30 de dez de 2009

Desejamos a você um 2010 luminoso


A todos que passam por aqui diariamente ou vez por outra, acompanhando o Papel de Seda, desejamos que o ano nascente traga luminosidade interior para que a vida siga seu curso com lucidez e equilíbrio. Que a alegria nasça das conquistas simples e cotidianas, fazendo valer a pena os esforços de todos por uma vida digna, saudável e feliz. Acreditamos que somos aquilo que escolhemos ser e que, portanto, cabe a nós a colheita do que plantamos. Que essa colheita seja justa para todos e suficiente para revigorar a força de Deus que habita em cada um de nós.
Feliz Ano Novo!!!
Janaina, Juliana e Márcia

Funarte realizará assembleias estaduais de música em janeiro

De 6 a 25 de janeiro de 2010 serão realizadas Assembleias Estaduais Setoriais de Música em todo o país. A Fundação Nacional de Artes do Ministério da Cultura (Funarte/MinC) convida os agentes da cadeia produtiva/criativa da música (artistas, produtores/empresários, mediadores sociais, educadores musicais, entre outros) a participarem deste encontro.

Para tanto, deverão eleger três delegados que farão parte da Pré-Conferência Setorial de Música. Dezoito estados e o Distrito Federal já divulgaram a data e local de suas assembléias estaduais. Os membros da sociedade civil interessados em se candidatar a delegados da Pré-Conferência durante as Assembléias Setoriais Estaduais e Distrital devem fazer o registro de sua candidatura. Os delegados eleitos deverão postar, até 31 de janeiro de 2010, os documentos exigidos na Resolução nº 2, para concluir sua habilitação.
Por Clelia Araújo

28 de dez de 2009

Osmar Junior e Amadeu Cavalcante celebram os 20 anos de Sentinela Nortente

Um show de Osmar Júnior e Amadeu Cavalcante vai relembrar os 20 anosdo mais importante registro fonográfico da música amapaense nasúltimas duas décadas: o LP Sentinela Nortente. O disco é o primeiro registro do Movimento Costa Norte e abriu espaço para outros *longplays* como “Formigueiro”, de Val Milhomem, e “Vida Boa”, de ZéMiguel.
O show, que acontece terça e quarta-feira, 29 e 30 de dezembro, no Teatro das Bacabeiras, às 20hs, tem direção musical de Cleverson Baía e reúne músicos consagrados como João Batera (bateria), Pingo (teclado), Rogerinho (contra-baixo), Bebeto Nandes (teclado) e Sérgio Gato (percussão). Como convidados estarão Val Milhomen e Zé Miguel.
De acordo com Osmar Junior, Sentinela Nortente foi concebido durante um final de semana em que passou isolado numa fazendo no Maruanum, apenas com a companhia do violão e da namorada. Ali surgiram boa parte das composições, como “Coração tropical” e a música tema do disco.
Depois vieram outras composições, como “Tajá”, primeira parceria de Osmar Junior com Fernando Canto. Encerrada a fase de composição, Osmar Junior escolheu como intérprete de seus manifestos Amadeu Cavalcante, músico que já se destacava na noite amapaense. Surgia então o “Sentinela Nortente”, o compacto que representou o grande suspiro da música regional. Sob a influência dos ritmos caribenhos, da salsa, do merengue, e também do brega e da toada, Osmar Júnior compôs clássicos do cancioneiro regional, que são cantados até hoje.
O disco foi gravado em Belém na Gravason e teve a participação dos músicos amapaenses Zenor Silva, João Batera, Ednilson e Manguinha além de Téo Lima, do Pará. Sentinela Nortente é, em termos históricos, sociológicos, estéticos, filosóficos, um repositório do universo sócio-cultural que OsmarJunior tão brilhantemente captou e Amadeu Cavalcante soube interpretar com maestria.
Renivaldo Costa
Assessor de Imprensa

Boêmios: festa e homenagem para comemorar 56 anos de carnaval

Sambistas Nega Vânia, Carlinhos Bababá e Macunaíma

A Universidade de Samba Boêmios do Laguinho completa 56 anos reunindo gerações de boemistas, desde fundadores até crianças que fazem parte da academia, convidados e comunidade. No sábado, 2 de janeiro, dia do aniversário, uma grande festa está sendo preparada para comemorar a história de carnaval da mais antiga agremiação carnavalesca do Amapá.

Este ano a homenageada será a Rainha da Bateria Nega Vânia, que está à frente dos ritmistas da Bateria Pororoca há 10 anos. A homenagem tem justificativa que foi aprovada por todos. Nega Vânia é uma laguinense autêntica, moradora do bairro desde que nasceu, é de uma família tradicional onde todos torcem para Boêmios e São José, o time do bairro, nunca abandonou a Universidade, mesmo nos momentos de crise que toda agremiação passa e defende Boêmios na avenida com emoção e paixão.

“Nega Vânia nasceu Boêmios, desfila desde criança nas alas infantis, passou por várias alas comuns e coreografadas, sambista e hoje está no posto há dez anos mostrando o que é ser apaixonada por uma escola de samba, quando ela entra na avenida, todos percebem, ela não é simplesmente uma moça que está na frente da bateria, sem paixão, não está de passagem, ela é Boêmios, um dia vai deixar o posto, mas com certeza nunca deixará de ser boêmios”, fala o presidente Vicente Cruz.

A festa vai começar às 20:00 e terá apresentação de Osmar Júnior, boemista e autor de enredos poéticos que deram título e até hoje emocionam. A comemoração continua com apresentação da homenageada Nega Vânia, crianças da Escolinha Falconery, com os casais de mestre sala- e porta bandeira mirim e primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira. Tudo ao ritmo da Bateria Pororoca. Após as apresentações, muito samba e pagode até a madrugada. As portas da sede estarão abertas ao público e convidados.

Mariléia Maciel
Assessora de Comunicação - AUSBL

25 de dez de 2009

Elias de Paula: Poema de Natal


Que tua estrela sempre brilhe e retorne ao teu céu,
Iluminando o teu renascimento e do teu mundo,
E todos os teus sonhos e esperanças do melhor que há em ti,
Possam se confirmar como uma divina Dádiva.
Que a paz se abrigue em teu espírito e em tua alma,
O amor seja o hóspede permanente de teu coração,
E a alegria se abra em teu sorriso e em teus olhos,
Transbordando a tua volta e anunciando tua chegada.
Que a tua vinda e vida sejam sempre um anúncio de festa
Para os que te cercam, te encontram e te amam,
E que o reconhecimento da realeza de tua origem,
Resplandeça no berço de tua humildade.
Que todos os homens e mulheres de boa vontade,
Possam reconhecer em ti a Mensagem de Boas Novas,
E tenhas aos teus pés os presentes que serão teus tesouros
E que jamais serão subtraídos: tua sabedoria e tranqüilidade.
Que os anos da Luz te cerquem e cuidem de teu caminho,
E que a Graça e a benção de Deus estejam sobre ti,
A chama divina jamais se apague em teu templo interior,
E sejas sempre o melhor presente para ti e para os teus.
Que as estações se sucedam em tua vida te dêem viço,
e possas realizar as semeaduras e as colheitas do Bem,
E assim cultives os jardins e construa as pirâmides
Que marcarão tua vida e tua eternidade.
Corra sempre o rio em que te purifiques e renasças,
O vinho da alegria nunca falte na festa de tua vida,
E os pães se multipliquem sempre e possas reparti-los,
Entre os que necessitam e na ceia dos que te amam.
Que ninguém te atire pedras, mas comemore tua chegada,
Derramando-te óleo perfumado sobre teus cabelos e teus pés,
E se houver tempestade, que ela cesse perante ti,
E o mar da vida se abra para que possas atravessá-lo.
Que o teu nome esteja escrito no Livro dos Filhos da Luz e da Eternidade.

