31 de mar de 2010

Lulih Rojanski: Abilash - Conto da Amazônia

Queridos amigos,

Apresento a vocês meu livro: Abilash – Conto da Amazônia, um pequeno filho, nascido muito tempo depois do nascimento do filho mais velho: Lugar da Chuva. Mas com a literatura é assim... passa-se tempo precioso escrevendo e tempo amargurado tentando publicar. E este momento, o de ter a nova criação nas mãos, o livro prontinho saído das máquinas que concretizam o sonho da palavra no papel, é ímpar, é singular. Pois Abilash está aí... foi publicado pela Editora Escrituras, tem 64 páginas e conta a história de um menino que renasce na Amazônia para plantar a semente da preservação e do amor à vida no coração do homem. Espero, com Abilash, reavivar a esperança no coração de todos os leitores. Um abraço.

Início do conto:

Inspirado no renascimento de Abilash.

Um menino de três meses foi resgatado dos tsunamis que flagelaram o Sri Lanka, na Ásia, no final do ano 2004. Nove casais que haviam perdido seus filhos disputaram sua paternidade. Depois do cataclismo, com o filho renascido nos braços, os pais verdadeiros o chamaram Abilash. Para os nove casais, ele foi o filho desejado.

Somente as águas do rio Amazonas assistiram naquela noite à chegada do menino. E estavam mansas como quem dorme, guardadas pelo clarão vigilante da lua sobre o rio. O menino estava nu, de olhos abertos, e do fundo de uma canoa embalada pela calmaria, fitava no céu as constelações cintilantes de dezembro.

Queridos amigos, comprem! Na Banca do Dorimar e na Livraria Transa Amazônica.

Por Lulih Rojanski

29 de mar de 2010

"Adoradores do Sol" será lançado nesta terça-feira

Uma de nossas maiores referências turística, cultural e particularmente natural é tema do texto que dá nome ao mais recente livro de Fernando Canto. O fenômeno Equinócio, apreciado por centenas de pessoas duas vezes por ano do alto do obelisco do monumento do Marco Zero do Equador é retratado na crônica Adoradores do Sol que sintetiza um costume cultural e religioso universal, trazida dentro de nós pela memória de nossos ancestrais que desde as mais antigas civilizações já cultuavam o sol.

A obra Adoradores do Sol é uma coletânea de 101 crônicas que foram publicadas em cinco jornais de circulação local entre 2007 à 2009. Os textos revelam essencialmente a vida de brasileiros, em particular os amapaenses, que são rotineiramente escolhidos como personagens dos textos deste sociólogo e músico que convive diariamente com a cultura regional sendo contador e protagonista de diversas histórias que são ditas em toda a cidade.

“Fernando Canto é um artista talentoso e criativo. Dono de uma linguagem que ora e vez é impregnada de elementos poéticos, o que torna o seu texto rico, agradável e carregado de informações que dão consistência e substancialidade às crônicas e artigos que ele tão bem vem produzindo ao longo dos anos, compartilhando conosco esse acervo precioso, registrando em prosa suave e airosa suas pesquisas sociológicas e históricas, bem como impressões e poemas que enriquecem os textos”, relata o também escritor Paulo Tarso.

Laguinense apaixonado pela cultura, Fernando Canto é autor de oito livros e fez sua estreia na literatura muito cedo, ainda na adolescência escrevia peças de teatro para o grupo de jovens da Igreja São Benedito. Há trinta e cinco anos formou o Grupo Pilão que é uma das grandes referências musicais do Amapá que sempre valorizou as tradições amapaenses, sendo talvez o primeiro a introduzir marabaixo e batuque em suas músicas.

O lançamento de Adoradores do Sol será dia 30 de março, às 19:00, no Monumento Marco Zero. No lançamento o livro custará R$ 30,00, após, será vendido em diversos pontos literário da cidade.

Mariléia Maciel

Chico Xavier - O filme estréia em abril


Dia 02 de abril de 2010, sexta-feira, estréia em circuito nacional, Chico Xavier - O filme.
Site Oficial do Filme:
www.chicoxavierofilme.com.br
Exatamente no dia em que se comemora o centenário de Chico Xavier, uma vez que em sua última encarnação ele nasceu em 02 de abril de 1910.

Chico Xavier é uma adaptação para o cinema que descreve a trajetória do médium Chico Xavier, que viveu 92 anos desta vida terrena desenvolvendo importante atividade mediúnica e filantrópica. Vida conturbada, com lutas e amor. Seus mais de 400 livros psicografados, consolaram os vivos, pregaram a paz e estimularam caridade. Fenômeno? Fraude? Os Espíritos existem? Para os admiradores mais fervorosos, foi um santo. Para os descrentes, no mínimo, um personagem intrigante.

Roteiro de Bernstein, baseado na obra de Marcel Souto Maior “As Vidas de Chico Xavier”
Elenco
NELSON XAVIER: Chico Xavier (1969/1975)
ÂNGELO ANTÔNIO: Chico Xavier (1931/1959)
MATHEUS COSTA: Chico Xavier (1918/1922)
TONY RAMOS: Orlando
CHRISTIANE TORLONI: Glória
GIULIA GAM: Rita
LETÍCIA SABATELLA: Maria
LUIS MELO: João Candido
PEDRO PAULO RANGEL: Padre Scarzelo
GIOVANNA ANTONELLI: Cidália
ANDRÉ DIAS: Emmanuel
PAULO GOULART: Saulo Guimarães
CÁSSIA KISS: Iara
CASSIO GABUS MENDES: Padre Julio Maria
ROSI CAMPOS: Cleide
CARLA DANIEL: Carmosina

Direção: Daniel Filho

FILME PIRATA NÃO!!!

18 de mar de 2010

Quando o amor acontece...


Aos pouquinhos a gente vai aprendendo que seres humanos possuem limitações. Você mesmo as possui! Ninguém é totalmente bom e nem ruim. Não é só um clichê. E as vezes aquela pessoa que você tanto ama, não corresponde às suas expectativas. Mas isso não faz dela uma pessoa má, e se o seu amor por ela acabou por causa daquele defeito, então a limitação é sua. Você é que não sabe amar pessoas reais. Você é que precisa de protótipos perfeitos para se sentir seguro.

