31 de mai de 2009

O aguardado CD do paraense Walter Bandeira


Macapá: Projeto Botequim do SESC

Projeto Botequim, nesta terça - feira (02) no SESC Centro
Show de Paulinho Bastos e convidados, tocando e cantando o melhor da Música Popular Brasileira.
O SESC Centro Fica na Rua General Rondon, esquina com Av. Padre Julio.
Entrada Franca.
Bebeto Nandes

Prêmio Funarte Carequinha de Estímulo ao Circo


Estão abertas as inscrições para o Prêmio Funarte Carequinha de Estímulo ao Circo, premiação criado pela Fundação Nacional de Artes (Funarte) para apoiar companhias, empresas, associações, trupes ou grupos circenses que queiram adquirir equipamentos, produzir espetáculos, realizar pesquisas, promover mostras e festivais ou homenagear artistas que tenham contribuído para o desenvolvimento do circo.

O processo seletivo está aberto a projetos e proponentes de todas as regiões brasileiras. Ao todo, R$ 2,7 milhões serão distribuídos em prêmios; 103 proponentes serão beneficiados. O investimento total é de R$ 2,9 milhões.

Interessados em participar do concurso devem enviar seus projetos até o dia 26 de junho de 2009, via Correios, para a Coordenação de Circo da Funarte. A seleção será realizada por uma comissão composta por cinco especialistas em arte circense, um de cada região do país. A análise levará em consideração a excelência artística do projeto, a qualificação dos profissionais envolvidos, a diversidade da produção circense brasileira e a viabilidade das ações propostas.

Para acessar o edital completo, Mais informações podem ser obtidas através do e-mail edital
circo@funarte.gov.br ou pelo telefone (21) 2279 8034.

Colaboração Maikon Richardson

I Prêmio Cultural Loucos pela Diversidade

O Ministério da Cultura, em parceria com o Ministério da Saúde e a Caixa Econômica Federal (CEF) publicaram no Diário Oficial da União (DOU) o edital do I Prêmio Cultural Loucos pela Diversidade 2009 - Edição Austregésilo Carrano.

Serão premiadas 55 iniciativas, divididas entre quatro categorias. A primeira destinará sete prêmios para instituições públicas que atuam na interface Saúde Mental e Cultura; na segunda oito prêmios serão destinados para organizações da sociedade civil, instituições privadas, entidades e associações sem fins lucrativos. A terceira categoria reservará 20 prêmios a grupos de pessoas sem vínculo institucional que tenham ou tenham tido vínculo como usuários de instituições ou serviços de saúde mental que desenvolvam atividades artístico-culturais.

As 20 premiações restantes serão destinadas para pessoas em sofrimento psíquico que tenham ou tiveram vínculo com instituições ou serviços de saúde mental que desenvolvam atividades artístico-culturais individualmente.

Nas categorias em que a premiação será destinada a instituições ou grupos de pessoas o valor será de R$ 15 mil, já para o prêmio individual o repasse será de R$ 7,5 mil. Cada candidato poderá inscrever-se em somente uma categoria e com até três iniciativas artísticas culturais.

Comunicação SID/MinC

Edital Rumos Itaú Cultural

Estão abertas as inscrições para o programa Itaú cultural. O programapossui as seguintes categorias: arte cibernética, jornalismo cultural,cinema & vídeo e dança.O limite para se inscrever no programa é até odia 5 de junho.

Em atividade desde 1997, o Rumos Itaú Cultural é um programa de apoioà produção artística e intelectual sintonizado com a criatividadebrasileira. Rumos colabora para o fomento e o desenvolvimento decentenas de obras e de artistas das mais variadas expressões e regiõesdo país - de músicos e cineastas do Norte a escritores, coreógrafos eartistas plásticos do Sul; de jornalistas e pesquisadores do Nordestea educadores do Sudeste.

Mais informações no site do programa:
www.itaucultural.org.br


Igor Reale - Coletivo Palafita, link ao lado

30 de mai de 2009

Que tal nos amarmos?


Que tal nos amarmos
Assim, de trás pra frente?
Como se o tempo fosse
Uma lógica ora inexistente.
Ontem, nos despediremos com desprezo
Hoje, nos amamos com desejo
E amanhã, nós nos quisemos ainda em segredo.

Augusto Oliveira


(Imagem: Joseph Hancock)

Sobre sombras


"Onde o amor impera,
não há desejo de poder;
e onde o poder predomina,
há falta de amor.
Um é a sombra do outro."


(Carl Gustav Jung)

28 de mai de 2009

Agenda de shows de Zé Miguel

Junho
Dia 05 – Confraria Tucuju – Semana do meio ambiente
Dia 10 – Escola Lucimar Amoras Del Castilho
Dia 11 – Teatro das Bacabeiras (dentro do evento de entrega do premio Nossa Gente)
Produção Rudá Nunes
Informações 8117 5757Dia 19
Julho
Dia 03 – Choperia da Lagoa - Show com a Cantora Italiana Mafalda Minnozzi
Produção Araciara Macedo
Informações 8129 7343 e 9971 9769
Dia 10 – Manaus, Lançamento do CD Palco Brasil canta a Amazônia
Dias 15 e 16 – Apresentação especial dentro do show Rios da minha Aldeia - 61ª. Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) que este ano se realizará em Manaus entre 12 e 17/07/09, sob o tema “Amazônia – Ciência e Cultura”
Informações: Chico Terra

Piedade Videira lança livro em Macapá


Lançamento da Série DOCTV IV no Amapá

No dia 5 de junho será lançada em Macapá a série DOCTV IV, que exibirá semanalmente 55 documentários dentro da grade de programação das TVs Públicas e nos espaços alternativos, produzidos nesta edição do IV Programa de Fomento à Produção e Teledifusão do Documentário Brasileiro – DOCTV.

Mais do que destinar recursos, O DOCTV acompanha todas as etapas de produção dos filmes. Por isso em suas edições anteriores nenhum documentário deixou de ser realizado ou exibido. O programa já se desdobrou numa versão para a América Latina, o DOCTV Iberoamérica e a versão para os países de Língua Portuguesa, o DOCTV CPLP em fase de seleção.

Durante o evento de lançamento, as 19h30 no Teatro das Bacabeiras, será exibido o documentário vencedor da quarta edição no Amapá: "Simãosinho Sonhador" que conta de forma lírica a história de vida do poeta de cordel Simão Alves de Sousa, um homem de setenta e seis anos que chegou à espantosa venda de quase 17 mil livros em Macapá em sete anos e quatro edições: o ABC da Mulher, uma homenagem simples e tocante àquelas que ele considera a mola que move o homem e seus sonhos.

E foi o jeito simples e ao mesmo tempo preciso de escrever desse poeta, e a alegria com que ele encara o desafio de viver vendendo livros e relógios, que inspiraram o roteirista e diretor Manoel do Vale a produzir um filme de fôlego e poesia, que encanta com sua fotografia delicada, de luz suave em cenas tão reais que parecem oníricas, retrato de uma cidade e seus artistas populares. Rodado na Comunidade Quilombola do Curralinho, Circo Roda Ciranda, armado no Colégio Santa Bartolomea e no bairro Novo Horizonte o documentário levou quatro meses para ser produzido e finalizado.

“O Doctv é a chance que a gente tem de mostrar o que sabe fazer de melhor no campo do audiovisual, principalmente num Estado como o Amapá onde os recursos são escassos e não há uma política cultural que permita o acesso aos recursos de forma mais direta”, diz o diretor Manoel do Vale, que acredita ter alcançado o objetivo desejado com o documentário Simãosinho Sonhador ao de reunir artistas populares de reconhecido talento para quem os recursos e patrocínios são mais fáceis e constantes.

Manoel do Vale
Paraense, nascido na cidade de Belém, desde sua adolescência Manoel do Vale já demonstrava interesse pela literatura e as artes. Sua familiaridade com a criação literária lhe rendeu o emprego de redator publicitário, profissão que exerce até hoje. Cursou licenciatura em Letras na UFPA.