Com todo Amor e Carinho, Obrigado por Ti.

Elias de Paula Araújo

14 de dez de 2009

Atitude cidadã

A jornalista Sândala Barros, atualmente no Sebrae, fez o que todo mundo deveria fazer. Ao constatar que a obra de recuperação do canteiro central da av. Feliciano Coelho em Macapá está prejudicando as árvores do local, comunicou à Promotoria do Meio Ambiente. As árvores estão sendo "estranguladas" pelo calçamento. Acionado, o Ministério Público tomou providências conforme documento abaixo:
"A Sua Excelência o Senhor
DAVI SAMUEL ALCOLUMBRE TOBELÉM
Secretário Municipal Obras (SEMOB/PMM)

NESTA

Ref. Canteiros centrais Avenida Feliciano Coelho

Senhor Secretário,

Considerando o grande número de reclamações recebidas nesta Promotoria de Justiça a respeito de possível comprometimento da arborização e paisagismo urbano por ocasião da recuperação de canteiros centrais da Avenida Feliciano Coelho (da Rua Tiradentes até a Hildemar Maia), sirvo-me do presente para solicitar que encaminhe cópias de projeto e/ou pareceres técnicos que fundamentem os serviços tais como estão sendo realizados no prazo de 15 (quinze) dias.

RECOMENDAMOS, desde logo, a adoção das medidas preventivas e corretivas que garantam as condições vitais para sobrevivência e desenvolvimento de espécies vegetais plantadas atualmente, que venham a ser plantadas ou as que venham a ser substituídas no trecho supracitado.

Atenciosamente,

Haroldo José de Arruda Franco
Promotor de Justiça"

Macapá de São José e São José de Macapá

Palestra "Macapá de São José e São José de Macapá - a identidade amapaense segundo o olhar da Psicologia Analítica".
O custo para assistir à palestra é de um brinquedo para menino e um brinquedo para menina, que serão encaminhados posteriormente às crianças internadas no Hospital da Criança e do Adolescente durante o período de Natal.
O envento ocorrerá no dia 17/12 (quinta-feira), às 19:00, no Centro Clínico Seama. A inscrição pode ser feita por telefone ou pessoalmente.
CENTRO CLÍNICO SEAMA PSICOLOGIA
Av. Presidente Vargas, 2661, Santa Rita
Entre Marcelo Cândia e Santos Dummont
Tel: (96) 3223 3810

9 de dez de 2009

Macapá terá Feira de Artesanato Reciclado neste final de semana


Neste final de semana a Praça Floriano Peixoto será o espaço da primeira Feira de Reciclável de Macapá. Realizada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente, a Feira tem como objetivo promover a educação ambiental e valorizar o trabalho feito dom material reciclado, dando oportunidade para que os artesãos que trabalham com reaproveitamento comercializem e seus trabalhos.

A feira vai acontecer nos dias 12 e 13 de dezembro, de 17 às 22 horas. A Semam garantirá a estrutura física e a organização do evento. Durante a Feira será apresentado um desfile de roupas recicladas. Os interessados em participar podem procurar a Semam, na rua Claudomiro Matias, 1530, Jardim Felicidade I, ou ligar para o número 4009-1611, de 08 às 14 horas.

Mariléia Maciel

7 de dez de 2009

É proibido proibir a Tropicália

O projeto Navegando na Vanguarda apresenta o show-manifesto Tropicália na Linha do Equador, com o compositor/cantor amapaense Aroldo Pedrosa, vencedor de festivais de música popular pelo país, entre eles o 3º Fest Sinhá – Festival Internacional da Canção de Goiás/2000, o 10º Festival MPB de Tatuí/2001 (SP), o 37º Festival da Canção de Boa Esperança/2005 (MG) e o II Festival Universitário da Canção-Feucan/2005 (Macapá-AP).

Aroldo Pedrosa contará com o acompanhamento da banda Vanguarda Amazônica, formada pelos músicos amapaenses Alan Bacelar (direção musical, violão e guitarra solo), Irlan Guido (guitarra base), João Paulo (teclado), Helder Melo (baixo), Tato (bateria), Paulo Vilhena (percussão), Aritiene Dias (sax), Jorge Luís (trompete) e Antônio Carlos (trombone). Fechando o elenco, as becking-vocal Lorena e Camila, e a atriz Rosa Rente, que fará intervenções poéticas tropicalistas.

O repertório das canções do show foi escolhido através de um trabalho minucioso de pesquisa, fazendo um panorama da MPB, que vai da popularíssima e inesquecível Vou tirar você desse lugar (Odair José) à antológica e revolucionária É proibido proibir (Caetano Veloso), além das canções do compositor Aroldo Pedrosa que se destacaram pelos festivais do Brasil, como “Levemente Louca” e “Todas as Mulheres do Mundo nº 2” – ambas em parceria com o compositor Cléverson Baía.

Tropicália na Linha do Equador é um show coletivo de artistas convidados – Lula Jerônimo, Jô Masan, Cléverson Baía, Dilean Monper, Roni Moraes, Dylan Rocha, Américo Brasil, Alê d’Ile, Rebeca Braga, Layza Michelle e Brenda Nandes.

O clássico Sintonia (Moraes Moreira), Aroldo Pedrosa e Américo Brasil cantam em homenagem saudosista à chamada música brega de qualidade que o movimento, sem nenhum preconceito, absorvia. A extraordinária “Construção”, de Chico Buarque de Holanda, e com os mesmos arranjos do tropicalista Rogério Duprat, o anfitrião interpreta em parceria com Roni Moraes, para, em seguida, rememorarem “Você não entende nada/Cotidiano”, do antológico encontro de Chico e Caetano, no show gravado ao vivo, realizado em 1972, no Teatro Castro Alves (Salvador/BA).

Alan Bacelar é um jovem compositor do movimento musical alternativo de Macapá (as chamadas bandas de garagem), mas que envereda pela MPB, tendo inclusive classificado música em festival do Rio de Janeiro. No show-manifesto, acompanhado pelo piano de Dilean Monper, Alan canta Imagine (John Lennon), em homenagem ao genial artista inglês assassinado em 8 de dezembro de 1980, ou seja, há exatos 19 anos. Depois, com a banda, faz Perfeição (Renato Russo) – canção contemporânea de protesto ao “Brasil da pilantragem do século 21”. Lula Jerônimo e Alê d’Ile homenageiam Tom Jobim, falecido também na mesma data e cidade (Nova York), mas há 10 anos.