Por outro lado algumas pessoas de quem você costuma não gostar, e constantemente usa argumentos vazios como "meu santo não bateu com o dela", são pessoas que tem problemas dos quais você não faz idéia. E quem sabe naquele momento que você a está julgando, ela não precise apenas de um bom abraço de um estranho, como você.

Pessoas reais possuem amores reais. Por mais difícil que seja admiti-los. Do contrário, seria impossível entender por que às vezes somos magoados, destratados, humilhados, enganados e mesmo assim continuamos amando aquela pessoa. É o amor real, diferente dos contos de fadas aos quais fomos acostumados a associar nossas vidas.

Quando amamos certos aspectos de um ser humano, e odiamos outros aspectos, temos que nos esforçar para deixar prevalecer o amor, independente do que é mais explícito naquela pessoa. Ame apenas por amar. Não é apenas uma mensagem do Evangelho, é um conceito que engrandece a nós mesmos, como pessoas, e torna nossa existência mais produtiva, mais acolhedora.Todos temos limitações e gostaríamos de ser amados mesmo as possuindo. Estenda, então, esse desejo aos próximos. É o que, por hora, sei dizer.

Por Juliana Corrêa

Palco Giratório 2010

Apresenta
Espetáculo Zero
Da Cia. Mevitevendo-SP
Local: SESC Araxá
Dia 22 de março
Às 15h30
Entrada Franca

Oficina: Manipulação de bonecos
Local: Teatro Porão do SESC Araxá
Dia 21 de março (domingo)
Das 08hs às 12hs e das 14hs às 18hs
Inscrições: R$ 5,00
Central de Atendimentos
Vagas limitadas!!!

14 de mar de 2010

Delegação amapaense elege representante durante a realização das Pré-Conferências Setoriais de Cultura


As pré-conferências setoriais ocorridas em Brasília nos dias 07, 08 e 09 cumpriram seu papel mobilizador, reflexivo, propositivo e eletivo, reunindo mais de 1,3 mil agentes culturais, como artistas, produtores, jornalistas e gestores, que representaram 14 segmentos culturais entre dança, teatro, música, artes visuais, artesanato, circo e outros. O Amapá ganhou destaque através dos representantes da câmara setorial de música ao eleger Otto Ramos como delegado do colegiado setorial de Música.


Além disso, a delegação amapaense, composta ainda pela jornalista Cíntia Souza, pelo produtor cultural Bio Vilhena e por Cleverson Bahia, representante do poder público, colaboraram de forma expressiva na elaboração de cinco propostas de políticas públicas voltadas à cadeia produtiva musical, que servirão para a formulação dos Planos Nacionais Setoriais, que integram o Plano Nacional de Cultura, em tramitação no Congresso Nacional. As diretrizes serão apresentadas e defendidas pelos representantes do segmento durante a II Conferência Nacional de Cultura que acontece nos dias 11, 12 e 14 de março.

Amapá estreando no foco dos debates

Para garantir a participação do Amapá no evento, vários delegados foram eleitos durante a fase de conferências municipais, representando 10 cidades do Estado. O processo teve continuidade com a II Conferência Estadual de Cultura, realizada dia 12 de dezembro de 2009, no Macapá Hotel, momento em que diversos setores artísticos também reuniram-se em suas respectivas Assembléias Setoriais Estaduais a fim de definir seus delegados que fariam parte da Pré-CSC, concorrendo a composição do colégio eleitoral de 81 delegados da sociedade civil.

Já após a Assembléia Setorial da Música estadual, quando foram eleitos três delegados, via votação direta: Otto Ramos, Cíntia Souza e Bio Vilhena, além de Cleverson Baia, pelo poder público. Os delegados estaduais teriam, que eleger durante as pré-conferências dois representantes titulares e dois suplentes, por região.

O que muda para o Amapá?

A presença de um amapaense como representante da Região Norte no Conselho Nacional de Política Cultural (Funarte/Minc), que discutirá implementação, acompanhamento e avaliação do Plano Nacional de Cultura, além de recomendações, metodologias de participação, diretrizes e conceitos para subsidiar a elaboração dos Planos Municipais, Estaduais, Regionais e Setoriais de Cultura, pode ser um marco para a Cultura do Amapá.

Eleito em sucessivos processos democráticos - o primeiro na Assembléia Setorial do Amapá, em fevereiro e agora pela região Norte, em Brasília -, com enorme disposição para aglutinar os interesses comuns da Amazônia na construção de políticas públicas para uma cultura mais justas em observância às nossas especificidades, mostra que os caminhos alicerçados no trabalho em rede não somente integram o Amapá nos mais recentes e intensos debates sobre questões da área, comotambém define participação do Estado na construção de projetos políticos que compreendam a cultura como instrumento de transformação social.

Articulador de coletivos e associações de cultura independente na região através do Coletivo Palafita e Circuito Fora do Eixo, Otto Ramos é reconhecido como importante mobilizador de agentes culturais ligados a música independente no Estado. É também compositor e músico, tocando em várias bandas locais, inclusive a Mini Box Lunar, banda do Amapá que mais cresce no cenário nacional, tida como revelação e promessa para música brasileira em 2010 por vários sites especializados.

O Coletivo Palafita surgiu em 2006 e é gerido por artistas e agentes de mídia independente que repensam a cadeia produtiva da cultura, introduzindo uma lógica cooperativa e criativa, superando modelos marcados pela competição e pela repetição. São articulados ao Circuito Fora do Eixo, rede nacional de coletivos culturais que segue os mesmos valores e modelo de trabalho, são ao todo mais de 40 no país.

Atualmente, o CFE é um dos movimentos que apresenta maior musculatura nacional, tendo eleito 22 delegados nas Assembléias Setoriais de Música que aconteceram em todas as Unidades da Federação.

Jenifer Nunes - (96) 8116-7203
Palafita Comunicação
Ponto Fora do Eixo - Macapá (AP)
(96) 8116 7203

12 de mar de 2010

Confraria Tucuju dá Vivas a São José!


A noite de sábado (13) será por conta da Confraria Tucuju. Nas comemorações em homenagem ao padroeiro São José, a casa de cultura mais tradicional do Amapá fará um grande show na quadra da Paróquia de São José, com entrada pela av. Presidente Vargas. O evento terá início às 20 horas e a entrada será franca. As atrações da noite serão: Grupo Espírito de Luz, Suíte Popular e Osmar Jr. Haverá também apresentação de estátuas vivas.

