18 de mar de 2010

Quando o amor acontece...


Aos pouquinhos a gente vai aprendendo que seres humanos possuem limitações. Você mesmo as possui! Ninguém é totalmente bom e nem ruim. Não é só um clichê. E as vezes aquela pessoa que você tanto ama, não corresponde às suas expectativas. Mas isso não faz dela uma pessoa má, e se o seu amor por ela acabou por causa daquele defeito, então a limitação é sua. Você é que não sabe amar pessoas reais. Você é que precisa de protótipos perfeitos para se sentir seguro.

Por outro lado algumas pessoas de quem você costuma não gostar, e constantemente usa argumentos vazios como "meu santo não bateu com o dela", são pessoas que tem problemas dos quais você não faz idéia. E quem sabe naquele momento que você a está julgando, ela não precise apenas de um bom abraço de um estranho, como você.

Pessoas reais possuem amores reais. Por mais difícil que seja admiti-los. Do contrário, seria impossível entender por que às vezes somos magoados, destratados, humilhados, enganados e mesmo assim continuamos amando aquela pessoa. É o amor real, diferente dos contos de fadas aos quais fomos acostumados a associar nossas vidas.

Quando amamos certos aspectos de um ser humano, e odiamos outros aspectos, temos que nos esforçar para deixar prevalecer o amor, independente do que é mais explícito naquela pessoa. Ame apenas por amar. Não é apenas uma mensagem do Evangelho, é um conceito que engrandece a nós mesmos, como pessoas, e torna nossa existência mais produtiva, mais acolhedora.Todos temos limitações e gostaríamos de ser amados mesmo as possuindo. Estenda, então, esse desejo aos próximos. É o que, por hora, sei dizer.

Por Juliana Corrêa

6 comentários:

__________________________________________Marcos Quinan disse...

Parabéns Juliana, maravilhoso.

“Existe é homem humano.” Guimarães Rosa.

Abraço

Juliana Corrêa disse...

"Não era amor, Lopes. Era mais." Clarice Lispector. hehehe

Alcilene cavalcante disse...

Que lindo Ju..Estou adorando seus escritos

Lulih Rojanski disse...

Belíssimo...

Jac. disse...

Muito bom, Juliana!
Muito bonito!

Ana Girlene disse...

Ju, que texto bacana. Você é surpreendente. Parabéns!