Em Macapá, onde mora há onze anos, trabalhou em diversas agências de propaganda e hoje é dono da Ânima Comunicação. Como documentarista Manoel do Vale coleciona alguns prêmios conseguidos com seus trabalhos em Macapá, dos quais se destacam a Medalha de Ouro no prêmio Colunistas Norte/Nordeste; prata no prêmio Centro de Outdoor e com o vídeo “Polícia Cidadã” vencedor do prêmio Dubai de Melhores práticas, nos Emirados Árabes.

No Amapá a Série DOCTV IV será exibida na Sala da Imagem e do Som do Teatro das Bacabeiras, toda terça e quinta-feira às 12h a partir do próximo dia 09 de junho e no Sesc/Araxá toda quarta-feira às 19h a partir de 10 de junho.

Informações de Ana Vidigal

27 de mai de 2009

Questão de tempo

Não era o tempo do verbo que a entristecia.
Mas, o tempo da espera, dos adiamentos.
Tempo da imprecisão, das incertezas.
Foi então que fechou a porta do tempo,
E aquietou a tristeza no escuro do pátio
À espera da chuva e do vento,
Que lhe trouxessem algum discernimento.
Disse-lhe a chuva, sábia de melancolias,
Que deixasse mesmo por conta do tempo.
Soprou-lhe o vento, varredor de pensamentos,
Que tirasse férias do contar das horas
E escutasse com cuidado a voz do sentimento.

25 de mai de 2009

Belém: XXII Festival Internacional de Música do Pará homenageará a França

Com o tema 'Liberdade, Igualdade e Fraternidade', o XXII Festival Internacional de Música do Pará homenageará a cultura francesa, por ser 2009 o ano da França no Brasil. O evento, promovido pela Fundação Carlos Gomes ocorre de 31 de maio a 6 de junho. Segundo o regulamento do festival, o repertório apresentado pelos candidatos deverá conter, no mínimo, uma obra de compositor francês, assim como abordagem dos demais temas-eixos: Música e Responsabilidade Social, Ecologia e Meio Ambiente e o resgate de composições paraenses do final do século XVIII até o final de 1950.
- É um evento que se destaca pela diversidade de gêneros musicais, que vai do popular ao erudito. Estabelecemos um regulamento para democratizar o acesso às pautas do evento, que está sendo realizado num momento de adversidade no mundo financeiro porque o governo do Estado decidiu mantê-lo', ressaltou Daniel Araújo, titular da Fundação Carlos Gomes.Este ano, serão apresentados em torno de 40 concertos durante uma semana de festival, com uma proposta de transmitir a abertura para cinco municípios paraenses por meio de videoconferência.
A abertura oficial será no Theatro da Paz no domingo (31), a partir das 20h30, com a apresentação da Orquestra Amazônia Jazz Band. A programação conta com o apoio das Secretarias de Estado de Cultura (Secult), de Esporte e Lazer (Seel), e de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia (Sedect), Fundação Curro Velho, Rede Cultura de Comunicação, Museu da Imagem e do Som (MIS), Sistema Integrado de Museus (SIM), Iesam, Spazzio Verdi e Projeto TIM Música.

Fonte: Agência Pará - AL

Rio Branco: Exposição Momentos da artista plástica Iraci Dourado

A Galeria Juvenal Antunes apresenta a exposição Momentos, da artista plástica Iraci Dourado. Sua linguagem visual aborda desde o surrealismo, ao figurativo e o abstrato, expressando também a religiosidade e a maturidade em suas telas.

Quando: De segunda a sexta-feira, das 8h às 20h; e nos sábados, domingos e feriados, das 16h às 20h
Quanto: Entrada franca
Onde: Galeria de Arte Juvenal Antunes
(Rua Senador Eduardo Assmar, nº 1291, Calçadão da Gameleira), Rio Branco / AC

Rio Branco: Desenhos e Aquarelas

Ilo Krugli, artista plástico teatral, diretor do Teatro Ventoforte e um dos pioneiros, no Brasil, na arte-educação, realizador de experiências inovadoras com crianças, jovens e adultos, expõe até o fim de maio seus Desenhos e Aquarelas.


Quando: De 16 a 31 de maio, das 8 às 12 horas e das 14 às 21 horas
Quanto: Entrada franca.
As escolas que quiserem agendar visitas, podem ligar no telefone 3224-6890
Onde: Teatro Plácido de Castro
(Av. Getúlio Vargas, nº 2.073 – Vila Ivonete), Rio Branco/AC

Precisar, não precisava...

Um copo de caipirinha girando o gelo diante do olhar e o cheiro do limão misturado ao açúcar desfazendo-se no torpor da cachaça. Em volta do copo burburinho de gente conversando de tudo, vozes povoando a noite úmida de poucas estrelas com sentidos que não lhe cabiam no entender. Não sabia bem por onde começar, que seu corpo reagia mal à bebida. Mas era uma alegria fugaz e instantânea que buscava.

Precisar não precisava, que no terreno das precisões pisava firme por dentro do saber pisar. Mas queria, e era uma urgência por aquela alegria que sorveu o primeiro gole de olhos fechados, deixando vir primeiro o azedo do limão, depois o doce do açúcar e por fim a anestesia da cachaça que formigava seus ombros levemente. Curava por hora a timidez dos olhares, sorria por dentro uma euforia que dançava ainda sutilmente seus primeiros passos, pedindo mais.

O primeiro copo devolveu-lhe o sorriso aberto, a conversa despreocupada, os movimentos levemente mais sensuais. Poderia permanecer assim a noite inteira. Mas ainda era o querer fugaz e impositivo que lhe inquietava os sentidos. Olhava em volta e não via. Buscava no entorno e não encontrava. Fugia o pensamento para longe e de tão longe que era retornava com as mãos vazias.

Entre uma conversa e outra, das quais sequer lembrava o conteúdo minutos depois, pediu o segundo copo. Desafiava o se expor, aquilo que mais temia. Estranha dança, um descompasso entre o que era e o que pretendia. E nem sabia o que era, muito menos o que pretendia. Apenas bebia com alguma ansiedade o que lhe traria mais efêmera alegria. Era então mais riso, mais sensualidade e já alguma desarmonia.

A música, a noite de raras estrelas, o desafio de se desafiar, os pensamentos desencontrados da tão idolatrada razão, um caldeirão que expelia fogos de artifício, tão coloridos e de tão pouca duração. Tudo isso e mais um copo, o terceiro que haveria de ser o último. Era então a festa em si. Juntava-se aos demais em crescente contágio de alegria. Gritava por dentro dane-se à sua própria opinião.

E de vez que o último copo nunca é o último, pediu o quarto e derradeiro. A ele misturou, como alquimista de si, componentes a mais. Um elixir de aplacar solidão, gotas para anestesiar desilusões, chá de acelerar o tempo, bálsamo de enganar sofrimentos e um comprimido para prevenir as náuseas do corpo e da alma, que se anunciavam para a manhã seguinte.

Olhou em volta, num sem olhar com firmeza, que já não conseguia, em busca de ver confiança. Tarde demais, coisa que devia ter visto antes, pelo recomendo da razão. Confiar mesmo não confiava, mas também não se importava e tinha um certo prazer em desafiar o caráter das pessoas. Avistou o amigo de longas datas e pediu com voz desajeitada. Se eu exagerar você me reboca para casa? Num riso complacente a afirmativa carinhosa. Claro que sim, e com todo cuidado.

Precisar, não precisava...

Filma Brasil

Trata-se de um concurso de roteiros nacional e totalmente online para curtas e médias.
As inscrições começaram no dia 1º de maio e seguem um processo bem simples.
Os usuários realizam cadastro, mandam o roteiro, junto com um vídeo preview, para a categoria escolhida e passam a concorrer aos prêmios de R$ 40.000,00 (curta) e R$ 70.000,00 (média).
Estes valores servirão para que os roteiros escolhidos sejam produzidos em FORMATO DIGITAL por seus idealizadores.
Ressaltamos que o tema desta edição é QUALIDADE DE VIDA.
Acesse o site
www.filmabrasil.com e confira o EDITAL.