Espírito de Luz é um grupo católico vinculado à Paróquia Nossa Senhora da Conceição. Formado há mais de três anos, trabalha na evangelização cristã através da música. Participa de eventos católicos e atua em entidades assistenciais como hospitais e abrigos. Na música faz fusões entre o tradicional e os ritmos modernos, atraindo os jovens para as mensagens do Evangelho.

O grupo é composto pelos músicos André Aragão (violonista e cantor), Regina Zagalo (pianista e cantora), Irlan Barbosa (cantor e percussionista), Rodrigo Brito (cantor), José Maria Cruz (violonista, tecladista e arranjador), Mayara Braga (diretora e cantora). Entre as peças do repertório estão canções emocionantese bastante conhecidas do povo cristão como "Sonda-me", "Jesus Cristo" e "Alma Missionária".

Suíte Popular é um grupo com mais de quinze anos de atuação na música. Liderado pelo músico José Maria Cruz, conta ainda com Odair Rocha (bateria), Odilon Acácio (baixo, viola e vocal), Édson Moreira (guitarra, violão e teclado), Mayara Braga (vocal) e Bibi (sax e flauta transversal). No repertório as mais belas músicas da MPB, com destaque para as canções amapaenses. De "Aquarela do Brasil" a "Jeito Tucuju" o grupo encanta pelo virtuosismo de seus artistas, todos profissionais.

Para encerrar a noite da Confraria Tucuju na festa de São José um dos maiores poetas da Amazônia, Osmar Júnior. Ele, que escreveu canções que falam do jeito de ser amapaense como ninguém, fará sua homenagem ao padroeiro. "Meu São José da beira-mar, protegei meu Macapá...", diz a letra de "Pedra do Rio", composta por Osmar. Fé, proteção e alegria é o que pretende levar ao palco a Confraria Tucuju no dia 13.

Ascom/Confraria Tucuju

Programação do Fest Cine Amazônia

O GRITO DO MAPINGUARI
Animação. 02 min. 2009. RO
Direção: Francisco Bezerra, Saulo De Sousa e Fernando Caetano
SINOPSE: Experiência de jovens animadores rondonienses convidados pelo FESTCINEAMAZONIA na construção de um desenho animado sobre a lenda do Mapinguari – o gigante com um olho na barriga, defensor da floresta.

O CINEMA NO MEIO DO MUNDO
Direção Jurandir Costa e Fernanda Kopanakis. 23 min. 2009. RO
SINOPSE: Série Mostra FESTCINEAMAZONIA Itinerante Integração Latino Americana pelas Capitais da Região Norte do Brasil.

A TERRA A GASTAR (WASTING EARTH)
Animação. 06 min. Vídeo. 2009. SP
Direção: Cássia Mary Itamoto/Celina Kurihara
SINOPSE: "Estava a Terra em seu lugar. E veio o Homem lhe acrescentar. Consumo do Homem. O Homem na Terra. E a Terra a gastar." O homem em sua Terra depara-se com as conseqüências de seu consumo excessivo e se vê obrigado a adotar medidas que mudarão seu estilo de vida.

DIA DE JOGO
Ficção. 13 min. Vídeo. 2009. RS
Direção: Ligia WalperSINOPSE: Torcedor fanático do time local, Padre Atanásio mistura suas duas paixões: o futebol e a religião. No dia do casamento da filha do coronel Tenório, esta mistura vai causar muito problema, pois para não perder a final do campeonato, ele oficia a cerimônia com os fones do radio nos ouvidos. Na hora do beijo do casal - e no último minuto da partida - Fernandinho faz um gol salvador. No calor da comemoração, o Padre revela para todos os segredos da noiva. A confusão gerada vai mudar a vida de Padre Atanásio e do sacristão Nicolau para sempre.

MAR DE DENTRO
Documentário. 14 min. 35 mm. 2008. SP
Direção: Paschoal Samora
SINOPSE: Velhos pescadores recorrem à memória afetiva para contar suas historias de aventuras e amores. Em um cenário onde o tempo parece ter parado para ouvi-los, eles se recordam da época em que viviam no mar. Em meio ao cotidiano, os depoimentos das personagens se misturando no decorrer do filme para formar um só discurso. Como se as histórias pudessem criar um único fio de memória, tão forte w presente como o próprio mar na vida de cada um deles.

O DIVINO, DE REPENTE
Animação. 07 min. 35 mm. 2009. SP
Direção: Fábio Yamaji
SINOPSE: Ubiraci Crispim de Freitas, personagem real conhecido por Divino, canta repentes e conta sua vida neste documentário animado com ficção experimental.

FAÇA SUA ESCOLHA
Ficção. 07 min. 35 mm. 2006. SP
Direção: Paulo Miranda
SINOPSE: Um pequeno grupo de pessoas que se conhece por acaso, à procura de amor e amizade, e suas tragicômicas conseqüências.

VELA AO CRUCIFICADO
Ficção. 13 min. 35 mm. 2009. MA
Direção: Frederico Machado
SINOPSE: O filme Vela ao Crucificado narra o sofrimento de um casal da periferia de São Luis. Diante do filho morto sobre uma mesa rústica, sem dinheiro para comprar pelo menos o caixão onde colocar o corpo a fim de enterrá-lo.

UMA SÓ AMÉRICA
Direção Jurandir Costa e Fernanda Kopanakis. 23 min. RO – Série: Mostra FESTCINEAMAZONIA Itinerante Integração Latino Americana. A passagem do Festival pela Bolívia/Peru e Colômbia.

MOCÓ JACK
Animação. 11' 28”. Vídeo. 2007. GO
Direção: Luiz BoTosso e ThiagoVeiga
SINOPSE: Animação que narra às aventuras do jacaré, Jack, que usa de muita criatividade para se salvar das investidas de contrabandista de animais. Nascido diferente de seus irmãos, Jack, possui caráter exótico o que o transforma em um grande prêmio para o caçador. Jack sabe se esconder e mimetizar o que o ajuda a salvar seus amigos.

REVERSO
Ficção. 5´38´´. 35 mm. 2009. MA
Direção: Francisco Colombo
SINOPSE: O que diferencia os indivíduos é a capacidade de realizar determinados atos. Filmado em plano seqüência.