Rebeca Braga despontou no Festival Jovem da Canção (Fejoca) e hoje é cantora reconhecida em nosso cenário musical – canta Lindonéia (Caetano Veloso/ Gilberto Gil), gravada recentemente por Fernanda Takai. Dylan Rocha tem o jamaicano Bob Marley como mestre e faz o reggae do umbigo do mundo. Cléverson Baía, parceiro do protagonista Aroldo Pedrosa, é convidado para mostrar Levemente Louca.

Layza Michelle e Brenda Nandes, que debutaram em shows recentes pelo projeto Botequim (Sesc Amapá), vão incorporar a cantora tropicalista baiana Gal Costa, com as clássicas Vapor Barato e Baby.

Importante momento do show-manifesto é a reverência que o artista – discípulo confesso do movimento tropicalista – faz aos 41 anos da Tropicália, rememorando dois episódios históricos e controvertidos da cultura brasileira: o Phono 73 – quando o compositor/cantor baiano Caetano Veloso, ao retornar do exílio londrino, se apresentou com o cantor brega Odair José, cantando Vou tirar você desse lugar. O segundo episódio é o polêmico Festival Internacional da Canção-FIC, de 1968, realizado no Teatro TUCA (SP) e promovido pela Rede Globo, onde o criador da Tropicália, acompanhado da banda Os Mutantes, defendeu a sua É proibido proibir, explodindo em um discurso que perpetuou a máxima “Vocês não estão entendendo nada”. A reverência culmina com o retorno de “1968 – o ano que não terminou”, do escritor e jornalista Zuenir Ventura – livro famoso que fala dos acontecimentos da época, reeditado agora e provocando novas e acaloradas discussões. Em Vou tirar você desse lugar, o músico Alan Bacelar faz o violão tocado por Odair José, e na emblemática É proibido proibir, a banda Vanguarda Amazônica recebe o reforço da Mini Box Lunar para reviver a banda tropicalista Os Mutantes. É proibido proibir é homenagem ainda aos músicos que fizeram Os Joviais – grupo musical amapaense, dos anos 1960, provocador da retirada do governador Ivanhoé Gonçalves Martins – o mais linha-dura de todos os governadores militares que vieram para o Amapá no período da ditadura –, ao tocar em evento a canção de protesto de Caetano Veloso. O vocalista-fundador da banda, Jô Masan, hoje com mais de 50 anos, é convidado para relembrar o inusitado episódio ocorrido no auditório do Cine Territorial (atual Escola Barão do Rio Branco) e cantar “Vou Ver Chicago”, feita numa noite longínqua e clandestina dos anos rebeldes.

No repertório tem ainda “Como 2 e 2”, composição de Caetano Veloso composta no exílio londrino para o rei Roberto Carlos e Soy loco por ti, América (Gilberto Gil/ Capinan), composição feita em homenagem ao líder guerrilheiro Che Guevara, morto em 1968. Esta canção (uma idéia de Caetano) é marco do Tropicalismo. E para temperar e mexer ainda mais o caldeirão, Linha do Equador – canção de Caetano em parceria com o compositor alagoano Djavan, e bem representativa da idéia da Tropicália no meio do mundo. E o show se encerra apoteoticamente com canções carnavalescas: Eu quero botar meu bloco na rua (Sérgio Sampaio) – que o Brasil inteiro cantou nos anos 1970, outra importante canção de resistência ao truculento regime militar instaurado no Brasil a partir de 1964 –, A filha da Chiquita Bacana e Chuva, Suor e Cerveja – marchinhas maravilhosas e pulsantes do disco “Muitos Carnavais” do doce bárbaro baiano.

Tropicália na Linha do Equador contará ainda com cenário, decoração e banquete de frutas. Não perca!

Serviço

Show: Tropicália na Linha do Equador
Local: SESC Centro – Avenida Padre Júlio com Rua General Rondon
Data: 8 de dezembro de 2009 – terça-feira
Início: 21h
Traje: Tropicalista
Entrada: Franca - leve uma fruta, de preferência tropical, para o Banquete da Tropicália


Por Lulih Rojanski

3 de dez de 2009

Palestra e seminário transpessoal com Alberto Almeida

Dia 05/12/09 - Palestra Pública "A mensagem da Manjedoura"
Hora - 20 horas
Local - Teatro das Bacabeiras
Colaboração - 1 kg de alimento não perecível (arroz, feijão, açúcar e leite)

Dia 06/12/09 - Seminário transpessoal "Aproxime-se do amor... Com cuidado"
Hora - de 08 às 12 horas
Local - Auditório do Museu Sacaca
Investimento: R$ 30,00

Organização: Federaçao Espírita do Amapá

O conferencista espírita paraense de Dr. Alberto Almeida vem a Macapá, à convite da Federação Espírita do Amapá, realizar seminário transpessoal e palestra pública. No seminário transpessoal o Dr. Alberto Almeida será facilitador do tema "Aproxime-se do amor... Com cuidado". Na palestra o tema será "A Mensagem da Manjedoura".

Os alimentos arrecadados durante a palestra serão destinados às obras assistenciais da Casa Chico Xavier, localizada em anexo à Federação Espírita do Amapá, Rua Odilardo Silva, 1131 – Próximo à Prefeitura de Macapá. Fone: 3224-1730

29 de nov de 2009

Até ontem


Nunca mais palavra minha
Refluxo de dor na garganta
Parede inacabada e fria

Nunca mais palavra mal dita
Assim mesmo inescrita
Contrário da regra formal
Intrépida, quase carnal

Nunca mais palavra bêbada
Inebriada de autorias
Rugas na escrita sombria
Velhos vícios de amar

Nunca mais inacabar

25 de nov de 2009

Sarau da Confraria Tucuju terá Ana Martel e Zé Miguel

Foto: Chico Terra

Com ânimo de festa a Confraria Tucuju prepara o último sarau de 2009 para a próxima sexta-feira (27), com início marcado para as 20 horas. Os dezesseis poetas que compõem a coletânea “Poetas, contistas e cronistas do meio do mundo” serão homenageados na noite que contará ainda com shows da cantora e compositora Ana Martel e do cantor e compositor Zé Miguel. O Sarau do Largo dos Inocentes é um dos projetos que a Confraria realiza desde o verão de 2008 com enorme sucesso.

Lançada recentemente, a coletânea “Poetas, contistas e cronistas do meio do mundo” integra o projeto Samaúma da Literatura Amapaense, uma realização do Grupo Universo com apoio do Governo do Estado e da Confraria Tucuju. A primeira parte do sarau será dos poetas, com participação do cantor William Klaus. São eles: Alcinéa Cavalcante, Sânzia Fernandes, Carla Nobre, Obdias Araújo, Ricardo Pontes, José Queiroz Pastana, Rostan Martins, João Barbosa, Manoel Bispo, Mauro Guilherme, Fernando Canto, Herbert Emanuel, Paulo Tarso, Osvaldo Simões, Jonas Diego e Jô Massan.

Logo após subirá ao palco a cantora Ana Martel com o show “Sou Ana”, título do CD lançado pela artista em setembro no Teatro das Bacabeiras. Ana Martel tem mais de vinte anos de carreira como intérprete da Música Popular Brasileira. Este ano, com apoio integral da Eletrobrás, através de incentivo da Lei Rouanet, gravou seu primeiro trabalho, com repertório quase integralmente autoral. Ana mergulha nos ritmos regionais e os transforma em uma linguagem elegantemente universal. Sua música é leve, de sonoridade contagiante e repleta de sentimento.