Cronograma de atividades

De 1º de Maio a 31 de Julho – Inscrições
De 01 a 31 de Agosto – Seleção dos 100 melhores em cada categoria (público atribui notas pela Internet, média aritmética)
De 01 de setembro a 31 de outubro – Votação do público e dos jurados para escolha dos 10 melhores em cada categoria (nota ponderada, sendo público peso 1 e jurados peso 9)
De 01 a 30 de Novembro – divulgação dos 10 finalistas em cada categoria
05 de Dezembro - divulgação dos dois vencedores
Rogério Porto

24 de mai de 2009

Sucesso na primeira performance

Ela tem 33 anos e já dá o que falar pelo mundo das artes. Lídia Leal Lobato vem consolidando seu trabalho e nome no cenário artístico amapaense. Ganhadora do primeiro lugar, em performance, do 6º Salão de Artes do Sesc (Serviço Social do Comércio), concurso nacional promovido todos os anos pela instituição, a paraense mostra experiência, sensibilidade e conhecimento crítico social na criação de suas obras.
Elementos simbólicos são características marcantes em seus vídeos. “Procuro fazer com que as pessoas percebam, por meio desses elementos, aquilo que quero transmitir, pois além da beleza plástica da performance, passo uma mensagem em minhas obras e é isso que quero que o público entenda ao deparar-se com o meu trabalho”, explicou a artista.

Lídia foi professora substituta por dois anos no curso de Artes Visuais da Universidade Federal do Amapá (Unifap) e deixou o cargo para dedicar-se ao mestrado em Cultura Visual, na Universidade Federal de Goiás (UFG). “Minha meta principal em 2009 é a conclusão do meu mestrado, mas estou escrevendo, produzindo projetos, caso surja alguma proposta de trabalho. E ensinando, sempre, aprimorando meus alunos e aprendendo com eles”, afirmou Lídia.


Íntegra do texto no blog:


Performance Chama Contida, realizada no Festival Quebramar 2008 (AP).

Selva do romantismo na Amazônia

Este teatro, nesta cidade, é o lugar perfeito para se montar uma utopia.

É assim que o maestro francês Laurent Campellone define a montagem que dirige no Teatro Amazonas, em Manaus, a ópera Os troianos, do compatriota Hector Berlioz (1803-1869), tido como o maior expoente musical do Romantismo, nos dias 24, 26 e 28 de maio. Trata-se de um novo capítulo na história desse marco da ópera francesa, de montagem dificílima, com cinco horas e meia de duração, marcado por uma história de preconceito e esquecimento.
Gestada entre 1856 e 1862, estreou no Théâtre Lyrique de Paris, em 1863, sem os dois primeiros atos, cortados devido a necessidades orçamentárias.
Nas 21 récitas que se seguiram, o diretor do teatro, monsieur Carvalho, promoveu cortes que levaram à supressão de personagens, para desgosto do compositor, já bastante doente. Só em 1921, Paris assistiu a uma montagem total da ópera. Foram necessários 100 anos após a morte de Berlioz para que finalmente, em 1969, fosse publicada pela primeira vez a partitura completa da ópera, o que permitiu sua maior difusão pelos teatros internacionais.

Nada muito diferente do cenário que circunda essa estreia, motivada pelo Ano da França no Brasil e que faz parte do XIII Festival Amazonas de Ópera, realizado pela Secretaria de Cultura do estado com o Ministério da Cultura e o comissariado do ano francês.

– Precisei reestudar a ópera para adaptá-la ao nosso orçamento, já que tivemos que trabalhar com 40% menos do previsto no festival – afirma o diretor cênico, Caetano Vilela, 40 anos, ainda assim empolgado com a montagem.

Cavalo de Troia
A história é famosa: baseia-se na poema épico Eneida, de Virgílio, e conta como um cavalo de madeira foi usado pelos gregos para conquistar Troia, apesar das previsões da sacerdotisa Cassandra, tida como louca pelo seu próprio povo.

Depois, é narrada a saga deEnéas, que lidera a fuga dos troianos até a cidade de Cartago (hoje Tunísia), tendo em mente a fundação de uma nova terra – a Itália. À história que o emocionou desde sua infância, o compositor uniu também ecos de O mercador de Veneza, de Shakespeare, outra de suas paixões, para contar a paixão de Enéas pela rainha cartaginesa Dido.

– Antes eu queria fazer uma montagem mais eurocêntrica, com imagens de uma antiguidade grega desconhecida. Mas, como parte da história se passa na África, preferi trazer referências mais brasileiras, utilizando símbolos do candomblé – explica Vilela.

Estão nos papéis principais os americanos Michael Hendrick (Enéas, tenor), Marquita Lister (Cassandra, soprano) e a meio-soprano brasileira Luiza Francesconi (Dido).

Assim, o guerreiro Enéas é identificado com Xangô, e Dido, com Iansã. Além disso, durante boa parte do espetáculo, a maquinária e os técnicos do espetáculo são vistos, como expressão da desconstrução e da construção de uma cidade, diz o diretor cênico. Na partitura, nenhuma mudança.

– Quando recebi o convite de Luiz Fernando Malheiro, deixei claro que apresentaríamos a obra sem nenhum corte, exatamente como está na partitura. Estrear uma obra dessas é uma grande responsabilidade – conta o maestro Campellone, que afirma ter em Berlioz seu compositor predileto. – Ele simplesmente não se preocupa com questões técnicas ou com a plateia. Não liga se os sopros esperam 35 compassos, tocam duas notas e depois esperam mais 20 minutos. É como um pintor, que recorre aos tons de sua paleta com cuidado.

Latinidade à vista
Para o maestro, a criativa partitura representa um desafio para que a ópera se torne popular em seu próprio país, o que explica parte da história de negligência.

– Franceses são latinos. Por isso, gostamos tanto de música italiana, calcada na melodia e na beleza do uso da voz. Berlioz é incomum porque ele dá à voz e à orquestra o mesmo nível de importância.
Márvio dos Anjos
Jornal do Brasil

22 de mai de 2009

Belém: Companhia Teatral Nós Outros completa sete anos de atividades

Foram 10 (dez) espetáculos, prêmios estaduais e nacionais. O público veio até nós no Theatro da Paz, Teatro Waldemar Henrique, Teatro Maria Sylvia Nunes, Instituto de Artes do Pará e Instituto de Ciências da Arte. Fomos até o público em escolas, igrejas, centros comunitários da periferia e centro de Belém, Icoaraci, Ananindeua e Castanhal. Com O Uirapuru começamos um programa de cotas gratuitas de ingressos para crianças, jovens e adultos de projetos sociais para que (re)conheçam o Teatro como arquitetura, arte e ofício. E estamos, como em 2007, formando novos atores e atrizes.

E para comemorarmos esse aniversário apresentaremos dois de nossos trabalhos:

Dias 04 e 05 de junho de 2009 – Exercício Nº 01: O Homem do Princípio ao Fim, baseado no texto de Millôr Fernandes e dirigido por Adriano Barroso.
Teatro Waldemar Henrique, às 20 horas.

Dia 06 de junho de 2009 – O Uirapuru. Texto de Hudson Andrade e direção de Aníbal Pacha.
Teatro Waldemar Henrique, às 20 horas.

Dia 07 de junho de 2009 – O Uirapuru. Texto de Hudson Andrade e direção de Aníbal Pacha.
Teatro Waldemar Henrique, às 11 e às 20 horas.

Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do teatro, ao preço de R$ 10,00 (dez reais), com meia para estudantes. Ainda há vagas para o programa de formação de platéias.
Hudson Andrade
Diretor da Companhia Teatral Nós Outros
Belém / PA - Brasil

20 de mai de 2009

Abertas inscrições para o Festival da Canção de Itacoatiara

As inscrições para o Festival da Canção de Itacoatiara (Fecani) 2009 iniciam de 15 de maio até 31 de julho. Para comemorar 25 anos, a festa traz o tema " Festival dos Festivais", uma edição para escolher a melhor canção entre os vencedores das edições anteriores, além de premiar a melhor música deste ano.
Outra novidade do evento é a permissão para inscrever composições em língua espanhola, solicitação feita há mais de cinco anos por compositores de países vizinhos, como Peru, Bolívia e Venezuela.Para participar é necessário preencher a ficha de inscrição disponível no site www.fecani.com.br e nas Agências dos Correios de todo o Amazonas.
Portal Amazônia

Caetano Veloso se apresenta na Assembléia Paraense

Ingressos: Camarote: R$ 120,00 (meia) / R$ 240,00 (inteira)
Mesa: R$150,00 (meia) / R$ 300,00 (inteira)
Pista: R$ 50,00 (meia) / R$ 100,00 (inteira)
Vendas de Ingressos: Pátio Shoping, Castanheira, Braz, Central Motos e lojas Ponto.
Data: 23.05.2009
Local: Assembléia Paraense
Hora: 22h
Informações: (91) 3242 7766

Festival Quebramar na revista Bravo de maio

Por Heluana Quintas

A Música Independente do Amapá é notícia em veículos nacionais. Não é novidade fora do estado a emergente produção musical e organização das bandas independentes do Amapá. Reflexo desse crescimento é a posição do Coletivo Palafita na cena nacional independente, que responde como coletivo representante da região Norte, o chamado Ponto Fora-do-eixo desta região.
Reunidas numa organização informal, o Coletivo Palafita, as bandas locais tem trabalhado em projetos consistentes de interesse comum: articular uma cena nortista para difusão da música independente.

Estes projetos já comunicam expectativas excitantes. Não obstante às indicações a prêmios (a banda SPS12 foi indicada a “Banda Revelação”, e o Coletivo Palafita indicado a Categoria “Organizações” no Portal Dynamite), convites para a participação em eventos e matérias em veículos especializados (a banda Mini Box Lunar é matéria da Rolling Stone edição do mês de abril, assinada por Alex Antunes e participa com uma música na trilha do filme Augustas, do mesmo diretor de Cidade dos Homens; a Revista SenhorF escreveu várias vezes sobre a banda Stereovitrola, condecorando-a como sexto melhor EP em 2006; e a banda Marttyrium que participa de várias coletâneas pelo país como “Thekingdon of Metal Land, Extreme Union, e Gólgota Records, sendo matéria em revista especializada como: Extreme Brutal Death).

Agora a música amapaense pode também vislumbrar-se como um dos pontos sede da nova música brasileira com o Festival Quebramar. É o que diz a Bravo – edição do mês de maio/09. A matéria é assinada por José Flávio Jr. que contempla o Quebramar como o quinto Festival de Música mais promissor do país. A primeira edição do Festival ocorreu nos dias 05 e 06 de dezembro de 2008, com o incentivo da Secretaria de Cultura do Estado, Prefeitura de Macapá e muita mão-de-obra voluntária.

Isto porque o Coletivo Palafita e demais organizações do cenário independente brasileiro (Espaço Cubo - MT, Goma - MG, Lumo Coletivo – PE, Coletivo Catraia – AC, Massa Coletiva –SP e mais 32 coletivos integrados) reúne bandas, jornalistas, fotógrafos e produtores com um interesse comum: incentivar e divulgar a música autoral, e tornar sustentável a prática artística na região. Mas para saber mais sobre o que nos difere dos demais festivais só mesmo comprando a revista Bravo.


Coletivo Palafita
ACIAP (Ass.de Cultura Independente do Amapá)
www.coletivopalafita.blogspot.com
www.festivalquebramar.com.br

Belém: A bossa no tempo

18 de mai de 2009

Macapá: II Ciclo de Palestras sobre História da Arte

Projetos Educativos em Artes Visuais
Grupo de Pesquisa Estudos Sobre Arte Moderna em Macapá
Programação:
20 de Maio
(15:00 h as 18:00h)
Palestras:
"ARTE E APARÊNCIA DO MUNDO: prática pictórica – figuração e suas categorias cognitivas e espaciais; crise da representação e a espacialidade cubista".
ARTE E AÇÃO NO MUNDO: prática pictórica – a matéria/gesto e o não lugar da figura; o expressionismo abstrato.
Palestrante: Dra. Maria Luisa Luz Távora(Phd)-EBA/UFRJ
Inscrição na Coordenação do Curso de Artes/UNIFAP
(18 e 20/05 das 15:00 h as 18: h)
Horário: 15:00 as 18:00 hs
21 de Maio
(15:00 h as 18:00 h)
Palestra:
"ARTE E VIVÊNCIA NO MUNDO: práticas outras – desvinculação da arte da obra de arte; o quadro posto em questão; o corpo e suas possibilidades, outra figuração".
Palestrante: Dra. Maria Luisa Luz Távora(Phd)-EBA/UFRJ
Inscrição na Coordenação do Curso de Artes/UNIFAP
(18 e 20/05 das 15:00 h as 18: h)
Horário: 15:00 as 18:00 hs

Almanacre investiga identidades entre Norte e Nordeste com relato de Patativa do Assaré

“O Ceará e o Acre vivem imbricados como escamas de peixe. Talvez possamos até dizer que o nordeste a Amazônia são imbricados. Em julho de 2007, passei minhas férias em Natal, no Rio Grande do Norte, e tive a oportunidade de visitar o vale do Ceará-Mirim com seus famosos engenhos de cana-de-açúcar do passado. Vi paisagens e ouvi histórias que lembram nossos antigos seringais.
Pensei logo: por que não trabalhamos, politicamente, essa enorme identidade entre Norte e Nordeste? Algum reboliço social, político, econômico e cultural faríamos Brasil afora. Pelo sim, pelo não, passei a vasculhar lixos na internet, quem sabe encontraria alguma coisa rara! Pois encontrei e repasso este relato autobiográfico de Patativa do Assaré, considerado “cearense do século” nos anos noventa do século passado:...”

Por Elson Martins

O Relato trata da passagem de Patativa do Assaré pela Amazônia, mais especificamente pelo Pará, onde conheceu José Carvalho, cearense do Crato, que lançou tempos depois o livro “O matuto Cearense e o Caboclo do Pará”, em cujas páginas insere informações sobre o poeta sertanejo. O mesmo José Carvalho foi comandante da primeira insurreição acreana. Era primo da escritora Raquel de Queiroz e também influenciou a carreira literária de Patativa de Assaré.

Essas e outras informações deliciosas você encontra na íntegra do texto “Pão e Rapadura”, escrito pelo jornalista acreano Elson Martins, editor do blog recém-criado:

www.almacre.blogspot.com

17 de mai de 2009

Macapá: Feira de livros no Sesc Araxá

De 20 a 22 de maio o Sesc estará realizando, pela 27ª edição, a Feira de Livros de Macapá, com o tema “Letras no circuito da cultural”. A programação conta com oficinas, palestras, mostras, exposições, venda e troca-troca de livros, atividades lúdico-pedagógicas, cinema, teatro e poesia. A feira acontecerá no Sesc Araxá, das 8h30 às 20h, entrada franca e para as oficinas e palestras é necessário fazer inscrição antecipada (vagas limitadas), pelo telefone 3241-4440, ramal 257 ou 8125-8688 (Tatiane).

Feira de Livro - objetivo
Oportunizar à comunidade a aproximação da Literatura, de maneira lúdica e criativa, com atividades que proporcionam o desenvolvimento e difusão cultural e, principalmente, favorecendo o intercâmbio de atividades para formação do público leitor, através da oferta de um leque de atividades em torno da literatura.