PAJERAMA
Animação. 9 min. 35 mm. 2008. SP
Direção: Leonardo CadavalSINOPSE: Um pequeno indiozinho começa a ter estranhas experiências em seu habitat. Aos poucos, mistérios do tempo e do espaço serão revelados.
SOJA: EM NOME DO PROGRESSO
Documentário. 40 min. Vídeo.
Direção: Todd Southgate
SINOPSE: A Amazônia contem a maior biodiversidade do planeta e desempenha papel fundamental na manutenção do ciclo das chuvas e do equilíbrio climático. O Greenpeace convida você para assistir o documentário Soja; Em Nome do Progresso e refletir um pouco mais sobre a realidade da Amazônia. O documentário mostra os impactos socioambientais que a expansão da fronteira da soja esta causando na região de Santarém, no Estado do Pará.

Serviço:

Fest Cine Amazônia

Dia 13 de março (Sábado)

Faculdade Seama

Às 15 horas

11 de mar de 2010

"Pluft, o fantasminha" no Teatro Porão do Sesc Araxá

O espetáculo PLUFT O FANTASMINHA, com direção de Álvaro Braga, estréia nesta sexta-feira (12), no teatro Porão do Sesc Araxá e fica até o final do mês, sempre às sextas e sábados, às 17 horas. O espetáculo abre a programação de 2010 do projeto VAMOS COMER TEATRO e é fruto do curso de teatro ministrado por Álvaro Braga no Sesc Araxá.

PLUFT O FANTASMINHA, é um clássico de Maria Clara Machado que aborda de forma lúdica a história entre Pluft, um fantasma que adora aprontar suas aventuras com sua amiga Maribel, capturada pelo pirata Perna de Pau.
Na montagem do Álvaro Braga foram priorizados e valorizados os elementos cênicos e as interpretações dos atores. O que resultou numa montagem leve, cheia de surpresas agradáveis do ponto de vista da concepção do espetáculo.

Serviço:
Projeto Vamos Comer Teatro
Espetáculo: Pluft, o fantasminha
Local: Teatro Porão do Sesc Araxá
Dias: sextas e sábados de março
Hora: 17 horas
Ingressos: R$ 5,00
Por Genario Dunas

Cursos gratuitos no SESC

As inscrições para o Programa de Gratuidade encerram nesta sexta-feira, 12/03. Estão sendo ofertadas 329 vagas gratuitas de cursos, através do Programa de Comprometimento e Gratuidade (PCG), para quem possui renda familiar até 3 salários mínimos.

As vagas são para os seguintes cursos e atividades:
Projeto Habilidade de Estudo (contra turno escolar) – 85 vagas;
Música (20 vagas),
Artes cênicas (50 vagas);
Literatura (30 vagas);
Cinema (30 vagas);
Artes plásticas (30 vagas);
Projeto Resgatando a Cidadania para crianças de 7 a 12 anos (84 vagas).

O Programa de Comprometimento e Gratuidade (PCG) é um Protocolo de Compromisso firmado entre o Ministério da Educação – MEC, Ministério do Trabalho e Emprego – MTE, Ministério da Fazenda – MF, a Confederação Nacional do Comércio – CNC, o Serviço Social do Comércio – SESC e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial – SENAC e destina-se a pessoas de baixa renda, na condição de alunos matriculados ou egressos da educação básica e trabalhadores – empregados ou desempregados, priorizando-se aqueles que satisfizerem as duas condições: aluno e trabalhador.

O edital com todas as informações está disponível no sitio
www.ap.sesc.com.br ou na Coordenação de Assistência (SESC Araxá – prédio administrativo).

Inscrições até dia 12/03, na Central de Atendimentos do SESC Araxá, horário comercial.
Juliana CoutinhoSESC/AP - Serviço Social do ComércioASCOM - Assessoria de Comunicação e Marketing

10 de mar de 2010

Teia Cultural: Oneide Bastos e Ana Martel nesta sexta

O Brega por Lia Sophia


Roupagem maravilhosa foi a que a cantora Lia Sophia deu para algumas das mais conhecidas músicas do cancioneiro popular paraense, do estilo conhecido como “Brega”. O CD sequer chegou às lojas de Macapá e já está dando o que falar. Divulgado em trechos, principalmente pelo programa radiofônico “Café com Notícia” (Rádio Equatorial 94,5 FM), as releituras de Lia Sophia vêm agradando muita gente (inclusive a mim, que só ouvi 3 músicas), os quais, ansiosos, buscam por mais informações sobre a obra.

Mas, infelizmente, algumas críticas não são nada agradáveis e sim pejorativas. Alguns “cabeçudos” que têm ouvidos mais não escutam, entendem que a cantora agora se tornou “brega”, com “b” minúsculo. Para esses, vamos lembrar alguns fatos quanto ao estilo “Brega”.

O estilo musical “Brega”, que apresenta sólida base no Estado do Pará, nada tem a ver com “mau gosto” que emite o significado da palavra constante nos dicionários, cujos autores pouco levam em consideração os sentidos atribuídos a determinadas palavras nas culturas das demais regiões senão Sul e Sudeste, diga-se mais precisamente Rio e São Paulo. No entanto, podemos dizer que o “Brega” se traduz no exagero utilizado na expressão musical (letras fortes, sempre falando de amor e do cotidiano) e na forma de se vestir, pois em pleno auge na década de 1980, os cantores paraenses, “BREGUEIROS” como são conhecidos até hoje, tinham a necessidade de agradar o seu público e se diferenciavam utilizando indumentárias ricas em cores e brilho.

Num período em que a música americana tinha lugar de destaque nas rádios paraenses, o “Brega” conseguiu fazer despontar na mídia local vários de seus personagens, entre os quais os cantores Mauro Cota, Tedy Max, Mirian Cunha, Francys Dalva, Fernando Belém, Juca Medalha, Cícero Rossi, que se apresentavam em programas famosos na capital paraense qual era o TV Cidade e em shows itinerantes como o “A Noite do Brega” (que visitava o interior do Pará), ambos capitaneados pelo saudoso jornalista e apresentador Kizan Lourenço.

Tendo surtido efeito ainda, levando à mídia nacional cantores como Olímpio Martins (com seus dois chocalhos fez sucesso com a música “Quero você, todinha pra mim”) e Beto Barbosa (de imitador de Sérgio Malandro conquistou com a lambada “Preta” uma das trilhas da novela “Rainha da Sucata”, na Rede Globo). Daí em diante, a Região Norte passou a ser um pouco melhor destacada artisticamente na mídia nacional.