Para fechar a noite subirá ao palco um dos artistas de maior popularidade no Amapá, Zé Miguel. Autor de músicas emblemáticas como “Vida Boa” e “Pérola Azulada”, essa última em parceria com o poeta Joãozinho Gomes, Zé Miguel consegue traduzir a alma dos amapaenses e dos que adotaram o Amapá no coração. Parceiro de grandes compositores da Amazônia, o artista conta em sua discografia com cinco discos solo, participação nos CDs “Dança das Senzalas” e “Planeta Amapari”, este último lançado também na Alemanha e na França.

Sua obra integra a coletânea Brasil 500 anos de Groove, também lançada simultaneamente nos dois países europeus. Em 2008 Zé Miguel lançou seu primeiro DVD, “Meu endereço”, e participou do DVD “Gente da mesma floresta” gravado no espaço Itaú Cultural em São Paulo. Atualmente trabalha no CD “Feito em casa”, uma coletânea que reúne músicas de seus cinco trabalhos individuais e algumas canções inéditas.

O sarau terá ainda exposição fotográfica, exposição de artes plásticas, comercialização de artesanato, gastronomia regional, sebo cultural, exposição e venda de obras literárias produzidas no Amapá e venda de CDs de artistas regionais. O evento conta com apoio da VEX Construções.

24 de nov de 2009

Maestro amapaense Joaquim França se apresenta em Belém no fim de semana

O maestro e arranjador amapaense Joaquim França se apresenta no próximo final de semana em Belém pelo Projeto Brasil Clássico Caipira, do Centro Cultural Banco do Brasil. É a primeira vez que o músico percorre o Brasil com o projeto, que já passou por São Luiz, Vitória, Porto Alegre e Campo Grande em comemoração aos 80 anos de gravação do primeiro disco com moda caipira no Brasil. O espetáculo reúne grandes artistas brasileiros que apresentam parte do acervo de música caipira numa releitura com arranjos de música de concerto.

Joaquim França é formado em regência e licenciado em música pela Universidade de Brasília onde reside atualmente. Iniciou sua carreira em Macapá, na banda Oscar Santos. Joaquim tem um currículo que inclui apresentações acompanhando Guilherme Arantes, Francis Hime, Edson Cordeiro, Elomar, Xangai e outros. O maestro foi regente titular da Orquestra Filarmônica de Brasília de 1993 até 2007 e atuou como regente assistente dos maestros Roberto Duarte, Aylton Escobar e Gottfried Engels no Concurso Internacional de Verão de Brasília. Com a orquestra Sinfônica do Teatro Nacional de Brasília regeu diversos concertos e foi classificado como um dos melhores arranjadores do 1º Concurso Nacional de Arranjos Para Banda Sinfônica. Atualmente é professor da Escola de Música de Brasília.

Participam do projeto em Belém os cantores Pena Branca, Dércio Marques, Genésio Marques e as irmãs Galvão. Acompanhando estão os músicos Joaquim França, Cláudio Cohen, Denise Gomes, Glesse Collet, Osvaldo Amorim e outros reconhecidos nacionalmente. Eles interpretarão sucessos como Trenzinho Caipira, Tristeza do Jeca, Cuitelinho, Moreninha linda, Romaria, Luar do Sertão, João de Barro, Beijinho Doce e muito mais, todos com arranjos elaborados em melodias que misturam tradição e erudição.
O espetáculo será domingo, 29, no Hangar Centro de Convenções. A direção musical é do maestro Rildo Hora.

Mariléia Maciel
Assessora de Comunicação

Casa de Choro Pura Raiz comemora dois anos e traz convidados especiais

O mais tradicional grupo de chorinho do norte do Brasil se apresenta em Macapá no próximo dia 3 de dezembro. É o Grupo Gente de Choro, que toca quase que exclusivamente na Casa do Gilson, em Belém, e lota o espaço de amantes de chorinho onde apresenta o repertório eclético com composições de artistas consagrados de todo o país.

O grupo foi criado há 30 anos para preservar o gênero choro e é integrado por músicos experientes como Paulo Borges, Adamor do Bandolim, Gilson Rodrigues, Cardosinho, Paulinho Moura, Gerardão, Amarildo Raiol e Emilinho Meninéa. Além da Casa do Gilson, eles se apresentam em shows e eventos culturais no Estado do Pará e outros estados.

Gente de Choro vai se apresentar na Casa de Choro Pura Raiz como participação especial na programação que inclui ainda Clarinetada, show de flauta com crianças, grupo Pura Raiz e velha guarda do samba. As mesas custam R$ 40,00 e podem ser compradas com o proprietário, o Ceará da Cuíca, pelo fone: 9903-5239.
Mariléia Maciel
Assessora de Comunicação

23 de nov de 2009

Antônio Munhoz diz que a leitura deve passar pela realidade

Foto: Chico Terra

O nome Antônio Munhoz Lopes é quase uma marca. Atento a tudo, aos 77 anos o professor de literatura mais celebrado do Amapá não está mais nas salas de aula há anos. Mas, longe de se aposentar da expressão viva da transmissão do conhecimento, é chamado e atende com disposição jovial sempre que o assunto é ensinar e aprender. Professor de letras e lingüística, bacharel em Direito, escritor, membro do Conselho de Cultura do Amapá, diretor de acervo cultural da Confraria Tucuju, um currículo respeitável. Mais respeitáveis ainda são suas idéias e considerações sobre a educação e a leitura.

Pepel de Seda

Seus ex-alunos o reconhecem como um grande mestre, sobretudo no incentivo à leitura. O senhor costuma dizer que ama os livros. Como esse amor nasceu na sua vida?

Prof. Munhoz

O início desse amor está na minha infância quando descobri que meu pai tinha uma biblioteca. Havia livros de poesia, romances, não só uma literatura científica, porque ele era farmacêutico. Com o tempo fui desenvolvendo esse amor, não pelos livros, mas o amor pela leitura.
Fui o primeiro professor no Amapá, para escândalo de muita gente na época, a levar para a sala de aula revistas e jornais para atualizar o aluno. Para que ele não ficasse só com a leitura dos romances dos séculos XVIII, XIX e XX, mas com a leitura da realidade presente. Quando Kennedy foi assassinado e o Papa João XXIII morreu, eu levei as manchetes para a sala de aula e nós lemos, comentamos e na prova final eu cobrei uma dissertação sobre as mortes dessas grandes figuras do século.

Pepel de Seda

O incentivo à leitura deve passar então pela percepção dessa realidade presente?

Prof. Munhoz

Exatamente! Não é uma leitura apenas para deleite pessoal. Mas, uma leitura que enriquece os seus conhecimentos e que o atualiza diante do mundo de hoje, onde tem a televisão, o rádio, a revista e, sobretudo, a internet que deu um avanço extraordinário ao conhecimento.

Pepel de Seda

Qual o papel da família no envolvimento da criança com a leitura?