Programação
Constam atividades diversificadas, direcionadas para o público de todas as idades. São espetáculos teatrais, atividades de animação e recreativas, oficinas nas diferentes linguagens artísticas que possibilitam uma releitura de mundo, exibição de vídeos, palestras para educadores e promotores de leitura.
Juliana Coutinho
SESC/AP

Macapá: Nilson Chaves fará dois shows no Teatro das Bacabeiras

Eudes Fraga se apresenta em São Paulo dia 21 de maio

14 de mai de 2009

Velha calça jeans

Saiu do quarto no esmorecer da tarde parando no meio da cozinha. Esticou o corpo para trás e trouxe as mãos devagar num subir de frescor, deslizando as pontas dos dedos por sobre a malha violeta. Deteve-se nos seios e acolheu-se no colo. Sentia o conforto de alongar os músculos e retinha o prazer de desenhar mistérios em si mesma.

Um farfalhar de folhas secas arrastando ventos na calçada a trouxe para um tempo alheio. Disse a ela num sussurro, assim de repente, que a vida mesmo corria lá fora. Ela sentiu a liberdade roçar seu corpo moldado na velha calça jeans de zíper semi-aberto. Passou a mão nos negros cabelos soltos e riu do nada.

Sabia, com o saber das bruxas, que a novidade se esboça no ar. Que não se pode precisar quando ela virá, nem que caminhos irá percorrer. Mas, o corpo sente com o pulsar dos sentidos mais sutis, que ela está feito tempestade a se avolumar. E será um arrebate!

(Fotografia: Ted Thai)

Cada município uma biblioteca

O governo federal irá zerar o número de municípios sem bibliotecas até julho. De acordo com o Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas, 661 municípios ainda não têm esses equipamentos. Segundo a lista publicada no site do MinC, no Amapá apenas quatro municípios não possuem bibliotecas públicas: Ferreira Gomes, Laranjal do Jari, Pracuuba e Serra do Navio. O Minc recomenda que as pessoas informem através do site www.cultura.gov.br se a sua cidade não tiver uma biblioteca, para que ela seja incluida na relação do programa.
Informações do Ministério da Cultura

Programa de Intercâmbio e Difusão Cultural

O Ministério da Cultura divulga o segundo edital de 2009 do Programa de Intercâmbio e Difusão Cultural, que cobrirá as viagens a se realizarem de julho de 2009 a abril de 2010, para as quais serão disponibilizadas, no total, R$1,9 milhão, do Fundo Nacional da Cultura (FNC). O programa se destina a artistas, técnicos e estudiosos da área cultural, convidados a participar de eventos fora do seu local de residência, para apresentar trabalho próprio, fazer residência artística ou curso de capacitação de profissionais da cultura. O evento deve ser promovido por instituição brasileira ou estrangeira, de reconhecido mérito, desde que não seja apoiado ou realizado pelo Ministério da Cultura, ou por uma de suas instituições vinculadas.

As inscrições variam de acordo com o mês em que se realizará a viagem (ver calendário abaixo). Para julho e agosto, seguem até as 23h59 do dia 31 de maio, devendo o interessado preencher o cadastro. Em Brasília, os interessados que não tiverem acesso à internet podem se encaminhar à sede do MinC na Esplanada dos Ministérios, bloco B, 1º andar, Divisão de Atendimento ao Proponente/SEFIC, onde será disponibilizado, das 8h às 18h de segunda a sexta-feira (exceto feriados), computador para inscrição.

É possível anexar documentos comprobatórios do currículo, ou outros tipos de material (artigos publicados, portifólio etc) que o candidato julgar relevantes para a análise. Podem se inscrever pessoas físicas, grupos ou entidades culturais privadas e sem finalidade lucrativa, cujas candidaturas serão divididas em solicitações de grupo e solicitações individuais, que concorrerão separadamente. Apenas no caso destas últimas poderão ser apresentados pedidos com vistas a residência artística ou curso de capacitação de profissionais da cultura.
Confira o edital:

Marcos Afonso

Nestes tempos nublados sempre me vem à cabeça uma frase genial de São Tomás de Aquino: “Temo o homem de um livro só”.
Hoje, é impossível ter uma idéia geral do mundo, das coisas, das pessoas, fechado numa só perspectiva.
Isso não quer dizer que você vá ser uma sopa eclética sem sabor e aroma, um negócio perambulante cheio de informações e estatísticas, de respostinhas para tudo, um espírito que anda, cheio de alegres estereótipos.
Penso que se você tiver um mínimo de direção, senso crítico, razoável visão estética e sensibilidade com a vida, já pode caminhar no mundo do diverso sem perder-se na confusão.
Por Marcos Afonso

13 de mai de 2009

Marcos Quinan

Seja qual for a obra,
seja qual for o ser,
maior é equalizar a mágica...
no serobra ou na obraser.
Só assim podem sertão.
Por Marcos Quinan

Estação da Paz


"O início de um novo percurso muitas vezes pode te parecer obscuro.
Pode não iluminar tua fronte, nem trazer águas frescas para as tuas flores.
Pode deixar-te sentindo vazios, sentimentos entrelaçados...
Mas vê, não é o momento antes do amanhecer o período mais escuro?
E não é o céu carregado de nuvens que alivia a terra com suas chuvas,
limpando a poeira do dia a dia?
Tem paciência com o novo.
A dificuldade inicial é necessária para que o ovo se quebre,
para que dele saia a ave e esta voe para o céu, para a sua liberdade.
Tem confiança para com o movimento da vida que te cerca de bênçãos.
Se souberes usufruir, aprenderás que não há folha que caia de uma árvore
sem a permissão do Criador.
Tem humildade para com teu crescer.
Não é a semente do carvalho a menor de todas as sementes?
E não é desta mesma semente que nasce a grande árvore
para que tu descanses em sua sombra?
Tem alegria para com o que te é dado.
O grande sábio é aquele que vive com o mínimo,
assim fortalece o seu desapego para com as coisas
que não são realmente necessárias
para que sua luz brilhe e se estenda a outros que dela necessitam.
Tem gratidão para com o que és.
Acima de toda a separação que tu fizeste entre ti e o Criador,
acima de toda dor e solidão, de toda miséria e pequenez,
teu ser ilumina e é perfeito, isento de erros e culpas.
Tem amor para contigo e para com os teus.
Dessa forma fortaleces a ti mesmo e ensina aos teus
que o único caminho para crescer aos olhos de Deus
é compartilhar aquilo que, em ti, atende pelo nome de amor."


Mensagem do dia na Estação da Paz


(Imagem: Birch Silhouette II, de James Wiens)

Navegando na Vanguarda está na rede

Navegando na Vanguarda é um projeto de cultura e meio ambiente amazônico, concebido, sobretudo, com o intuito de fazer intercâmbio com expressões culturais dos pontos mais distintos do país, e, entre outras realizações, celebrar o aniversário de Vanguarda Cultural – revista genuinamente amapaense, de circulação periódica, mas que vem mantendo o compromisso de divulgar a nossa cultura pelo Brasil desde 1º de maio de 2003, quando foi oficialmente lançada em Macapá.
Por Aroldo Pedrosa

Ronaldo Rony

Notícias reais de um mundo irreal

• O Sindicato Mundial dos Porcos mostrou sua força ao exigir que o nome da gripe que assola o México mudasse de nome. As autoridades vasos sanitárias reconheceram que os porcos estavam sendo alvos de preconceito. Livres do estigma e com a liberação da carne suína, os porcos comemoraram com uma grande feijoada.

