22 de abr de 2011

VI Aldeia de Artes Sesc Povos da Floresta

Fazendo parte da VI Aldeia de Artes, que acontecerá no periodo de 2 a 6 de maio em diversos polos como: Salão de Eventos do Sesc Araxá, Sesc Centro, UEAP, UNIFAP, Circo Roda Ciranda e Teatro das Bacabeiras, acontecerá também a realização de 03 excelentes oficinas no Sesc Araxá.
 
OFICINA CORES E TEXTURAS
A oficina Cores e Texturas propõe-se a descobrir relevos para os pigmentos utilizando materiais diversos  como areia, papel, tecido, algodão, farinha, entre outros. Na oficina será trabalhado o circulo cromático, as cores primárias e secundárias e os tons frios e quentes.
A oficina será ministrada por Geostenys Melo, da Paraiba
Dias: 3 e 4 de maio/2011
Horário: das 9 as 12 h
Valor da oficina: R$ 5,00
Local de inscrição: Central de Atendimento Sesc Araxá
Vagas: 20
Local de realização: Casa da Cultura/Sesc Araxá
 
OFICINA: PATATIVA NUM RIO DE POESIA DESEMBOCANDO NO TEATRO
Trata-se de uma oficina que envolve teatro e literatura, onde os ministrantes passarão técnicas de como interpretar poesias e textos. É uma excelente oportunidade para explorar o seu lado de improvisação. Sáo tecnicas apropriadas para atores e não-atores.
Quem ministrará: Cia. do Tijolo, de procedência de São Paulo
Dia da oficina: 5 de maio/2011
Horário: das 8 as 12 e das 14 as 18 horas
Valor da oficina: R$ 5,00
Local de inscrição: Central de Atendimento Sesc Araxá
Vagas: 20
 
OFICINA PINTANDO PAISAGEM TURÍSTICAS
É uma oficina de pintura sobre tela, mostrando a escola acadêmica impressionista(figurativismo) usando a técnica de pintura acrílica sobre tela. Serão fabricadas 20 telas apresentando 15 pontos turísticos do Amapá.
 
Quem ministrará: Tom D.C - AP
Dia da oficina: 4, 5 e 6 de maio/2011
Horário: das 15 as 18 horas
Valor da oficina: R$ 5,00
Local de inscrição: Central de Atendimento Sesc Araxá
Vagas: 20
 
OBS: serão emitidos certificados para os participantes.
 
Genário Dunas
Educador Cultural/Artes Cênicas
Sesc AP

19 de abr de 2011

III Feira Estadual de Biodiversidade e Economia Solidária


Cáritas Diocesana de Macapá – CDM
End: Av. Pe. Manoel da Nóbrega, nº 1.000, Jesus de Nazaré
Macapá-AP – CEP: 68.900-062
caritas.macapa@hotmail.com
Fundada em 11/11/2009

A Cáritas Diocesana de Macapá tem a honra em convidar Vossa Excelência a participar da III FEIRA ESTADUAL DA BIODIVERSIDADE E ECONOMIA SOLIDÁRIA E SEMINÁRIO DE COMERCIALIZAÇÃO SOLIDÁRIA DO ESTADO AMAPÁ, com o tema: “Sociobiodiversidade e Economia Solidária como fundamento do direito de produzir e viver de maneira cooperada buscando a Sustentabilidade”.

Na ocasião serão realizados Painéis, Oficinas, exposição dos empreendimentos e shows culturais, objetivando o fortalecimento dos Empreendimentos Econômicos solidários, bem como sua visibilidade e estimular a cooperação em busca de uma auto sustentabilidade valorizando as iniciativas a partir das Políticas Públicas de Economia Solidária no Amapá.