Prof. Munhoz

O amor pelos livros começa em casa. Então, pergunto: numa casa onde não entram revistas, jornais e livros como a criança pode despertar para a beleza e para a necessidade da leitura? A família é fundamental neste aspecto.

Pepel de Seda

Qual a abrangência da leitura na vida das pessoas?

Prof. Munhoz
A leitura tem aspecto intelectual, moral, científico e mesmo religioso. Nos primeiros tempos do cristianismo os apóstolos falavam da doutrina cristã, mas eles incentivavam a leitura dos livros sagrados. Todos os mosteiros tinham bibliotecas e se muitas obras chegaram até nós foi devido aos copistas que viviam nos mosteiros somente copiando essas obras.

Pepel de Seda

Qual a relação da leitura com a escrita, do ponto de vista metodológico, na sala de aula?

Prof. Munhoz

Há um provérbio latino que diz, traduzido, quem escreve lê duas vezes. A pessoa tem que ler e tem que escrever. Se você lê, a sua inteligência, o seu pensamento, a sua fantasia entram em ebulição e você faz questão de escrever. E escrever é fundamental quando você conhece as regras da gramática. Não existe conhecimento de uma língua sem conhecimentos gramaticais. Houve uma época em que se quis deixar a gramática de lado. Um bom professor de português deve ter em casa uma boa gramática e um bom dicionário, e todos nós que escrevemos e lidamos com a língua.

19 de nov de 2009

Cultura do Amapá inspira trabalho de estilista


A inspiração que valoriza as raízes, a força e a riqueza da cultura dos amapaenses são a base dos trabalhos desenvolvidos pela estilista Lilia Franzotti. A herança iconográfica Maracá e Cunani norteiam a produção de peças que aliam tradição e modernidade no design. Essa é a sinergia encontrada por Lilia para agregar personagem, história e cenário, que modela, interfere e livremente constrói a cena da moda local.“A construção da identidade cultural de moda se dá a partir do comportamento desse povo. Como vivem, do que gostam, como se comportam. Eu expresso elementos da cultura local nas roupas para buscar uma identidade de moda da mulher amapaense”, explicou a estilista.

Lilia avalia que a arte iconográfica deixada por antigos povos, revela tradições, crenças e um modo de vida muito particular que proporciona um vasto campo de possibilidades a serem exploradas.A iconografia é associada à moda em elegantes detalhes e de modo diferente. Roupas de festa, sociais, moda masculina e moda praia recebem elementos Maracá e Cunani. A proposta é que as pessoas associem imediatamente as peças à cultura amapaense.Lilia Franzotti vai estar à disposição dos visitantes da Feira do Empreendor desenhando modelos exclusivos aos interessados. As pessoas poderão sair do estande com o modelo pronto, com dicas de tecidos, para mandar executar. Ouvindo opiniões e respeitando as características individuais, Lilia vai propor modelos para variadas ocasiões.


Fonte: DCI Notícias
Foto: Arquivo Sebrae

Sesc Amazônia das Artes leva Arraial do Pavulagem a Boa Vista


O projeto Sesc Amazônia das Artes leva a Boa Vista - RR pela primeira vez o grupo musical Arraial do Pavulagem, de Belém-PA. A apresentação acontece nesta sexta-feira, 20, às 21h, no Palco das Piscinas do Centro de Atividades Dr. Antonio Oliveira Santos, no Mecejana. A entrada é um quilo de alimento não-perecível.

O Arraial do Pavulagem, criado em 1987, é um grupo musical paraense que trabalha com a rítmica da música tradicional produzida na Amazônia brasileira. Tambores, guitarras, carimbós, bois-bumbás e retumbões se misturam e soam com música ancestral, mas, ao mesmo tempo, contemporânea e universal na forma apresentada pelo grupo. Com composições próprias foram gravados 07 CD’s, que são difundidos em apresentações musicais por todo o Brasil.

Uma das principais turnês realizadas pelo grupo foi em 2004, através do projeto Sonora Brasil, do Sesc, quando percorreu 64 cidades, de 14 estados (Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso, Brasília, Bahia, Alagoas, Paraíba, Pernambuco, Ceará, Acre, Amazonas, Pará, Amapá, Goiás). Além do trabalho em palco, o grupo organiza os conhecidos arrastões do Pavulagem, que atraem milhares de pessoas às ruas de Belém nos meses de fevereiro, junho e outubro.
Desenvolve também um projeto denominado Arraial do Saber – Educação Cultural na Amazônia Brasileira, ponto de cultura de Belém-PA. O grupo é composto por Ronaldo Silva (compositor, músico e cantador), Junior Soares (compositor, músico e cantador), Marcelo Fernandes (guitarra), Rubens Stanislaw (contrabaixo), Edgar Junior (percussão), Nazareno Silva (percussão), Rafael Barros (percussão), Max (coreógrafo) e Fabrício Xavier (assistente de palco).

Fonte: BV News - Notícias de Roraima

Talentos contemporâneos da música e da dança amapaense no último Concerto de Verão de 2009


Três dos mais requisitados instrumentistas do Amapá protagonizam o espetáculo desta sexta-feira (20) no projeto Concertos de Verão da Confraria Tucuju. O guitarrista Fabinho, a saxofonista e flautista Bibi e o contrabaixista Gustavo Quintanilha representam o talento contemporâneo da música instrumental amapaense. A convite dos três, o show contará ainda com o baterista Hian e com o tecladista Lucas Borges. No palco paralelo bailarinas da Graham Companhia de Dança farão performances com ritmos amapaenses, sob influência da dança moderna. O Concerto de Verão começa às 20 horas, no Largo dos Inocentes.

Fabinho, Bibi e Gustavo são alunos avançados do Centro de Educação Profissional em Música Walkíria Lima e têm qualificação pela Escola de Música de Brasília. O trio compôs a Big Band do XXII Festival de Música de Londrina.

Fabinho é compositor, guitarrista e violonista. Já tocou com artistas nacionais como Chico César, Nico Rezende, Leci Brandão e Nei Conceição. No Amapá acompanha os principais artistas e bandas, entre eles o Grupo Senzalas em apresentações no Brasil e no Exterior. Estudou com grandes nomes da música como Daniel Wolf, primeiro doutor em violão do Brasil e o espanhol Fernando De La Rua, com quem aprendeu violão flamenco.

Bibi, simples assim, é mesmo uma síntese de talento e leveza. Seus solos de sax têm chamado atenção do público. Gravou com Zé Miguel o primeiro DVD do cantor e recentemente brilhou no show de lançamento do CD “Sou Ana”, da cantora Ana Martel. É professora de música, integra a Banda da Guarda Municipal de Macapá e é apaixonada pela Bossa Nova, gênero indispensável em suas apresentações.