• A passeata dos filhos do presidente do Paraguai tomou as ruas de Assunción. Segundo as estimativas, cinco mil filhos do ex-bispo participaram da passeata exigindo pensão vitalícia. Para contornar a situação, o presidente papa-tudo lançou o Programa Bolsa Minha Família.
Essas e outras irreverências no blog:

12 de mai de 2009

Luli Rojanski

"Eu não queria parecer vago nem obtuso, mas o mundo sob o seu comando anda muito paradoxal. Em quem eu devo acreditar enquanto o senhor dorme? No sujeito que disse que existe muito mais inferno entre o céu e a filosofia do que possa supor meu vão mistério? Em que eu devo pensar enquanto espero providências: no poder de olfação dos gnus? Na migração sazonal das borboletas amarelas?"
Trecho da primeira carta
Por Luli Rojanski

Toinho Alves

Caminho da Terra

A estrada da Terra vai dar no céu, se eu souber andar, se eu parar e respirar, se eu cantar. A estrada da Terra vai dar no céu, se eu olhar onde piso, onde pisei, onde vou pisar. Se eu olhar para todos os lados. Se eu olhar para cima. Porque o caminho não existe sem mim. Na verdade, o caminho existe em mim. Por ele, posso chegar a qualquer inferno da dor e da loucura, posso cair no abismo do nada, posso me perder no escuro, posso dar com a cara no muro. A cada passo, em cada rumo, uma vontade me move. Ao vento lanço meu brado: existo! Sou esta gota de suor no peito, a têmpora latejante, o ar nas narinas. Sou este ombro que aguenta carga e para o qual a carga é leve. Sou o pensamento, a prece, o cansaço, o alívio da chegada. Sou o destino, onde quero chegar. E se eu quiser chegar ao céu, então a estrada da Terra vai dar no céu.


Por Toinho Alves


Belém: Juliana Sinimbú




11 de mai de 2009

Iphan lança edital Arte e Patrimônio 2009

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan, em parceria com o Paço Imperial – centro cultural administrado pelo instituto, irá lançar no Rio de Janeiro, dia 14 de maio de 2009, às 18h, a segunda edição do edital Arte e Patrimônio. A ação contemplará dez projetos que estabeleçam diálogo entre as artes visuais contemporâneas e o patrimônio artístico e histórico nacional. O edital integra o programa Brasil Arte Contemporânea do Ministério da Cultura e tem o patrocínio da Petrobras.

O edital tem o objetivo de relacionar e valorizar dois universos de referências culturais: de um lado, trabalhos artísticos e processos estéticos atuais e, de outro, os acervos, as tradições, as culturas e os sítios que estabelecem a memória do País. Os recursos totalizam um milhão de reais a serem divididos entre 10 projetos que receberão até R$ 100 mil cada. Estão previstos lançamentos regionais do edital, em locais e datas a serem definidos.
As iniciativas financiadas devem visar à ampliação do acesso da população brasileira aos bens, objetos, sítios e narrativas culturais marcadas pela nossa história e nossas tradições e ainda permitir ao amplo público o conhecimento das produções e manifestações artísticas mais recentes e dos conceitos atuais que desenham o campo da arte contemporânea.

O resultado esperado é o de confrontar as mais diversas formas de arte: pintura, gravura, desenho, objeto, escultura, design, fotografia, instalação, intervenções, arquiteturas, interfaces com mídias eletrônicas e digitais, vídeo-instalações, websites, publicações, textos, conceitos, processos, escritas críticas, ações coletivas, fóruns de debate, residências artísticas, espaços independentes e o que mais acontecer.

InscriçõesAs inscrições para o edital Arte e Patrimônio ficarão abertas de 15 de maio a 10 de julho de 2009, mediante preenchimento de formulário específico no site do edital - www.artepatrimonio.org.br, que estará no ar no dia 15 de maio. Mais informações: telefone (21) 2524-1662, das 10h às 17h, de segunda a sexta-feira, ou pelo e-mail info@artepatrimonio.org.br.

Serão aceitas inscrições de propostas de artistas, pensadores e outros profissionais brasileiros ou estrangeiros, amparados por pessoas jurídicas de natureza cultural sediadas no Brasil (autônomas ou vinculadas a instituições culturais tais como museus, centros culturais, institutos, associações de amigos, organizações não governamentais, universidades, prefeituras, galerias e espaços independentes).

Os projetos deverão ser realizados obrigatoriamente entre os meses de setembro de 2009 e fevereiro de 2010.

Comissão e resultadoUma comissão de especialistas nos dois campos – arte e patrimônio – irá avaliar as propostas. Os nomes dos integrantes da comissão julgadora serão divulgados depois do término da seleção, juntamente com o comunicado aos projetos selecionados. O resultado será divulgado durante o mês de agosto, no site do Ministério da Cultura e no site do edital.

Mais informações
CW&A Comunicação
Claudia Noronha / Beatriz Caillaux / Marcos Noronha
Tel.: (21) 2286-7926 e 3285-8687

10 de mai de 2009

Só não chore

mãe...
quando aprenderes a interpretar meus silêncios
saberás quantas palavras perfumadas eles contém
é que por algum desatino do tempo
alguma desatenção no mover dos sentidos
esqueci de aprender a doçura de expressá-las

então...
sinto que elas fluem através de meus poros
mudando a cor da minha pele pálida,
cada vez que a alegria me invade inteira
porque sei que ela veio das tuas veias
alegria que dança, se enfeita e festeja a vida

tá...
era isso, mesmo que pareça pouco, é tanto
e nem acredito em dia disso ou daquilo
só não desacredite nos silêncios e nas longas pausas,
que as palavras desarrumadas no dizer dos dias

são só notas desafinadas na voz de quem não sabe cantar

9 de mai de 2009

O impossível acontece logo ali


Poeta irreverente, músico tenaz, Obdias Araújo constrói há quatro anos, e a duras penas, o sonho de ensinar música para crianças e adolescentes da periferia de Santana, segundo maior município do Amapá. Em conversa informal pelo msn, transformada em entrevista com a devida autorização, ele expressa seus sentimentos, angústias, expõe a gratidão pelo apoio recebido até hoje e as dificuldades para manter o projeto Coração Musical. O apelo de um homem que acredita que a arte transforma vidas.

Márcia - O que é o projeto?

Obdias – O Projeto Coração Musical foi pensado lá na vila do mesmo nome (Vila do Coração), onde moro.

Marcia – Começou em que condições?

Obdias - Voltado para o ensino da teoria musical, utilizando a flauta doce como material de apoio. Começou lá embaixo de uma mangueira, três meninos e uma flauta-doce. O resumo da ópera é que saiu de três para seis, oito e mais.

Marcia – Como foi parar na Promotoria da Infância e Juventude de Santana?

Obdias - Certo dia fui participar de um culto ecumênico no Ministério Público, a convite do Dr. Iacy Pelaes, na época Vice-Presidente da Assembléia de Deus no Amapá. Lá, conheci o Dr. Paulo Celso Ramos e o Dr. Roberto Álvares, que me convidaram para vir para a Promotoria da Infância e Juventude de Santana, para uma experiência de 90 dias. Estou lá há quatro anos.

Marcia – Quantos jovens tem no projeto atualmente?

Obdias - Cerca de 50 meninos. E busco parcerias. Quatro anos depois, acho que está chegando a hora de ir mais longe. Creio que meu trabalho na Infância e Juventude de Santana está findando. Eu gostaria de atingir as periferias de Macapá. Continuar trabalhando como faço em casa, mas com alguém, alguma entidade me dando o bendito suporte financeiro.

Marcia – Essa é a maior dificuldade?

Obdias - É este o meu maior problema: O suporte financeiro. Estou precisando agora de uma Flauta Baixo que custa R$ 1.400,00. Alguém tem que me ajudar. Corri um pires e em três meses consegui R$ 450,00. Comprei flauta Tenor (R$ 280,00) e Contralto (R$ 150,00).

Marcia – Por que o trabalho na Promotoria está no fim?

Obdias - A turma está se profissionalizando, e já não bastam as flautinhas de vinte e cinco reais. Na realidade, meu acordo é com os doutores Paulo e Roberto, que me pagam do próprio bolso. O Projeto só continua lá porque eles, reconhecendo a importância, me pagam para trabalhar.

Marcia – Mas, você vai fazer o que com essa meninada que já está adiantada?

Obdias - Aí é que vem a melhor parte, a parte do coração, este que é musical. Criei a Orquestra Zacarias Araújo. Estes meninos, a nata dos meninos de Santana e do Coração, nsaia todos os dias. Uns na minha casa, às 17h30, outros em Santana, na Promotoria e na Casa Brasil.
Marcia – A Orquestra já se apresentou publicamente?

Obdias – São jovens de 12 a 16 anos. A última grande apresentação foi no Natal da Procuradoria. Sempre estou nas igrejas, e se não saio mais é por falta de transporte. Tenho a arte, e os meninos demonstram ter o gênio.