Período: de 28 a 30 de Abril de 2011
LOCAL: Quadra da Igreja Jesus de Nazaré (Rua Leopoldo Machado nº840 Bairro Jesus de Nazaré.
HORÁRIO: Das 8h às 22h

Pe. Daniel Nascimento Campos Filho
Presidente da CDM

Roda de danças circulares em Macapá

Ciclo do Marabaixo começa neste domingo no Laguinho

Começa neste domingo, 24, no bairro Laguinho, o Ciclo do Marabaixo 2011, na casa da Tia Biló, marcando os festejos em homenagem à Santíssima Trindade e  Divino Espírito Santo.Homenageados há mais de duzentos anos por família amapaenses, os santos são festejados dentro da religião católica mas com o costume brasileiro de incluir  o lúdico, unindo às ladainhas e missa, rodadas de marabaixo e bailes dançantes. A programação inicia no Domingo de Páscoa e se prolonga até o Domingo do Senhor, após Corpus Crhisti, no dia 26 de julho. Constam ainda nos  festejos,  o corte dos mastros nas matas do Curiaú, levantar e derrubada dos mesmos com a participação de devotos, estudiosos e população em geral.

No Laguinho, local escolhido pela família de Mestre Julião Ramos para morar após a mudança das famílias que iniciaram o povoamento de Macapá do Centro, a bisneta Danniela Ramos dá continuidade à tradição. Ela preside a Associação Cultural Raimundo Ladislau que reúne mais de 100 integrantes de todas as idades comprometidos em não deixar a cultura amapaense se perder no tempo. Sob o comando da Tia Biló, única filha viva de Julião Ramos, ela e outros familiares e amigos se reúnem para organizar a festa que se eterniza com empenho e persistência da família Ramos.

“O mais importante é que hoje temos o reconhecimento e respeito das pessoas, tivemos que vencer muitas barreiras, na sociedade, com autoridades e até com a igreja, por falta de conhecimento da cultura, agora sofremos menos preconceitos e somos prestigiados, recebemos muitos convites, temos o apoio do Governo e a satisfação de ver jovens e crianças orgulhosos em usar saias e calça branca e colocar flor na cabeça”, fala Danniela. Ela foi uma das responsáveis por transformar o marabaixo do Laguinho em fonte de pesquisa e referência cultural.

O Governo do Estado é parceiro dos cinco festeiros do marabaixo em Macapá. Dois são do Laguinho, outros dois do bairro Favela e o quinto é no distrito de Campina Grande. Este ano a Secult (Secretaria de Cultura) vai investir R$ 80 mil para que as cinco famílias organizem a festa. A primeira parcela será paga esta semana, e a segunda no mês de maio. O Governo vai ainda construir uma maloca na Favela, que está sem local adequado para a festa.

O grupo Raimundo Ladislau foi o primeiro a realizar promoções para que o Ciclo não dependa unicamente do Governo do Estado. "Somos a favor do Governo ajudar, mas a cultura destes festejos têm hoje respeito e força para sobreviver ser depender totalmente do Estado", diz Danniela.

Neste domingo o Marabaixo da Ressurreição começa às 17:00, e a programação continua no dia 28 de maio com o corte dos mastros no Curiaú. Será distribuído caldo e gengibirra para os participantes.

Segue abaixo a programação:

24/04/2011--------- 17:00h -  DOMINGO DE PÁSCOA: MARABAIXO DA RESSURREIÇÃO -1º MARABAIXO.

28/05/2011--------- 09:00h -  SÁBADO DO MASTRO:  CORTE DO MASTRO NO CURIAÚ.

29/05/2011--------- 10:00h -  DOMINGO DO MASTRO: 2º MARABAIXO. Até meia noite.

01/06/2011--------- 17:00h - QUARTA-FEIRA DA MURTA DO DIVINO ESPíRITO SANTO: 3º MARABAIXO (Até o amanhecer do dia 02/06-QUINTA-FEIRA DA HORA: Levantação do Mastro do Divino Espírito Santo).

02/06/2011--------- 21:00h - 1º BAILE DOS SÓCIOS DO DIVINO ESPÍRITO SANTO.