O contrabaixista Gustavo Quintanilha é compositor. Nasceu na cidade do Rio de Janeiro em 1977 e começou na música aos 14 anos nos grupos evangélicos da Igreja Batista. Estudou com grandes professores do cenário nacional e mundial. Atualmente é professor de Contrabaixo Elétrico no Centro Profissionalizante de Música Walkíria Lima e tubista da Banda de Música da Guarda Municipal de Macapá. Compõe também os grupos Sentimento do Choro e Amazon Jazz.
O tecladista Lucas Borges tem sua base musical na Igreja da Paz, em Monte Alegre-PA. Aos dez anos integrava o Ministério de Música da Igreja Presbiteriana Peniel de Macapá, aperfeiçoando seus estudos no Instituto Musical Aliança. Em Belém acompanhou artistas gospel como João Alexandre, Eyshela e o Grupo Logos. Atualmente integra as bandas de Patrícia Bastos, Ana Martel, Claudete Moreira, Lore Lua e Adriana Raquel. Integra também as bandas Amazônia Jazz, Maré Music, Coronaria Jazz, Marinaldo Martel Quarteto e Bacaba Fusion.

Hian Moreira iniciou sua carreira por influência dos pais, o baterista Aldo Moreira e a cantora Claudete Moreira. Aos 12 anos, quando era gravado o 1° CD de sua Mãe, teve a oportunidade de tocar pela primeira vez. Aos 14 anos ganhou sua primeira bateria. Participou das bandas Fuzaka, Coliseu, e Kaçula. Autodidata, em 2009 venceu o 2° Festival de música Instrumental do Amapá (FEMINSAP. Participa de vários trabalhos com artistas locais, dentre os quais a Banda Yesbanana, Adriana Raquel, Claudete Moreira, Nivito Guedes, Natal Villar, Cleverson Baia e Rambolde Campos.

Graham Companhia de Dança

Com 14 anos de experiência, a companhia já realizou festivais, oficinas com profissionais de alto nível (nacional e internacional) shows com artistas locais e trabalhos beneficentes, dentre outros. Atualmente a Companhia conta com dez bailarinas, dedicadas a técnicas como dança moderna, contemporânea, clássica e jazz.

A Graham é uma companhia de dança tecnicamente eclética, essencialmente feminina e amapaense. Premiada e auto-sustentável, investe atualmente em seu próprio repertório. Trabalha com temáticas que retratam a realidade humana, com uma mensagem positiva, levando à reflexão e despertando emoções. A responsabilidade social é fonte de inspiração e marca registrada da companhia. A composição contemporânea desenvolvida e a valorização e utilização da figura feminina são seu universo.

Inovadora, a Graham faz um trabalho de intervenção em ritmos regionais, com influência da dança moderna. Essa experiência será mostrada em quatro performances nesta sexta-feira (20) com músicas do repertório do Grupo Senzalas e da cantora Patrícia Bastos.

Comunicação Confraria Tucuju

17 de nov de 2009

Grupo Senzalas fará show no III Acordes Brasileiros em Porto Alegre

O Grupo Senzalas será atração no III Acordes Brasileiros - Encontro Nacional das Músicas Regionais, que acontecerá em Porto Algre - RS, de 18 a 20 de novembro, através de parceria entre o SESC/RS, Contursi Produções e Prefeitura de Porto Alegre. O Senzalas se apresentará no dia 19, no SESC Centro de Porto Alegre. Outros artistas amapaenses já participaram do evento: Zé Miguel em 2007 e Verônica dos Tambores em 2008. A participação do grupo amapaense partiu de convite do cantor e compositor paraense Nilson Chaves, curador do evento.
Debates
18 de Novembro – Quarta-feira
No Sesc - Centro / 3º andar
14h - Mesa Redonda: A EDUCAÇÃO: Práticas de Valorização da Música Regional
Participantes: Rubens Gomes / AMWagner Chaves / ALLia Marchi / PR
19 de Novembro - Quinta-feira
No Sesc - Centro / 3º andar
14h - Mesa Redonda: A Pesquisa e o Intercâmbio da Música BrasileiraParticipantes: Zuza Homem de Melo / SPRicardo Cravo Albim / RSIvo Ladislau / RS
20 de Novembro – Sexta-feira
No Sesc - Centro / 3º andar
14h - Mesa Redonda: Políticas Públicas de Incentivo e Fomento a MúsicaParticipantes: Cristina Saraiva / RJJosé Luiz Herencia / DF - Sec. de Políticas Culturais do MinCSérgius Gonzaga / RS - Secretário de Cultura de Porto Alegre

Vai começar o Encontro dos Tambores no CCNA


A partir desta quarta-feira, 18 de novembro, a Semana da Consciência Negra começa a ter uma nova dinâmica. Na noite de hoje (17) encerra a programação em parceria com grupo e entidades, como umbandistas, capoeiristas e candomblecistas que tiveram um dia dedicado a cada uma de suas culturas. A coordenação se prepara para abrir as portas do Centro de Cultura Negra para o Encontro dos Tambores. O evento reúne centenas de pessoas todas as noites para apreciarem a apresentação das comunidades, shows, concurso e a Missa dos Quilombos.

Nesta quarta-feira, às 8:00, será realizado o Encontro dos Mestres da Cultura Popular, que vai reunir personalidades populares que têm uma importância crucial na cultura amapaense. O evento será no auditório da Unifap e terá como palestrantes dona Zezinha, matriarca de Mazagão que irá falar sobre o resgate da cultura e Pai Salvino, que fala sobre religiosidade africana. Muitos mestres da cultura serão destacados na ocasião.

À noite, no Centro de Cultura, é a vez da beleza negra. Será eleita A Mais Bela Negra, onde 10 candidatas disputam o título representando entidades e agremiações variadas. O grupo folclórico Ialodes - Mulheres Guerreiras irá se apresentar no palco principal mostrando coreografias e músicas de estilo afro, candomblé, marabaixo, heage e regional. O grupo de pagode Sensasamba e o cantor Jomasan também estão confirmados para esta noite.

No dia 19 tem o cantor Osmar Júnior e apresentação de comunidades. Dia da Consciência Negra, 20, será celebrada a Missa dos Quilombos seguida de show da banda Afro Brasil e rodada de marabaixo e batuque. O grupo de marabaixo do Mestre Pavão se apresenta especialmente após a missa. Sábado, 21, quem se apresenta é o cantor Ronery e logo após entram as comunidades de afro-descendentes. O encerramento Será no dia 22, com Zé Miguel e as últimas comunidades entram no anfriteatro do Centro.

Mariléia Maciel
Assessora de Comunicação-UNA

Mestre Pavão é homenageado no Encontro dos Tambores e grupo faz participação especial

A Semana da Consciência Negra e XV Encontro dos Tambores homenageia este ano o Mestre Pavão, neto de Julião Ramos e um dos amapaenses que mais contribuiu para que a cultura do marabaixo fosse respeitada e ganhasse reconhecimento nacional. Falecido em maio deste ano aos 73 anos, Raimundo Lino Ramos deixou de herança o amor pela nossa cultura e o respeito pela história e por quem a faz. Entre histórias, lendas, lutas e conquistas, Mestre Pavão pediu aos filhos e netos, antes de falecer, que não deixassem a cultura morrer, e é isso que a família está fazendo junto com a coordenação do Encontro dos Tambores.

A Associação Folclórica Marabaixo do Pavão, formada por parentes e amigos, vai aproveitar a homenagem e apresentar um marabaixo que, segundo Gerson Ramos, filho do Mestre, vai ser o melhor que já foi visto em Macapá. No Dia da Consciência Negra, 20, o grupo do Pavão vai sair com aproximadamente 400 pessoas pelo bairro do Laguinho saindo da sede do São José até o Centro de Cultura Negra, onde fará uma apresentação especial após a missa. Antes do cortejo será servido um coquetel para os participantes.