Marcia – Qual é o repertório?

Obdias - My Way, Carinhoso, algumas dos Beatles, do Stevie Wonder. Depende do freguês e do que estivermos ensaiando. Também muito do que convencionaram chamar de gospel.

Marcia – Tem alguns que se destacam pelo talento?

Obdias - Com certeza! Infelizmente, quatro deles já não estão conosco.

Marcia – Por quê?

Obdias - Sabe como é... Chega a idade, vem o SENAC leva um, o SENAI outro. A Aeronáutica me levou um, e tem o Gerson, que foi ajudar o pai num açougue. Há um ano estava aqui comigo Darléne Leoté Bente, uma moça da Guiana Francesa, que mora no Coração. Excelente aluna. Destaque legal.

Marcia – Saem em busca de profissionalização, sobrevivência?

Obdias - Tento conciliar. Às vezes, consigo. É aí que eu precisaria ter do meu lado alguém pra me ajudar a tocar o projeto, o que viabilizaria meu trabalho. É assim: O projeto ensina crianças que passam a integrar a Orquestra. Funciona, Márcia! Nasci para este trabalho.

Marcia – Eu sei amigo. Nasceu mesmo.

Obdias – Márcia! Precisamos, eu e os meninos, deste apoio. Preciso de instrumentos. Preciso de um mantenedor. Acabo de receber o pagamento deste mês. É muito legal o carinho com que me tratam os doutores Paulo e Roberto. Já pensou! Quatro anos, todo mês eles me pagam de seus bolsos. Um relacionamento de pura amizade e reconhecimento pelo meu trabalho. Choro, ao pensar nisso, amiga...

Marcia – Já tentou aprovar o projeto pela Lei Rouanet?

Obdias – Márcia, vamos trabalhar juntos? Dou-lhe o Projeto, lhe passo tudo, e você me ajuda com a Lei Rouanet. Me põe sobre as pedras.

Márcia – Ajudo sim. Claro!

Obdias – Aliás, não quero sua ajuda, quero sua parceria.

Belém: Teatro com Bonecos

Belém: Rede Zhumar oferece vagas para curso de gestão cultural

A Zhumar é uma rede social de pontos de cultura e movimentos socioculturais fruto do projeto Pontão de Cultura Rede Amazônica de Protagonismo Juvenil, realizado pelos Argonautas Ambientalistas da Amazônia em convênio com o Ministério da Cultura.

A rede está abrindo inscrições para outras instituições culturais no Curso de Formação em Gestão Cultural, além dos pontos de cultura. Apesar da articulação feita pelos pessoal da rede até agora poucas são as inscrições. Portanto, ainda há vagas.

Como participar

a) Inscrever de um a três membros do seu ponto de cultura.
b) Divulgar e mobilizar sua rede de instituições culturais para que haja o máximo de participação.

O Curso acontecerá no período de 14 a 16 de maio no Instituto de Artes do Pará, em Belém e de 16 a 18 de maio no CAEC, em Santarém. Conteúdo programático e a ficha de inscrição devem ser acessados no endereço
www.redejuvenil.com.br e enviados para o e-mail comunasa@gmail.com.

Venha pra rede

www.redejuvenil.com.
brredejuvenil@argonautas.org.br
Endereço: Av. Alcindo Cacela, 830, conj. 04 - Umarizal
Belém - Pará - Amazônia - Brasil
CEP: 66040-020

8 de mai de 2009

Grupo Imbaúba grava compositores da Amazônia


O grupo Imbaúba, do Amazonas, comandado pelo cantor e poeta Celdo Braga, apresenta o repertório do novo CD, que será lançado em outubro, "Canta Amazônia". Entre as novidades do novo disco estão canções de compositores representativos da música amazônica, como Zé Miguel (Amapá), Nilson Chaves (Belém), Neuber Uchôa (Roraima) e Sérgio Souto (Acre).

O Grupo Imbaúba foi convidado recentemente para participar do programa "Good Morning" da TV ABC News, transmitido ao vivo para os EUA. A gravação, feita na Cachoeira do Santuário, em Presidente Figueiredo, contou com um visitante ilustre. Segundo Celdo Braga, no momento em que ele imitou o som emitido pelo tucano, um tucano saiu das matas e passou a responder o seu canto. Os produtores ficaram impressionados com a interação da ave com o grupo, que se destaca pela música orgânica, imitando os sons da natureza.

No final deste mês, o grupo Imbaúba fará o lançamento do CD "Missa Amazônica". O projeto tem apoio da Arquidiocese de Manaus e o disco será apresentado na Festa de Pentecostes, evento em que a Igreja Católica reúne cerca de 60 mil pessoas em Manaus. O Grupo Imbaúba é formado por Celdo Braga, Rosivaldo Cordeiro, João Paulo, Roberto Lima, Sofia Amoedo e Sérvio Túlio.

Informações do Portal Amazônia

Fogo amigo


da voz não vertia o verbo
que palavra incerta fazia
queria falar com os olhos
mas na distância da pele
nem o olhar se dizia

era um temor sem alinho
um desfazer de passados
vontade em redemoinho
um ouvir sem quimeras
rangendo a porta da alma

baniam os lábios perversos
carrascos daquela emoção
toda palavra benzida
infusão de ervas sagradas
fogo amigo no coração

Escritor abre sua obra para internautas


O escritor amapaense Edgar Rodrigues resolveu abrir sua obra na Internet a manda o seguinte recado:

“Como não existe interesse do Poder Público em publicá-lo, e para que os amigos e amigas que ainda não leram o meu romance NIRANAÊ, publicado em 1997, possam ler sem ter a necessidade de aquisição pelas livrarias, eu o disponibilizei on line, em forma de blog. A partir de agora ele já é de domínio público.

Acessem o blog:
http://niranae.blogspot.com

Podem comentar à vontade cada capitulo. De repente, alguém tem idéias melhores, e quem sabe a gente possa refazer esta ficção amapaense. Abraços e boa leitura!”

Macapá: Cinema de graça às quartas-feiras

Por Flávia Fontes

A Faculdade Seama em parceria com a Associação Brasileira dos Documentaristas e Curtametragistas do Amapá (ABD e C), lança o Cinema Seama. A abertura será no dia 20 de maio, às 17 hs no Salão de Atos da Instituição de Ensino Superior. Após a apresentação do filme haverá conversa mediada entre as pessoas que assistirem à sessão de cinema com a presença. As primeiras sessões apresentarão filmes nacionais.

As sessões terão entrada franca e serão abertas à comunidade. Ocorrerão todas as quartas-feiras no Salão de atos da Faculdade Seama. Na estréia será exibido o filme " Meu nome não é Jonny", com Selton Mello e Cléo Pires, inspirado no livro de Guilherme Fiúza. Conta a trajetória de um jovem de classe média alta que se envolve com drogas, o filme é um retrato da juventude da década de 80 no Rio de janeiro.

7 de mai de 2009

O Acreano Sérgio Souto na Barca Brasília

Neste fim de semana, em comemoração ao dia das mães, 9 e 10 de maio, sábado e domingo, a Barca Brasília apresenta o compositor e poeta Sérgio Souto acompanhado pelo instrumentista Marcelo Homem, mantendo a tradição de navegar no Lago Paranoá trazendo a bordo os melhores expoentes do cenário poético-musical brasileiro. O tom colorido das belíssimas imagens do entardecer de Brasília, a revoada dos pássaros aos ninhais e os tesouros, arquitetônicos e naturais do Lago, irão fazer parte da experiência dos navegantes com as doces canções de Sérgio Souto, que fará homenagem às mães e ao escritor, compositor e poeta Paulo César Pinheiro, seu parceiro e amigo.