03/06/2011--------- 19:00h - INÍCIO DAS NOVENAS DO DIVINO ESPÍRITO SANTO.

10/06/2011--------- 19:00h - INÍCIO DAS NOVENAS DA SANTÍSSIMA TRINDADE.

11/06/2010--------- 21:00h - 2º BAILE DOS SÓCIOS DO DIVINO ESPÍRITO SANTO.

12/06/2011-------- 07:00h - DOMINGO DO DIVINO ESPÍRITO SANTO- missa na Igreja de São Benedito, após a missa café da manhã na casa dA festeira;
16:00h - MURTA DA SANTÍSSIMA TRINDADE: 4º MARABAIXO (até o amanhecer do dia 13/06:Levantação do Mastro da Santíssima Trindade).

13/06/2011-------- 21:00h - 1º BAILE DOS SÓCIOS DA SANTÍSSIMA TRINDADE.

18/06/2011-------- 21:00h - 2º BAILE DOS SÓCIOS DA SANTÍSSIMA TRINDADE.
19/06/2011-------- 07:00h - DOMINGO DA SANTÍSSIMA TRINDADE- missa na Igreja de São Benedito, após a missa café da manhã na casa da festeira.

23/06/2011--------20:00h -  CORPUS CRHISTI - 5º MARABAIXO

26/06/2011--------17:00 - DOMINGO DO SENHOR -  Derrubada dos mastros, escolha dos festeiros do próximo ano e encerramento do Ciclo do Marabaixo 2011.

obs: seguem em anexo fotos do Ciclo 2010.

Mariléia Maciel
Assessora de Comunicação

16 de abr de 2011

Botequim do SESC

Nesta terça-feira (19.04) o Projeto Botequim do SESC apresenta o melhor da MPB com Sérgio Sales e convidados. Começa às 22 horas, no SESC Cnetro, av. Pe. Júlio Maria Lombaerd, esquina com a rua Gal. Rondon. Entrada franca.

14 de abr de 2011

II Semana do Desenho da Escola Candido Portinari

Dias 14 e 15 de abril (quinta e sexta) acontece a II Semana do Desenho do CEPAV Candido Portinari, evento em comemoração ao dia do desenhista. Aberto ao público (de todas as idades):

OFICINAS (quinta-feira e sexta-feira manhã, tarde e noite/ )
MOSTRA DE VÍDEOS (quinta-feira): Parceria SESC-AP
PALESTRAS (17h / sexta-feira)
CONCURSO DE DESENHO (resultado sexta-feira 19h)
EXPOSIÇAO DE ARTE (19h/ sexta-feira)
Av. Acelino de Leão, 926 - Trem

show de lançamento do CD Ciranda de Palhaços no Bacabeiras

Neste domingo, 17 de abril, às 18h, as crianças e adolescentes do Movimento Roda Ciranda estarão no palco do Teatro Bacabeiras, apresentando o show de lançamento do CD Ciranda de Palhaços. Buscando resgatar as antigas cantigas de roda, o Movimento Roda Ciranda, coordenado pelo músico Fernando Chaves, mistura de forma harmoniosa performances satíricas de palhaço, balé aéreo, malabares e equilíbrio com a simplicidade das brincadeiras de roda, ora lembrando ópera popular, ora espetáculo circense, enfatizando as cantigas de roda, num resgate do imaginário popular.

O espetáculo é voltado para a família, com muita alegria e a magia do circo comandado pela trupe de Palhaços, Alecrim, a Rosa, o Cravo e as Pastorinhas que cantarão todas as cantigas do CD. Mas antes do lançamento oficial, o grupo fará um pré-lançamento do CD Ciranda de Palhaços, nesta sexta-feira, 15 de abril, às 19h, no Centro Franco Amapaense, voltado aos patrocinadores e imprensa.