Portanto, ao tentar esclarecer um pouco sobre o que entendo como verdadeiro significado do estilo “Brega”, peço que prestem bem atenção à nova roupagem atribuída a cada uma das músicas e para a maravilhosa interpretação de Lia Sophia, deixando de lado preconceitos. Viva a música!

Rick Lobato

UEAP cria curso de pós-graduação na área da arqueologia

O curso de Especialização Latu Sensu que iniciará o programa de Pós-Graduação da Universidade do Estado do Amapá será em Patrimônio Arqueológico da Amazônia, com lançamento do edital no dia 10/03 (quarta-feira), em cerimônia no auditório da instituição, às 10 horas.

Para a oferta do primeiro curso de pós-graduação, a UEAP buscou parceria com o Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá (IEPA), que desenvolve um vasto estudo arqueológico na região, a Superintendência Regional do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (SR/IPHAN/AP), órgão do Ministério da Cultura que tem a missão de preservar o patrimônio cultural brasileiro, e Ministério Público do Estado, através da Promotoria de Justiça do Meio Ambiente, Conflitos Agrários, Habitação e Urbanismo da Comarca de Macapá (Prodemac).

O resultado foi a constituição de um quadro de excelência composto por professores e pesquisadores de renome, pertencentes a instituições locais, nacionais e internacionais (IEPA, UNIFAP, Universidade Federal do Pará (UFPA), Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Service Régional de l’ Archéologie/Guiana Francesa, Universidade Federal de Sergipe (UFS) e Universidade de Lisboa). O período de inscrição inicia no dia 10 e se estende até o dia 18 de março.

De acordo com a coordenadora do curso de Especialização em Patrimônio Arqueológico da Amazônia, Mariana Petry Cabral, do IEPA, o objetivo é fornecer aos alunos uma formação geral em arqueologia e história indígena, com foco sobre a região amazônica, buscando fortalecer a capacitação de recursos humanos e a sensibilização de agentes locais para a valorização, proteção e estudo do patrimônio arqueológico.

Segundo a pesquisadora, o programa do curso expressa, ainda, uma “preocupação sobre o papel social dos profissionais que atuam com o patrimônio arqueológico, enfatizando-se suas responsabilidades não apenas com a proteção deste patrimônio, mas também com sua interação com as diversas comunidades que vivem no entorno de sítios arqueológicos, contribuindo para atuações eticamente pautadas no desenvolvimento social e cultural de toda a população”.

ASCOM-UEAP

Cinema na Amazônia


8 de mar de 2010

Ana Martel no Projeto Botequim do SESC nesta terça-feira

Foto: Chico Terra

O projeto Botequim desta terça-feira (09) no SESC Centro terá show da cantora Ana Martel e convidadas: Rebecca Braga, Patrícia Bastos e Oneide Bastos. Durante todo o mês de março o SESC fará homenagens às mulheres com show de suas representantes da música.

Ana Martel lançou com grande sucesso o CD Sou Ana, em setembro de 2009, no Teatro das Bacabeiras. Seu trabalho é quase totalmente autoral com uma visão contemporânea dos ritmos amazônicos.

Serviço:
Show de Ana Martel
No Projeto Botequim
SESC Centro
Av. Pe. Júlio Maria Lombaerd, esquina com Rua Gal. Rondon
Às 21 horas
Dia 09 de março (terça-feira)

08 de Março - 2010

Foto: Blog Alcinéa Cavalcante
Mão que afaga e acaricia,
Braço que trabalha e abraça,
Ergue também o punho
E bem alto mantém a bandeira da Paz e da Justiça.
Voz que sussurra em doces palavras
Prosa, verso, música de amor e acalanto,
Ainda se eleva no grito de igualdade,
E faz da liberdade seu canto.
Rosto iluminado de alegria,
Expressão de todas as mulheres,
Senhoras do tempo e não só de um dia,
Que a humanidade toda homenageia.

Elias Araújo

Suruba Antropofágica na UEAP

6 de mar de 2010

FEST CINEAMAZÔNIA ITINERANTE 2010


O primeiro roteiro itinerante vai levar cinema e vídeo ambiental para capitais da região Amazônica

A cidade de Manaus será a primeira capital da região Norte a receber o Fest Cineamazônia Itinerante 2010. A exibição será no próximo dia 9 de março. Em cada estado, uma produção local abrirá o festival. Segundo o curador Jurandir Costa, “é uma forma de aproximar os realizadores da Amazônia com os organizadores do festival.

Ainda neste mês de março, o festival estará presente no dia 11 em Boa Vista (RR), Macapá (AP) no dia 13, Belém (PA) no dia 15, Palmas (TO) no dia 17, e em Rio Branco (AC) no dia 19. Nesta etapa itinerante são exibidos filmes e vídeos participantes do festival realizado em Porto Velho.

O Fest Cineamazônia estará exibindo ainda as três produções que mostram os bastidores do festival em diferentes etapas da itinerância de 2008. O vídeo Uma Só América é um registro da etapa itinerante realizada na America do Sul; O Circo do Cinema é um documentário da etapa rondoniense no olhar do palhaço Bob; O Cinema no Meio do Mundo registra o Festival em outros continentes. “As capitais que receberam o Festival em 2008 estarão agora, se vendo na tela do cinema”, destacou Costa.

O Festival tem o patrocínio da Petrobras, Ministério da Cultura através da Lei Rouanet, Eletrobras e Correios, conta com o apoio cultural da Santo Antonio Energia, Prefeitura de Porto Velho, Semed e Fundação Iaripuna, Governo de Rondônia - Secel, e apoio da Bancada Federal de Rondônia, senadora Fátima Cleide, senador Valdir Raupp, deputado federal Eduardo Valverde e deputada federal Marinha Raupp.

Assessoria do evento

3 de mar de 2010

A busca por Tainá 3

No trigésimo oitavo tratamento de script de “Tainá 3” surgiu Gobi: um indiozinho de onze anos criativo e espirituoso que tem mais afinidade com o computador do que com a lança. O que seria apenas mais uma personagem na série da indiazinha defensora da floresta pode se tornar um desafio de proporções amazônicas, se levar em consideração o último processo de seleção de atores para escolher a substituta da atriz principal da trama.

Foram dois anos e oito meses e milhares de quilômetros percorridos de avião, carro e barco por mais de 30 cidades, vilas e aldeias do interior de quatro Estados do Norte do país (Amazonas, Amapá, Pará e Roraima), entrevistando cerca de três mil candidatas para se chegar a um grupo de onze garotas. “Infelizmente, só uma delas sairá daqui com o papel”, diz o diretor de elenco, Cláudio Barros.