SÉRGIO SOUTO

Acreano de Sena Madureira, radicado, desde os quinze anos, no Rio de Janeiro, trás na alma os temas amazônicos com os quais mesclou a linguagem complexa do espaço urbano na sua experiência musical. Atento aos sons dos Brasis presentes na sua realidade, construiu um trabalho cativante e moderno, com ampla aprovação de público e da crítica por seu estilo inovador e peculiar. Seu repertório musical transita com extrema naturalidade entre a tranqüilidade da mata e as incertezas e inquietudes do ritmo acelerado de um cotidiano urbano. Com dez discos gravados, o cantor e compositor tem músicas de sucesso interpretadas por artistas de renome como Jessé, Cristina Santos, Nelson Gonçalves, Fabíola Sendino, Elba Ramalho, Eliana Printes, Nilson Chaves, entre muitos outros. Sérgio Souto, este ano, além de se preparar para gravar o seu 11º disco, grava também, no Acre, seu 1º DVD comemorativo de 30 anos de carreira, com uma produção arrojada, e com a participação de grandes nomes da Amazônia e a orquestra sinfônica do Acre. A espontaneidade do seu processo de compor associa-se aos trabalhos de seus parceiros letristas Paulo César Pinheiro, Sergio Natureza, Amaral Maia, Sergio Napp, Aldir Blanc, Jota Maranhão, Agenor de Oliveira, Joãozinho Gomes, Jorge Andrade, Jorge Vercilo e muitos outros.
MARCELO HOMEM

É profissional desde os anos 80. Na arte da música é violonista, guitarrista, diretor musical, arranjador, produtor e compositor. Acompanhou artistas da MPB como Alcione, Nana Caymmi, Carlos Lyra e Quinteto Violado. Já tocou com instrumentistas como Manasses, Dominguinhos, Nonato Luis, Paulo Moura, Arismar do Espírito Santo, Altamiro Carrillo, Wagner Tiso, Adriano Giffoni, Wanderley Pereira, Paulo André, Ocelo Mendonça, entre outros. Assinou a direção musical de vários festivais de música de Camocim-CE e do Festival Prêmio SESC de Música “Terra Brasilis”. Radicado em Brasília há cinco anos atua no circuito cultural da cidade em espetáculos promovidos pelo SESC, Clube do Choro, Teatro Nacional e demais espaços da cultural local.

Portal Amazônia
Imagem: cartunistabraga.blogspot.com

Interessados têm dez dias para se inscrever no Programa BR de Cultura

Terminam no dia 15 de maio as inscrições para o Programa BR de Cultura 2009/2010. As inscrições são encaminhadas exclusivamente pelo Portal BR, mediante o preenchimento de formulário e o envio de documentos digitalizados.

Para a categoria Seleção Pública, o Programa BR de Cultura oferece até R$ 12 milhões em recursos, que deverão ser utilizados até 15 de dezembro de 2010. Serão selecionados projetos que ofereçam apresentações em cidades diferentes daquelas que os espetáculos estiveram anteriormente em cartaz. A seleção deverá priorizar projetos que proponham ações de formação de platéia, como preços populares e/ou apresentações gratuitas.

Na última semana, atendendo ao pleito dos produtores teatrais e em concordância com o Ministério da Cultura, a companhia alterou o edital e passou a aceitar a inscrição de projetos que ainda não tenham obtido o registro do Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac), condição exigida pela Lei Rouanet para a captação de recursos visando o apoio a projetos culturais.

Com as novas regras, os proponentes terão que comprovar a aprovação na Lei Rouanet (e conseqüente registro do Pronac) no momento da contratação de seus projetos pelo Programa BR de Cultura 2009/2010 e não mais na etapa inicial de triagem administrativa.

O projeto, criado pela Petrobras Distribuidora, é o primeiro plano de patrocínio cultural brasileiro voltado unicamente para a circulação de peças teatrais. O objetivo é promover o intercâmbio cultural entre os estados e disseminar nacionalmente os espetáculos profissionais que tenham conquistado notório resultado de público nos grandes centros.


Da Redação do pe360graus.com

6 de mai de 2009

Cinema na Utopia - Quilombo

Os coletivos Marginália, Kara Dura Produções e Churume Literário, com apoio do Projeto Cinema de Rua, Cineclube Nangetu, rede [aparelho]-:, Corredor Polonês Atelier Cultural e Cineclube Amazônas Douro, tem o prazer de convidar a população para participar da exibição do filme Quilombo, e do debate sobre a passagem do 13 de maio.

Cinema na Utopia – Quilombo

Local: Passagem Liberdade em frente ao Posto de Saúde da Terra-Firme, Belém do Grão-Pará.
Data: 8 de maio de 2009.
Horário: 18:30

Quilombo

Aventura, direção Cacá Diegues.
Elenco: Antonio Pompeo, Zezé Motta, Vera Fischer, Maurício do Valle, Grande Otelo, Daniel Filho, Jofre Soares.
119 min.
Brasil, 1984.

Sinopse: Em torno de 1650, um grupo de escravos se rebela num engenho de Pernambuco e ruma ao Quilombo dos Palmares, onde uma nação de ex-escravos fugidos resiste ao cerco colonial. Entre eles, está Ganga Zumba, prínci pe africano e futuro líder de Palmares, durante muitos anos. Mais tarde, seu herdeiro e afilhado, Zumbi, contestará as idéias conciliatórias de Ganga Zumba, enfrentando o maior exército jamais visto na história colonial brasileira.


Etetuba = Arthur Leandro

Dia do artista plástico

Encontro Comemorativo ao Dia do Artista Plástico
Local: Sonia Canto Produções
Endereço: Avenida Raimundo Alvares da Costa, 2706 - Santa Rita
Horário: 20:00 às 23:30h
Na oportunidade haverá mostra do acervo de Fernando Canto com quadros restaurados do Pe. Fulvio Galiani.

5 de mai de 2009

Ana Alice se apresenta

Oi pessoal!
Sou Ana Alice – minha mãe é Ana Paula e minhas irmãs também são anas (Mércia e Luiza), aí eu nasci pra ser a Ana mais novinha do meu pai Eduardo.
Ele é irmão dessa aí que é minha tia Márcia. Não sei por que ela usa essa coisa estranha no rosto.
Faz um monte de caretas pra mim. Às vezes acho engraçado, outras vezes só acho estranho.
Tenho a impressão de que é assim que os adultos dizem olá.
Essa cadeira é a minha prima Juliana. Ela não faz careta, só me carrega pra lá e pra cá.
Descobri que os adultos também servem como cadeiras pra gente. São bem macios e tem até cinto de segurança que atraca na nossa barriguinha.
Bem, já estou ficando com sono. Durmo muito, sabe? Acho que é pra aprender a ter paciência com esse pessoal todo.
Outro dia eu volto.
Tchau!

4 de mai de 2009

Stand By Me

video
Composição: Ben E. King

When the night has come
Quando a noite tiver chegando
And the land is dark
E a terra estiver escura
And the moon is the only light we'll see
E a lua for a única luz que veremos
No, I won't be afraid
Não, eu não terei medo
No, I won't be afraid
Não, eu não terei medo
Just as long as you stand
Desde que voce fique,
Stand by me
fique comigo
(Chorus:)
And darling, darling,
E querida, querida,
stand by me,
fique comigo
oh now stand by me,
Oh, agora fique comigo,
stand by mestand by me
fique comigo, fique comigo
If the sky that we look upon
Se o céu que vemos lá em cima
should tumble and fall
Desabar e cair
And the mountains should crumble to the sea
Ou se as montanhas desmoronassem no mar
I won't cry, I won't cry,
Eu não chorarei, eu não chorarei,
No, I won't shed a tear
não, eu não derramarei uma lágrima
Just as long as you stand
Desde que voce fique,
Stand by me
fique comigo
And darling, darling, stand by me, oh stand by me
E querida, querida, fique comigo, oh fique comigo
Stand by me, stand by me, stand by me, yeah
fique comigo, fique comigo, fique comigo
Whenever you're in trouble won't you stand by me, oh no
Quando voce estiver com problemas, voce não contará comigo
Stand by me
fique comigo
Oh stand by me, stand by me, stand by me
Oh fique comigo, fique comigo, fique comigo