Projeto Movimento Roda Ciranda
Misturar o universo circense com as brincadeiras lúdicas é a proposta do projeto Movimento Cultural Roda Ciranda que surgiu em meados de 1999, com a implantação de um espaço permanente para realização de oficinas ligada as artes circenses envolvendo malabares, na comunidade do Goiabal, em Macapá.

Em 2002 a escola-circo se transferiu para o centro da cidade (em frente a Fortaleza São José de Macapá) onde instalou sua tenda e as aulas e espetáculos continuaram até o fim de 2006. No ano de 2007 a trupe se instalou na Escola Santa Bartolomea Capitaneo onde oferece aulas como complemento da grade curricular e proporciona ainda oficinas gratuitas para comunidade carente.

Serviço:
O lançamento CD Ciranda de Palhaços, acontecerá neste domingo, dia 17 de abril, às 18h, no Teatro das Bacabeiras. O CD no dia no lançamento será comercializado a R$ 20. O valor do ingresso será R$ 10, e a meia a R$ 5.

O pré-lançamento do CD acontece nesta sexta-feira, 15 de abril, às 19h, no Centro Franco Amapaense.

Contatos:
Fernando Chaves – coordenador do Movimento Roda Ciranda – 8116 4244
Pérola Araújo – Ass. de Imprensa – 9127 9591

12 de abr de 2011

Encontros Rumo à Cidadania Cultural

A Secretaria da Cidadania e Diversidade Cultural do Ministério da Cultura convida para os “Encontros Rumo à Cidadania Cultural. O Encontro é aberto à participação dos diversos segmentos da sociedade - artistas, produtores e gestores, coletivos e grupos do setor cultural, veículos de comunicação e universidades, em especial, participantes dos Programas Cultura Viva e Brasil Plural.

O objetivo principal é apresentar propostas e refletir sobre caminhos para as políticas públicas no campo da cidadania e da diversidade cultural da nova Secretaria – resultado da fusão das Secretarias de Cidadania Cultural (SCC) e Identidade e Diversidade (SID) do Ministério da Cultura.

Os encontros também se propõem a ampliar o diálogo com fóruns e dirigentes de cultura de estados e municípios de todo o país, com objetivo de fortalecer as ações e progra - mas já existentes, repactuar estratégias e iniciar futuras parcerias.

Segue abaixo a relação de datas e locais dos “Encontros Rumo à Cidadania Cultural”. Essa agenda é uma primeira etapa de encontros com a sociedade, uma nova fase será organizada a partir de junho chegando aos demais estados da federação.

Outras informações estarão disponíveis no site www.cultura.gov.br e nas Representações Regionais do Ministério da Cultura.


Calendário dos encontros:

Abril 2011

Dia 7: Belo Horizonte, Minas Gerais.
Dia 12: Salvador, Bahia.
Dia 14: São Paulo, São Paulo.
Dia 15: Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.
Dia 19: Florianópolis, Santa Catarina.
Dia 20: Porto Alegre, Rio Grande do Sul.


Dia 10: Belém, Pará.
Dia 17: Recife, Pernambuco.
Dia 24: Goiânia, Goiás.
Dia 31: Manaus, Amazonas.

Ministério da Cultura
Secretaria da Cidadania e Diversidade Cultural
Representação Regional Minas Gerais

Maio 2011

Seminário "Rede de Escritores Iniciantes"

O grupo ABEPORÁ DAS PALAVRAS  realiza o Projeto REDE DE ESCRITORES INICINTES DO AMAPÁ   através de encontros mensais e ações descritas em nossas metas para atuar na formação e no empoderamento desse segmento, com o objetivo de Congregar escritores iniciantes em torno de diálogos permanentes sobre/para/na literatura, especialmente a amazônica.
Se você quer fazer parte dessa Rede venha para o nosso Seminário
Se você conhece alguém que escreve, envie esse e-mail