A Associação é formada por pessoas de 1 ano, a bisneta do Mestre, até 90 anos, tia Zefa que ainda hoje canta ladrões de marabaixo. Gerson Ramos fala que a proposta da entidade é reunir pessoas de todos os grupos folclóricos do Amapá nesta grande homenagem. Personalidades da cultura popular como dona Natalina, Tia Biló, Tia Zefa, Tia Chiquinha e muitos outros estão convidados.

Mariléia Maciel
Assessora de Comunicação-UNA

Encontro dos Mestres da Cultura Popular

A herança cultural, valorização dos mais antigos, registros das memórias e manutenção da cultura são alguns dos assuntos que motivaram a coordenação da Semana da Consciência Negra e Unifap a elaborarem o Encontro dos Mestres de Cultura Popular. O encontro vai ser realizado amanhã (17) e vai reunir pessoas da comunidade que contribuem com a cultura amapaense e deixam um importante legado para seus descendentes.

“Pouco temos registros de pessoas que lutaram para a manutenção de nossa história, que não se intimidaram e se hoje conseguimos enraizar nossa cultura dentro de grande parte da nossa população, isso é mérito de muitos que já se foram. Estamos querendo reparar o erro de não valorizarmos enquanto estão vivos a partir de agora, com o encontro”, fala o secretário Manoel Azevedo, da Seafro.

No primeiro momento duas pessoas irão dar sua contribuição, Pai Salvino, que vai falar sobre religiosidade africana e dona Zezinha, de Mazagão, que fala sobre o tema resgate da cultura. O local do encontro será o auditório da Unifap, a partir das 08 horas.

Mariléia Maciel
Assessora de Comunicação-UNA

9 de nov de 2009

Mostra do Cinema Francês Contemporâneo

Uma das prioridades do Ano da França no Brasil, que acontece desde 21 de abril e vai até o dia 15 de novembro, é mostrar uma frança moderna, aberta e diversificada mais de 600 eventos já foram apresentados ao público brasileiro e o SESC Nacional foi um dos primeiros parceiros da Embaixada da França a mostrar interesse em participar destas comemorações.
A partir daí foi criada a Mostra do Cinema Francês Contemporâneo com oito filmes selecionados pelos Cahiers du Cinéma.

Em Macapá, a Mostra do Cinema Francês Contemporâneo será realizada no período de 09 a 13 e de 16 a 18 de novembro, na Sala de Exibição Charles Chaplin, nas dependências do Sesc Araxá e funcionará a partir das 19h.

Programação:

09/11 – Filme: “A Esquiva” (L’esquive - 2003; 117 min.)
10/11 – Filme: “Até Já” (A tout de suite - 2004; 95 min.)
11/11 – Filme: “Assassinas” (Meurtières - 2006; 97 min.)
12/11 – Filme: “De Volta à Normandia” (Retour en Normandie - 2006; 113 min.)
13/11 – Filme: “O Último dos Loucos” (Le dernier des fous - 2006; 96 min.)
16/11 – Filme: “Povoado Number One” (Bled Number One - 2006; 100 min.)
17/11 – Filme: “A França” (La France - 2007; 102 min.)
18/11 – Filme: “Tudo Perdoado” (Tout est pardonné - 2007; 105 min.)

Informações:
Sílvio Carneiro (Técnico de Cinema – SESC)

Mostra de Música Sescanta dias 11 e 12 de novembro

1ª Etapa (11.11.09)

01 – Genoma (Alexandre Veríssimo)
02 – Um Pássaro Passou (Ana Martel)
03 – Todas as Mulheres do Mundo 2 (Aroldo Pedrosa e Cleverson Baía)
04 – Eu sou Caboca (João Gomes e Celso Viáfora)
05 – Tradições (José Wilson Cardoso e Paulo Sérgio B. Azevedo)
06 – Como a Noite (Alexandre Veríssimo)
07 – Rap em Preto e Branco (Judas Sacaca, Alan Gomes e Ademir Pedrosa)
08 – Levemente Louca (Aroldo Pedrosa e Cleverson Baía)
09 – Com Você me Leve (Alan Yared)
10 – Top Model das Tribos (Ademir Pedrosa e Dilean Monper)

2ª Etapa (12.11.09)
01 – Uirapuru (Mauro Guilherme)
02 – Tucuju Brasileiro (Sabá Tião)
03 – Toque de Caixa (Ana Martel e Zé Miguel)
04 – O Canto Livre dos Pássaros (Jackson Amaral)
05 – Medonho Amor (Enrico Di Miceli e João Gomes)
06 – Sempre Assim (Mário Salles)
07 – Batuque Amazônico (Chermon Jr.)
08 – Trava Língua (Augusto Oliveira e Cássio pontes)
09 – Minha Fé (José Wilson Cardoso e Paulo Sérgio B. Azevedo)
10 – Neguinha (Willian Cardoso e Dilean Monper)

5 de nov de 2009

Festival Quebramar começa sexta (06)


Festival Quebramar: palestras

O Coletivo Palafita convida você a participar da palestras que ocorrerão pela manhã e tarde durante os dois dias de Festival Quebramar de Música Independente. Veja a seguir a programação.

Dia 06 (sexta-feira)

Palestra - JORNALISMO CULTURAL: UMA CONTRADIÇÃO EM TERMOS?
Palestrante – Alex Antunes, jornalista - Pasquim, Folha Ilustrada, Bizz, Veja, Rolling Stone
Local: Auditório da Fortaleza de São José de Macapá
Hora: 14:00 às 17:30

Filme: CAPOTE (2006, Bennett Miller)
a) A matriz positivista versus a matriz pop. Objetivismo e subjetivismo no jornalismo: é possível ser isento em questões culturais? Se é subjetivo, pode ser jornalismo?

b) Jornalismo literário, gonzo e musical; literatura pop. A linhagem das escolas jornalísticas e artísticas que tentaram fusões possíveis das duas matrizes, da alta cultura à cultura de celebridades. O papel da ficção na descrição da realidade.
c) Publicações culturais no Brasil pós-contracultura. Implicações culturais e políticas do jornalismo brasileiro, da contracultura à época atual.
d) Cyber Cybercultura. Blogs e a quebra de limites entre o jornalismo e a cultura-em-si. Twitter, facebook e a captura do tempo real.

Dia 07 (sábado)

Palestra – ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS NA ECONOMIA DE CULTURA
Palestrante – Marcus Vinícius Nogueira, sociólogo – APL, SECIS, MCT, SCC, MinC.
Local: Auditório da Fortaleza de São José de Macapá
Hora: 10:00 às 12:00

a) o eixo de trabalho relacionado às tecnologias sociais
b) alternativas sociais de geração de renda dentro da cadeia produtiva da economia da cultura.


