7 de abr de 2011

Festival de “ladrões” vai premiar compositores e comunidades do Marabaixo

Os tambores vão soar no Centro de Cultura Negra, dias 8, 9 e 10 de abril, trazendo novas composições para a manifestação tradicional do Marabaixo. O I Festival de Ladrões de Marabaixo é uma realização da Confraria Tucuju, através de convênio com o Ministério da Cultura, que está movimentando as comunidades negras do estado. Os ladrões são versos que contam a história do cotidiano dessas comunidades e representam um tesouro cantado da cultura imaterial.
Foram inscritas 41 composições oriundas das mais diversas regiões do Amapá. Após triagem, 20 composições participarão do Festival. Os dois primeiros dias serão de eliminatórias, de onde sairão 10 composições para a final no domingo (10). A premiação do evento é um atrativo a mais, R$ 20 mil em prêmios, sendo que parte desse valor será destinado às comunidades de onde partiram os compositores.
“Precisamos resgatar o sentido de comunidade no Marabaixo, por essa razão privilegiamos na premiação as regiões onde a manifestação acontece. Não é apenas o (a) compositor (a) que interessa ao Festival, mas ele (a) inserido (a) no contexto cultural que abrange sua criação”, disse o idealizador do projeto, Zezinho Duarte.
Para a presidente da Confraria Tucuju, Telma Duarte, “a disputa deve ser saudável, contribuindo para a união das comunidades. A divisão dos grupos, sem unidade na ação em benefício da causa, pode levar o Marabaixo para um gueto”. Para ela, “uma tradição que nasceu do sofrimento, unindo os negros nas senzalas, não pode ser transformada em palco de vaidades pessoais”.
A preocupação da Confraria Tucuju se justifica porque historicamente grupos e famílias passaram por cisões, dando origem e inúmeros outros grupos. No entanto, apesar do crescente aumento numérico, a unidade entre eles é precária. “O Marabaixo merece ter o  mesmo apoio que têm outras manifestações como o carnaval e a quadra junina. Mas, para isso, as comunidades precisam lutar juntas, deixando as disputas desagregadoras de lado”, enfatiza a presidente.
A primeira eliminatória terá representantes de Pirativa, Torrão do Matapi, Maruanum, Favela, Ilha Redonda e Laguinho. Na segunda eleiminatória concorrerão composições de Mazagão Novo, Curiaú, Mazagão Velho, Coração e Campina Grande. Para decidir quem leva os prêmios, uma comissão julgadora, composta por cinco integrantes de notório saber em cultura popular e Marabaixo, atribuirá notas para letra, música e apresentação. A premiação será assim distribuída:

Classificação
Compositor (a)/Grupo
Comunidade
Total
1˚ Colocado
R$ 5.000,00
R$ 2.500,00
R$ 7.500,00
2˚ Colocado
R$ 4.000,00
R$ 1.500,00
R$ 5.500,00
3˚ Colocado
R$ 3.000,00
R$ 1.000,00
R$ 4.000,00
Melhor apresentação
R$ 2.000,00
R$ 1.000,00
R$ 3.000,00
Total
R$ 14.000,00
R$ 6.000,00
R$ 20.000,00

4 comentários:

desclassificaveis disse...

Gostariamos de parabenizar "A Confraria Tucuju" pela excelente inicitiva de celebrar o "Festival de Ladroões", pela sua organização e valorização das manifestações culturais
afro-amapaenses.E,sobretudo pelo empenho com que são abordadas e idealizadas as ações de reconhecimento da produção artistico-culturais desta cidade e da região Amazônica.
Paulo Alfaia (Integrante do Movimento Cultural Desclassificaveis)

desclassificaveis disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
desclassificaveis disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
desclassificaveis disse...
Este comentário foi removido pelo autor.