoura"
Hora - 20 horas
Local - Teatro das Bacabeiras
Colaboração - 1 kg de alimento não perecível (arroz, feijão, açúcar e leite)

Dia 06/12/09 - Seminário transpessoal "Aproxime-se do amor... Com cuidado"
Hora - de 08 às 12 horas
Local - Auditório do Museu Sacaca
Investimento: R$ 30,00

Organização: Federaçao Espírita do Amapá

O conferencista espírita paraense de Dr. Alberto Almeida vem a Macapá, à convite da Federação Espírita do Amapá, realizar seminário transpessoal e palestra pública. No seminário transpessoal o Dr. Alberto Almeida será facilitador do tema "Aproxime-se do amor... Com cuidado". Na palestra o tema será "A Mensagem da Manjedoura".

Os alimentos arrecadados durante a palestra serão destinados às obras assistenciais da Casa Chico Xavier, localizada em anexo à Federação Espírita do Amapá, Rua Odilardo Silva, 1131 – Próximo à Prefeitura de Macapá. Fone: 3224-1730