O treinamento das pré-selecionadas para viver a personagem principal do filme “Tainá 3” começou no dia 22 de fevereiro, no Parque dos Igarapés, em Belém. Serão seis semanas de confinamento. Após a terceira semana, quatro crianças (por semana) voltam para suas casas até ficarem as duas finalistas, na última semana.

Em vez de dar sequência à história do segundo longa-metragem, “Tainá 3” vai remontar às origens da jovem guerreira - por isso a busca por uma nova protagonista, já que Eunice Baía está prestes a completar 20 anos.

“Quando começamos o projeto, em 2005, a ideia inicial era dar continuidade à história com a Tainá já adolescente indo visitar a cidade. Mas, em pesquisas com o público infantil, esse conceito foi um fiasco. As crianças queriam saber o que havia por trás do mito: como ela ganhou seus poderes? como ela ficou órfã? quem era a mãe dela?”, explica Cláudio, acrescentando que o filme vai explorar novas oportunidades, “começando do zero”.

Dirigido por Rosane Svartman, o final da trilogia poderá se tornar o primeiro filme brasileiro rodado em 3D. Segundo a produção, após um convite de uma produtora alemã, para trabalhar com a tecnologia, a filmagens estão programada para começar em junho próximo. Serão oito semanas de trabalho divididas entre locações na região de Santarém, no Pará, e na Ilha de Santana, no Amapá. A estreia nacional deverá ocorrer nas férias de 2010/2011.

FAZ-DE-CONTA

Olhinhos puxados e cortes de cabelo iguais ao da heroína. O primeiro passo do treinamento para o papel da pequena Tainá foi formar uma turma coesa. As atividades seguem uma rotina diária de sete horas, que envolvem brincadeiras, faz-de-conta e dinâmicas de grupo. O Parque dos Igarapés foi escolhido como cenário para esse trabalho de adaptação de crianças nascidas a milhares de quilômetros dos centros urbanos.

Wara da Silva de Oliveira, 7 anos, veio da tribo Satere, no Baixo Amazonas, em busca do papel. Na rotina da menina, além das aulas ministradas por um tutor contratado pela produção, estão treinos de canoagem e brincadeiras com arco e flecha para compor a personagem.

Como parte da composição da personagem, as garotas são mantidas no local, sob cuidados dos seus responsáveis, tendo apenas os domingos livres. Mas logo elas estarão recebendo companhia. No dia 14, cinco jovens atrizes chegam para participar do treinamento, concorrendo para a personagem Maya, mãe de Tainá, que aparecerá pela primeira vez na série.

A produção do filme começa esta semana a procura pelo personagem Gobi, paralelamente ao treinamento que já está sendo realizado. Tomara que tenham mais sorte nesta empreitada.

SERVIÇO
Seleção para o personagem Gobi, do filme “Tainá 3”.
Os candidatos devem ser ter traços indígenas e idade entre 9 e 11 anos.
Envio de material fotográfico para o e-mail elencotaina3@gmail.com.
Mais informações: (91) 8815-0437.

Fonte: Diário do Pará

Teia da Cultura Amazônica

Belém recebe, entre os dias 4 e 7 de março, a Teia da Cultura Amazônica, evento que reúne movimentos e grupos culturais e representantes de Pontos de Cultura dos Estados do Pará, Amapá, Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima. A Teia da Cultura Amazônica é a etapa regional preparatória para a Teia Nacional 2010, encontro realizado pela Secretaria de Cidadania Cultural do Ministério da Cultura (Minc), que acontecerá em Fortaleza (CE) e que deve reunir cerca de 2.500 Pontos de Cultura de todo o Brasil. Os Pontos de Cultura são projetos realizados em parceria entre Ministério e governos estaduais, através do programa Cultura Viva, que funcionam como espaços de estímulo à formação, produção e promoção da cultura local.

A Teia de Cultura Amazônica será na reserva ecológica do Parque dos Igarapés. Na programação, estão previstos debates sobre a política cultural para os estados e para o país, além de apresentações artísticas e culturais. A Teia Amazônica é promovida pelas comissões Nacional e Estadual de Pontos de Cultura, com apoio dos Pontões de Cultura da Amazônia (ponto de articulação e ampliação dos pontos e cultura) e do governo do Pará. São esperados para o encontro representantes dos 149 pontos localizados nos seis Estados participantes, dos quais 79 se encontram no Pará.

Programação
Dia 04.03 - Quinta-feira
9h - Abertura do Encontro
10h - Painel "Pontos de Cultura e Transversalidade"
15h - Oficina de Gestão Compartilhada: orientação aos Pontos de Cultura do Convênio Estadual
17h30 - Rodas de conversas com órgão de cultura do Governo do Estado do Pará
19h30 - Abertura da "Teia da Cultura Amazônica": ato sociopolítico com as presenças da governadora do Pará, Ana Júlia, do secretario de Estado de Cultura e do secretário de Cidadania Cultural do MinC, Célio Turino.
21h - Mostra Artística