SEMINÁRIO "REDE DE ESCRITORES INCIANTES"
DIA: 15/04/2011
LOCAL: Auditório da UEAP
Campos II
HORA: 08h00minh

·    Credenciamento
08h00min às 09h00min

·    Apresentação do Projeto 09h00min

·    Vídeo: Poetas do Amapá
09h30min

·    Intervalo
09h40min

·   Palestra: “A Construção de novos caminhos para a poesia no Amapá”
    10h00min às 09h00min
CONSELHO DE CULTURA (A CONFIRMAR)
SECULT (A CONFIRMAR)

ABEPORÁ DAS PALAVRAS –
POETA CARLA NOBRE

TATAMIRÔ (A CONFIRMAR)

MOVIMENTO LITERÁRIO EXTREMO NORTE - POETA PARAENSE RUI DO CARMO

·   Apresentação do cronograma de 2011 para as atividades da Rede

VALOR DA INSCRIÇÃO: 5,00 (a ser pago no dia do evento)
QUEM ENVIAR A FICHA DE INSCRIÇÃO PARA O E-MAIL abeporadaspalavrasap@hotmail.com, RECEBE O CERTIFICADO NO MESMO DIA DO EVENTO E GANHA TEMPO NO CREDENCIAMENTO

 
SAUDAÇÕES LITERÁRIAS E TUCUJU
CARLA NOBRE
www.carlapoesia.recantodasletras.com.br
PROGRAMAÇÃO

SESC Centro fará lançamento do filme Sem Sinal

Acontecerá no dia 26 de abril às 19h no SESC Centro o lançamento do curta metragem – Sem Sinal – do diretor amapaense Alexandre Magno.

O curta conta a estória de um grupo de adolescentes que resolvem passar um final de semana em uma casa na beira do lago, chegando ao local um dos jovens que compunham o grupo é encontrado morto, então o restante dos adolescentes se trancam dentro da casa e precisam encontrar uma maneira de escapar do assassino.
Após a exibição do curta, será aberto espaço para debate a respeito da produção, o que possibilitará a interação entre estudantes, produtores e pesquisadores ligados ao campo da comunicação social e das artes, buscando fortalecer o circuito audiovisual no Estado do Amapá.

--
Thainá Rodrigues
Assessoria de Comunicação e Marketing - ASCOM
SESC Amapá

8 de abr de 2011

A casa de Maria

A casa de Maria se ergue lentamente, esteio por esteio, moldura de esperança no céu pinicado de estrelas miúdas. É noite sem luz elétrica e o firmamento asserenado espia do alto o silêncio se formar no bairro novo, distante do barulhento modo de viver da cidade. Ainda é assim naquela rua de chão empoeirado, onde a pequena moradia cria jeito de morada.
O vento se mudou pra lá junto com Maria e os seis meninos. Faz o lugar parecer um sossego, convidando a gente a ficar. Naquela hora da noite os sons parecem brincar de pira-esconde: o latido do cão invisível, o miado de um gato esgueirado pela sombra, o farfalhar delicado de uma árvore adolescente. Todo silêncio preenchido de pequenos sons de vida simples é abençoado.
Maria tem uma força intangível, expressa na verdade incontida do seu olhar. Protege e guia aqueles meninos e meninas com o bastão mágico do amor que não reconhece a fronteira da pobreza. Suas asas morenas e magras abraçam mesmo aquele que já se foi, o menino mais velho levado pelo tráfico. Na porta improvisada de tábuas está riscado com a tinta da saudade o nome dele.
De dia Maria faz diárias como doméstica quando aparece, de noite pedala uma lonjura sem par até a escola para concluir o ensino supletivo. E sorri! Tem mesmo um sorriso limpo, quase alegre, não fossem as linhas de tristeza que um olhar mais detido consegue perceber em seu rosto. Talvez porque consiga, com naturalidade contagiante silenciar, agradecer e mover-se na direção do fazer.

Juliele trará Luiz Melodia para o próximo Baile Livre, Leve e Solto

SUCESSO NO PRIMEIRO BAILE LIVRE, LEVE E SOLTO
DE JULIELE REALIZADO FORA DO AMAPÁ
Cantora se apresentou sábado na Assembleia Paraense (Belém)
com participação especial de Evaldo Gouveia
 
Juliele realizou a primeira edição de seu já consagrado projeto - o Baile Livre, Leve e Solto - fora de Macapá. Foi em 2 de abril, sábado passado, na Boate Aquarius da Assembleia Paraense, em Belém (PA). Acompanhada por sua banda, mais a presença do percussionista Kleber Benigno (do Trio Manari), a cantora amapaense colocou todos para dançar ao som de músicas que farão parte de seu segundo CD, em especial os clássicos bregas "Amor Amor" e "Quando Chegar o Amanhã".

Este foi também o primeiro Baile em que Juliele contou com a direção de Túlio Feliciano, um dos mais premiados diretores de espetáculos musicais do Brasil, que já trabalhou com artistas do porte de Grande Otelo, Caetano Veloso, Paulinho da Viola, Martinho da Vila, Dona Ivone Lara, Chico Buarque, Alcione, Beth Carvalho, Jamelão, Ney Matogrosso, Milton Nascimento, Djavan, Elba Ramalho, Nara Leão, Edu Lobo, Dominguinhos, Erasmo Carlos, Trio Manari e muitos outros - além de ter dirigido shows da própria Juliele quando do lançamento de seu primeiro CD, entre 2007 e 2008.
 
Feliciano chegou a Macapá na segunda, 28 de março, e dirigiu os ensaios de Juliele e banda entre o dia seguinte e a sexta-feira, véspera do Baile em Belém. Pela manhã, aconteciam ensaios com a cantora e os músicos; à tarde, Feliciano ensaiava apenas Juliele, utilizando um play back com os arranjos do diretor musical Manoel Cordeiro. Os resultados já se fizeram sentir. Juliele dançou mais em cena, parecia estar mais solta, mais à vontade que no Baile anterior, realizado em Macapá em 3 de março. O repertório também apresentou novidades, como a inclusão do clássico samba "Você Abusou".

O convidado do primeiro Baile em Macapá, que aconteceu em 28 de janeiro, também esteve presente na estreia do projeto em Belém: o cearense Evaldo Gouveia, 82 anos. Um dos maiores compositores brasileiros em atividade - é dele a inédita "Filha de Iemanjá", com a qual Juliele abriu este show em Belém -. Evaldo é autor de grandes sucessos, a maioria samba-canções ou boleros, que embalavam bailes semelhantes nos anos 1960 e 70. Tratam-se de clássicos da música brasileira, como "Alguém me Disse", "Sentimental Demais", "Bloco da Solidão" e "O Mundo Melhor de Pixinguinha", todos presença obrigatória em seus shows. O DJ Fabio Yamada também agitou a pista, antes do show de Juliele e após a participação de Evaldo Gouveia.
 
CD - Esta foi a última apresentação agendada de Juliele antes da finalização do segundo CD. Entre os dias 10 e 21 de abril, a cantora estará no Rio de Janeiro para gravar a 14ª faixa do álbum, intitulado provisoriamente Balé de Luz, e realizar a mixagem. Evaldo Gouveia já manifestou a intenção de estar presente para acompanhar esta fase da produção do disco. A previsão de lançamento é ainda para o primeiro semestre de 2011.
 
Próximo Baile - O próximo Baile Livre, Leve e Solto em Macapá já tem confirmação de data e participação especial: será no dia 6 de maio, uma sexta-feira, com a presença de Luiz Melodia.
 