Dia 05.03 - Sexta-feira
8h - Roda de conversa "Pontos de Cultura e Transformação Social"Convidados: Célio Turino (SCC/MinC), Marcelo Manzatt (SID/MinC), representantes do Governo do Estado, Dan Baron (IDEA), Carlos Siqueira (CPPC- Comissão Paraense de Pontos de Cultura).
Mediador: Zé Maria (Executiva da TEIA BRASIL 2010)
Relatora: Lucimar Weil (Pontão de Cultura Pé na Taba, Amazonas).
11h - Roda de sensibilização sobre a agenda sociopolítica do movimento de Pontos de Cultura. Convidados: Delson Cruz (Representação Regional Norte do MinC - Ministério da Cultura); Nonato Chacon (Pontão A Bruxa Tá Solta-RR), Nilton Silva (Pontão de Cultura Rede Amazônica de Protagonsimo Juvenil).Moderador: Valmir Bispo (FCV-Fundação Curro Velho)
Relatora: Deize Botelho (Pontão de Cultura Pororoca da Cidadania)
14h30 - Painéis: "Tecendo as Teias de Cultura"Painelistas: Nilton Silva, representante do Pará Comissão Nacional de Pontos de Cultura; Deize Botelho, membro da Comissão Paraense de Pontos de Cultura; Zhumar de Nazaré, representante do GT Amazônico na Comissão Nacional de Pontos de Cultura; Zé Maria Reis, representante do GT Pontões e Redes na Comissão Nacional de Pontos de Cultura; Isaac Loureiro, coordenador da campanha "Carimbó Patrimônio Cultural Brasileiro"; Frederico Cardoso, coodenador executivo da Ação Cine Mais Cultura; Samir Raoni, animador da rede Cineclube Rede Norte - CRN; Francisco Weyl, Inovacine/Fapespa.
16h30 - Paineis "Apresentando os Pontões de Cultura da Amazônia" (representantes dos Pontões de Ananindeua, Santarém, Belém, Marabá, Manaus e Boa Vista)
19h30 - Inauguração do Infocentro Ananin Cultura Digital (Programa Navegapará).
20h30 - Mostra Artística (Praça da Bíblia, em Ananindeua)
Dia 06.03 - Sábado
8h - Abertura do "Fórum Amazônica de Pontos de Cultura"
8h30 - Aprovação do Regimento Interno
9h30 - Grupos de Trabalho sobre as propostas à Teia Brasil, CNC e outros.
13h - Almoço
14h30 - Fóruns estaduais de Pontos de Cultura (simultâneos por estado) para discussão da organização interna em cada estado e eleição de representantes para as comissões estaduais e para a CNPdC
16h30 - Plenária final de aprovação das propostas
19h - Jantar
20h30 - Mostra Artística

Dia 07.03 - Domingo
Articulações "Tecendo as redes de Pontos e Pontões de Cultura"
8h - Rumo ao Congresso Mundial IDEAn2010 "Viva a Diversidade Viva, Abraçando as Artes de Transformação"
9h30 - Bate-papo de articulação para os GTs da CNPdC (Amazônico, Pontões e Redes, GT Indígena - criação)
12h - Oficinas temáticas (audiovisual, cultura popular e memória, cultura digital)
15h30 - Diálogo Ação Tuxaua nos Pontos de Cultura da Amazônia
16h30 - Vivência de Despedida no Parque
18h30 - Jantar
19h30 - Mostra Artística: Roda de Carimbó no Iaçá e mostra Audiovisual.
Informações: www.teiamazonica.wordpress.com e 4009 8712.
Jussara Kishi - Secom, com informações da Segov

Nilson Chaves e convidados sexta-feira na Casa de Choro Pura Raiz


A Casa de Choro Ceará da Cuíca recebe nesta sexta-feira, 05 de março, o cantor e compositor paraense Nilson Chaves com o show “Nilson Chaves e convidados”. O artista tem uma tragetória musical que iniciou em Belém e correu o Brasil, onde dividiu palco com Flávio Venturini, Sebastião Tapajós, Eudes Fraga, Celso Viáfora, Zeca Baleiro, Vital Lima, Chico César, Lenine e outros. sempre está no Amapá somando com a cultura regional junto de seus parceiros de arte de sempre Joãozinho Gomes, Val Milhomem,Enrico di Miceli , Amadeu Cavalcante e Zé Miguel entre tantos músicos do Estado.

Nos últimos anos, dividindo seu talento entre Pará e Amapá, Nilson Chaves produziu e fez participação especial no show de comemoração de 50 anos de Joãozinho Gomes e Val Milhomem, em 2008, e no ano passado repetiu o mesmo trabalho artístico no Projeto Pixinguinha, com Joãozinho Gomes, Enrico Di Miceli e Patrícia Bastos. Este ano é a primeira apresentação do músico em Macapá, sob a coordenação dos produtores Cláudio Silva e Clícia Hoana, da Bacabeira Produções.

Os convidados escolhidos para dividirem a noite com Nilson foram Joãozinho Gomes, Enrico Di Miceli e Ana Martel, todos com CDs recém- lançados e que realizam show com freqüência em diversos cantos do Amapá. No repertório, muita música regional de autoria do próprio Nilson e grandes parceiros. Um passeio musical pelas mais importantes canções da carreira do artísta.

Serviço:
Local: Casa de Choro Ceará da Cuíca
Data: 05 de março (sexta feira)
Hora: 22:00
Mesa: R$ 50,00
Mais informações e venda de mesas: Bacabeira Produções
Telefones: 9913-1818/8115-9776
Ceará da Cuíca
Telefone: 9903-5239

Mariléia Maciel
Assessora de Comunicação
Mais informações: 8116-6687/3224-2947

2 de mar de 2010

Música, música, música...

Foto: Chico Terra
Um coração generoso quando pensa é para muitos, quando age é para muitos e quando é sensível faz por muitos. Chico Terra, grande amigo e um dos mais empedernidos fazedores de generosidades culturais que conheço criou uma rádio virtual para tocar a música feita na Amazônia. O endereço é http://www.amapabusca.com.br/.
É sentar diante do computador para navegar e acionar a rádio. Que delícia! De Ana Martel a Eliakin Rufino, passando por Zé Miguel e tantos nomes do cancioneiro amazônico. Tanta coisa linda, canções, lindas vozes...
Comigo agora é só Amazônia Brasil Rádio Web.
Valeu Chico!!!

Belém: Feminino com arte

Por Arthur Nogueira

Se, por um lado, o Brasil é o país do Carnaval e do futebol, por outro também é a seara das vozes femininas. Desde o começo, se tem notícia do surgimento de um grande número delas, marcando momentos importantes da história de nossa música: das divas do rádio às garotas de Ipanema da Bossa Nova; das cantoras e compositoras do final dos setenta ao ecletismo da geração 90/2000, que canta, compõe, executa e concebe arranjos. Às vésperas das comemorações do Dia Internacional da Mulher, quatro artistas resolveram se unir para celebrar essa trajetória, no show “Feminino com arte”, a acorrer no dia 6 de março, às 20h, no Teatro Maria Sylvia Nunes.

Promovido pela Organização Pará 2000, o espetáculo reúne, pela primeira vez no palco, as cantoras Alba Maria, Gigi Furtado, Juliana Sinimbu e Lucinnha Bastos. Com o título baseado na canção “Capitu”, do paulista Luiz Tatit, a proposta é que cada uma homenageie seus ídolos femininos e, a partir disso, se tornem porta-vozes dos amores, dissabores, sonhos, frustrações - e até convicções - de toda mulher.

Com produção e cenografia de Nandressa Nuñez, direção musical de Adelbert Carneiro e direção artística de Arthur Nogueira, “Feminino com arte” faz um apanhado de músicas que ficaram marcadas nas vozes de Elizeth Cardoso, Maysa, Fátima Guedes, Elis Regina, Clara Nunes, Maria Bethânia, Marisa Monte, entre outras artistas, de diversas gerações.

SERVIÇO
Show “Feminino com arte” – com Alba Maria, Gigi Furtado, Juliana Sinimbu e Lucinnha Bastos
Dia 06 de março de 2010 – 20hs – R$20 (meia-entrada para estudantes)
Teatro Maria Sylvia Nunes (Estação das Docas)
Informações: 9198-6794 (ingressos antecipados)
Colaboração: Gigi Furtado

Curso de teatro para iniciantes no Sesc Araxá

O Sesc Amapá abre inscrições para o Curso de Teatro, destinado ao público simpatizante na arte de representar. O curso terá duração de seis meses e começará suas aulas no dia 15 de março. Serão trabalhadas as principais teorias/atividades do teatro: História do teatro, as tendências do teatro, as principais vertentes do teatro contemporâneo, improvisação, partitura física, leituras interpretativas, técnica vocal, entre outros. As aulas acontecerão no Teatro Porão, localizado nas dependências do Sesc Araxá, das 19 às 21 horas, nos dias de segundas, quartas e sextas.

Serviço:
Curso de Teatro
Inscrições: Central de atendimentos Sesc Araxá
Idade mínima: 15 anos
Duração: Seis meses
Início: 15 de março
Mensalidades: R$ 30,00 usuário e R$ 15,00 comerciário e dependente

Informações: 8127 4065 e 3241 4440 Ramal 257

Ghata oferece oficina de artes circenses

Oficina de Arte Circense
Acrobacia Aerea em Tecidos
Inscrições Abertas

Data da Realização da Oficina: 03 a 05 de março de 2010
Horário: 18 às 21h
Local : na Sede do GHATA
(Av. Cora de Carvalho,579-Centro.Fone contato:9972-6212)
Taxa de manuntenção:R$10,00

Instrutor Anderson Balhero do Circo Teatro Girassois do Rio Grande do Sul

“Samba na Medida Certa” para começar o fim de semana


Samba, bossa, seresta e pagode rimando sucessos atuais e de outras décadas mas todos igualmente criados com o que Brasil tem de melhor na música:ritmo e letras deliciosas de ouvir e dançar. É o show “Samba na Medida Certa” que a artista Marilene Azevedo vai apresentar no dia 5 de março, sexta-feira, no Bar Teatro Carinhoso. Amapaense nascida e criada no bairro do Laguinho, Marilene desde cedo esteve no meio musical envolvida com poetas e músicos como Fernando Canto e Osmar Júnior, também autênticos laguinenses e ouvindo mestres como Francisco Lino e Sebastião Mont’Alverne.

Como cantora do Grupo Pilão, do qual fez parte por cinco anos, Marilene gravou os cd’s Trevelê e Nas Marés do Tempo. Há alguns anos ela se apresenta em shows de amigos atendendo a convites e integra como vocalista os grupos de música e dança Afro-Baraká e Yalodes, os dois com repertórios de músicas de matriz africana e muito samba. “É um sonho que realizo, sempre desejei transformá-lo em realidade e não podia perder essa chance de reunir amigos nesse show que está sendo produzido com carinho e profissionalismo”, diz a artista.

Para dar completar o show, Marilene convidou o grupo Papo de Samba Raíz, especialista em Cartola, Nelson Cavaquinho, Candeias e outros sambistas, e ainda os grupos Yalodes e Afro-Baraká. No repertório sucessos interpretados por Clara Nunes, Maria Rita, Beth Carvalho, Alcione e Zeca Pagodinho. A produção promete sambas tradicionais e atuais em um espaço para quem quiser dançar.

Serviço:
Show “Samba na Medida Certa”
Local: Bar Teatro Carinhoso
Hora: 21:00
Mesa: R$ 40,00
Individual: R$ 10,00
Contato: 3223-1357/9906-0959/9962-1573/8133-5385

Mariléia Maciel
Assessora de Comunicação
Mais informações: 8116-6687

1 de mar de 2010

Descendentes de Mestre Oscar inauguram escola de música em Macapá



Inaugurou em Macapá o Centro de Formação Musical AIAPI, uma escola de música diferenciada no Estado por sua estrutura física, professores, e por trazer à população amapaense toda a tradição familiar dos descendentes de Mestre Oscar Santos, um dos mais importantes nomes da música amapaense e um dos principais músicos do interior da Amazônia. Junto com o Centro de Formação Musical AIAPI está sendo criado o Instituto de Arte Oscar Santos, que será responsável pelo resgate e preservação da história de Mestre Oscar, além de apoiar e promover as diversas formas de manifestação artística e cultural.

Oscar Santos foi o maior educador musical da região, ensinando a tocar todos os instrumentos musicais nas áreas de sopro e percussão, além de violão, violino, bandolim, acordeom e piano. Fez parte da primeira equipe do corpo docente do antigo Conservatório Amapaense de Música, responsável pelas disciplinas de teoria musical, solfejo e harmonia. Mestre Oscar revolucionou a educação e a cultura musical no Amapá. É autor da melodia do hino oficial do Estado, a "Canção do Amapá". Seu trabalho marca o início da história da música amapaense, através de prática de bandas de música.
É com essa tradição musical, experiência, capacitação profissional e credibilidade, que os herdeiros de Mestre Oscar, as professoras Neuma, Socorro e Fafá, e o professor Beto Oscar, colocam à disposição da população amapaense uma escola de música única no Estado.

O Centro de Formação Musical AIAPI está com matrículas abertas em:
PianoTecladoViolãoViolinoGuitarraContrabaixo elétricoBateriaFlauta doceTécnica vocalCantoLeitura de partituraMusicalização para crianças a partir de 5 anos de idadeEm breve estarão disponíveis aulas de clarinete, sax, trompete e cavaquinho. As aulas poderão ser individuais ou em turmas, sempre em salas climatizadas.

Endereço: Avenida Ceará, nº 360, Pacoval
(entre as Ruas Guanabara e São Paulo)
Telefones: 3222-0838 / 8115-0010 / 9131-3819
Por Ivan Daniel Amanajás