Contatos para entrevistas:
Juliele
 
Assessoria de Imprensa Som do Norte
Fabio Gomes
91-8279-7680

Monólogo "Sem dizer adeus" no Teatro Porão do Sesc Araxá

O Projeto Vamos Comer Teatro exibe o espetáculo "Sem dizer adeus", um monólogo que trata da reinvenção da vida por uma mulher que viveu um amor sem limites, e que sobrevive no limiar da loucura após o abandono pelo homem amado. Um mergulho profundo no sofrimento, onde a alma feminina é virada do avesso, num texto cuja dramaticidade envolve o espectador em clima de poesia e angústia, de compaixão e cumplicidade com a solidão da personagem. A pesquisa para a composição do texto foi realizada em trabalhos dos autores Ferreira Gullar, Florbela Espanca, Torquato Neto, Arnaldo Jabor e Herbert Emanuel.

FICHA TÉCNICA:
Direção: Paulo Alfaia
Concepção e encenação: Rosa Rente
Iluminação: Sandro Brito
Figurino: Andrea Lopes
Cenário: Joe Rente
Sonoplástia: Maestro Ribeiro
Filmagem: Márcia Lília do Livramento
Edição de Imagens: Anderson Pantoja
Foto: Toru Onuka
Duração: 40 minutos
Classificação: 14 anos

SERVIÇO:
Espetáculo "Sem dize adeus"
Grupo: Quimera CIA. de dança-AP
Local: Teatro Porão – SESC AP
Período: Sextas e sábados de abril
Hora: 20h
Ingresso: R$ 10,00 inteira e R$ 5,00 meia

Exposição da UEAP mostra serviço de apoio ao estudante com deficiência

O Dia 08 de abril, pela primeira vez comemorado no Brasil como Dia Nacional do Sistema Braille, será prestigiado pela Unidade de Educação Inclusiva (UEI) da Universidade do Estado do Amapá (UEAP) com uma exposição que mostrará as ações realizadas pela universidade em prol da assistência na formação acadêmica do estudante com deficiência visual. A exposição acontecerá no hall de entrada do campus I, de 8h30 às 12h e de 14h às 18h. Serão apresentadas ferramentas tecnológicas, como software e impressora, recursos didáticos, entre os quais materiais específicos que atendem a cada disciplina, como tabelas, livros e apostilas.

A política de educação inclusiva da UEAP garante reserva de 5% do número de vagas no vestibular para candidatos com necessidades especiais. As deficiências mais comuns entre os candidatos são: física, auditiva e visual, incluindo a baixa visão. Outras formas de inclusão também acontecem por meio das cotas para indígenas (5%) e afrodescendentes (percentual equivalente ao do número de inscritos na cota).

Atualmente, a UEAP presta assistência estudantil a 12 acadêmicos, dos quais 08 são deficientes auditivos e 04 são deficientes visuais.

Informações de Keila Gibson
ASCOM-UEAP

Programação do Cine-clube Cinema Paraíso para este final de semana

Sala João XXIII, Largo dos Inocentes.
Sexta às 19 hs e domingo às 20 hs.

7 de abr de 2011

Show “Branca no Samba”,de Ana Martel, acontece nesta sexta-feira

Quem ainda não garantiu o seu, é melhor se apressar. As entradas para o show da cantora Ana Martel, que acontece sexta-feira a partir das 22h30 na Casa de Show Ceará da Cuíca, já estão quase esgotadas.

O Show Branca no Samba é marcado por repertório mesclado de composições de sambistas renomados da música brasileira e promete o mesmo sucesso dos dois shows anteriores. "Quem não viu, vai ver que nunca levou fé”, canta Ana Martel na música que dá nome ao show, uma composição de Biratan Porto, Paulo Moura e Marcelo Sirotheau.
               
Para completar a performance, a banda-base é formada pelos músicos Huan Moreria (percussão) Ian Moreira (contrabaixo) Higo Moreira (cavaquinho) Valério de Lucca (bateria), Mexicano (violão) e Juninho (Teclado).

Ana Martel é amapaense, começou sua carreira cantando em bares de Macapá e Belém acompanhando outros músicos ou em apresentações individuais. Ana revela-se neste show, uma intérprete madura e antenada com o que há de novo no samba brasileiro. “Gosto de passar para o público, o carinho com que faço cada trabalho. Adoro ver nos olhos das pessoas o brilho de felicidade porque é isso que importa para o artista: fazer naquela hora as pessoas felizes”, afirmou a cantora.

ANA MARTEL
Show sexta-feira, 8 de abril, às 22h30, na Casa de Chorinho Ceará da Cuíca. Final da Rua Jovino Dinoá. Ingressos Individual R$ 15e R$ 60 a mesa.

Contatos:
Sonia Canto: 8138-9690 / 9149-9536
Assessoria de Comunicação
Alyne Kaiser: 9111-1916 / 84030400 / 81110400

Festival de “ladrões” vai premiar compositores e comunidades do Marabaixo

Os tambores vão soar no Centro de Cultura Negra, dias 8, 9 e 10 de abril, trazendo novas composições para a manifestação tradicional do Marabaixo. O I Festival de Ladrões de Marabaixo é uma realização da Confraria Tucuju, através de convênio com o Ministério da Cultura, que está movimentando as comunidades negras do estado. Os ladrões são versos que contam a história do cotidiano dessas comunidades e representam um tesouro cantado da cultura imaterial.
Foram inscritas 41 composições oriundas das mais diversas regiões do Amapá. Após triagem, 20 composições participarão do Festival. Os dois primeiros dias serão de eliminatórias, de onde sairão 10 composições para a final no domingo (10). A premiação do evento é um atrativo a mais, R$ 20 mil em prêmios, sendo que parte desse valor será destinado às comunidades de onde partiram os compositores.
“Precisamos resgatar o sentido de comunidade no Marabaixo, por essa razão privilegiamos na premiação as regiões onde a manifestação acontece. Não é apenas o (a) compositor (a) que interessa ao Festival, mas ele (a) inserido (a) no contexto cultural que abrange sua criação”, disse o idealizador do projeto, Zezinho Duarte.
Para a presidente da Confraria Tucuju, Telma Duarte, “a disputa deve ser saudável, contribuindo para a união das comunidades. A divisão dos grupos, sem unidade na ação em benefício da causa, pode levar o Marabaixo para um gueto”. Para ela, “uma tradição que nasceu do sofrimento, unindo os negros nas senzalas, não pode ser transformada em palco de vaidades pessoais”.
A preocupação da Confraria Tucuju se justifica porque historicamente grupos e famílias passaram por cisões, dando origem e inúmeros outros grupos. No entanto, apesar do crescente aumento numérico, a unidade entre eles é precária. “O Marabaixo merece ter o  mesmo apoio que têm outras manifestações como o carnaval e a quadra junina. Mas, para isso, as comunidades precisam lutar juntas, deixando as disputas desagregadoras de lado”, enfatiza a presidente.
A primeira eliminatória terá representantes de Pirativa, Torrão do Matapi, Maruanum, Favela, Ilha Redonda e Laguinho. Na segunda eleiminatória concorrerão composições de Mazagão Novo, Curiaú, Mazagão Velho, Coração e Campina Grande. Para decidir quem leva os prêmios, uma comissão julgadora, composta por cinco integrantes de notório saber em cultura popular e Marabaixo, atribuirá notas para letra, música e apresentação. A premiação será assim distribuída:

Classificação
Compositor (a)/Grupo
Comunidade
Total
1˚ Colocado
R$ 5.000,00
R$ 2.500,00
R$ 7.500,00
2˚ Colocado
R$ 4.000,00
R$ 1.500,00
R$ 5.500,00
3˚ Colocado
R$ 3.000,00
R$ 1.000,00
R$ 4.000,00
Melhor apresentação
R$ 2.000,00
R$ 1.000,00
R$ 3.000,00
Total
R$ 14.000,00
R$ 6.000,00
R$ 20.000,00