Palestra - A REINVENÇÃO DO BRASIL: EMERGÊNCIA CULTURAL DA REGIÃO NORTE
Palestrante – Alex Antunes, jornalista – Pasquim, Folha Ilustrada, Bizz, Veja, Rolling Stone

Local: Auditório da Fortaleza de São José de Macapá
Hora: 14:00 às 17:30

Filme. VIAGENS ALUCINANTES (1980, Ken Russell)
a) Três manobras mal-sucedidas na calibragem do Brasil: a 'tríade de dois', o desprezo de Pedro e o upgrade do Tiradentes-Cristo. O que Groucho Marx disse para Macunaíma quando viu o Zé Carioca.

b) Porque o Acre existe, e São Paulo não. Diferentes razões iguais para se matar em Macapá e São Paulo: a ausência da mãe e a presença de Sarney.
c) A inteligência e a ética da mata; a religião brasileira. A experiência Yawanawa e a convergência de tecnologias ancestrais e atuais: o Ponto Zero da humanidade.
d) Fora-do-Eixo no Norte e Centro-Oeste e o P.O.P. - Plano de Ocupação Psíquica.

Contatos
site:
www.festivalquebramar.com.br

blog:
www.coletivo-palafita.blogspot.com

Comunicação: Jenifer Nunes - 8116.7203 -
palafitacomunicacao@gmail.com
Planejamento: Otto Ramos - 8112.5996 - coletivopalafita@gmail.com
Coletivo Palafita – Comunicação
Contato: 8127-8495

3 de nov de 2009

Belém: Pedrinho Cavalero e Clarisse Grova


Preparação para a I Conferência Livre de Comunicação no Estado do Amapá

Acontece nesta quarta-feira, 04, às 16h, a primeira reunião preparatória da Conferência Livre de Comunicação do Amapá, a reunião será aberta e estão convidados a participar jornalistas, radialistas, blogueiros, a sociedade civil organizada e todos aqueles interessados em discutir comunicação no estado do Amapá. O local onde será o Sindicato dos Serventuários da Justiça – Sinjap, Av. Carlos Gomes, 340( Continuação da Ernestino Borges, passando o prédio da policia federal).

Um grupo formado por lideranças sindicais e representantes de meios de comunicação reuniu-se na última sexta-feira, 29, para alinhavar a idéia da realização de uma Conferência livre de Comunicação no estado do Amapá, com o objetivo de contribuir para que haja mais transparência na distribuição de verbas públicas destinadas a gastos com propaganda e divulgação e um controle mais efetivo sobre o conteúdo divulgado por meios de comunicação, alem da criação de mecanismos que permitam a sobrevivência dos meios de comunicação alternativos, inclusive as rádios comunitárias. Compareceram à primeira reunião representantes de 9 entidades, entre elas sindicatos, ONG’s, a rádio Novo Tempo e a Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativo.

Conferência Livre de Comunicação
Os estados podem promover Conferencias Livres de Comunicação e as propostas que resultam desses encontros são enviadas diretamente à Conferencia Nacional de Comunicação(Confecom), que acontecerá em dezembro em Brasília. Aqui no Amapá a Conferencia Livre de Comunicação acontecerá nos dias 13 e 14 de novembro. Estiveram presentes à primeira reunião representantes das seguintes entidades: Sindesaúde, Sintaxi, Sindtelebrasil, Fórum DCA/AP (Estadual de defesa dos direitos da criança e do adolescente), Fespeap (Federação das entidades de servidores públicos do estado do Amapá), ACANH - Associação de Comunicação Alternativa do Novo Horizonte (Radio Novo Tempo), Marcha Mundial de Mulheres/AP, Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa.

Por Chico Terra

Mostra cultural da Escola Castelo Branco

Mil e seiscentos alunos de 46 turmas do Ensino Fundamental e do Ensino Médio da Escola Estadual Castelo Branco realizam nesta quarta-feira, 4 de novembro, das 15 às 19 horas, na quadra da escola, a II Mostra Pedagógica do ano, desta vez com trabalhos das disciplinas que integram as áreas de Linguagem e suas Tecnologias e Humanas. Em 24 estandes alunos dos turnos da manhã, tarde e noite, com orientação e acompanhamento de todos os professores, coordenação pedagógica e direção, desenvolvem o tema central "As Manifestações Culturais do Amapá" destacando a história, danças, músicas, culinária, lendas, mitos, pontos turísticos, belezas naturais, literatura, entre outras manifestações culturais.
Por Oscar Filho

30 de out de 2009

Sonora Brasil - Violão Brasileiro

O Sonora Brasil - Violão Brasileiro regiões Norte e Nordeste será apresentado no Amapá nos dias 1º e 2 de novembro. A primeira apresentação, domingo (01), vai acontecer no município de Amapá, no SESC LER, às 19 horas. Em Macapá os violonistas Aluisio Laurindo Jr. (AP) e Nicolas de Souza Barros (RJ) se apresentarão no feriado de segunda-feira (02) no auditório da Escola SESC, localizada na Rua Jovino Dinoá, 4311, bairro Beirol, no complexo do SESC Araxá.

25 de out de 2009

Festival reúne talentos das escolas públicas

A Escola Estadual Zolito de Jesus Nunes realizará, nos dias 04, 05 e 06 de novembro, o XI Festival de Música e Dança Estudantil/2009. Talentos da rede estadual e da rede municipal de ensino mostrarão suas letras de músicas e apresentarão números de dança.

O Festival acontece desde 1996, com sucesso junto às escolas públicas. Em janeiro de 2003 foi mostrado como experiência no Fórum Mundial de Educação realizado em Porto Alegre-RS, dentro do tema Educação Popular. Em 2004 participou da I Feira de Intercâmbio Pedagógico, da 41ª Expo-Feira Agropecuária do Amapá e foi apresentado no Encontro Nacional da Escola de Gestores (Brasília-DF) recebendo o Mérito Institucional de Responsabilidade Social pelo CEFORH.

Informações da Escola Zolito Nunes

Ana Martel canta nesta quarta na Expofeira

A cantora Ana Martel fará show na quarta-feira (28), às 21 horas, no palco da praça de alimentação da 46ª Expofeira do Amapá. No repertório as canções do seu primeiro CD "Sou Ana", lançado em setembro no Teatro das Bacabeiras, além de músicas que a acompanham desde o início de sua carreira.

Feira Cultural Universitária em dezembro na Unifap

Nos dias , 3, 4 e 5 de Dezembro será realizada, no Campus Marco Zero da UNIFAP, a Feira Cultural Universitária. Uma rede de pequenos mercados autônomos, postos de trocas de serviços e bens culturais. A idéia é aglutinar movimentos artísticos locais, estudantes, trabalhadores e profissionais numa imersão de confraternização e troca de bens culturais. Espaço para a reflexão e a fomentação da criação e da produção local. Haverá também mesas de debates e oficinas nos seguintes espaços:

MOSTRA DE ARTES CÊNICAS
programação de teatro, dança e circo com grupos locais e grupos de outros estados brasileiros. Os grupos se apresentarão em espaços como Anfiteatro, Cantina, área atrás da Reitoria.

MOVIMENTOS CULTURAIS
Realização do Seminários e Conferências com a presença de diversos segmentos culturais no sentido de consolidar fóruns de cultura.

PALCO MUSICAL
Mostra de musica instrumental, grupos de reggae, grupos de rock, grupos de Hip Hop, cantores e compositores, tenda eletrônica e performances de artistas locais. O Palco Musical acontecerá todas as noites, seqüenciando a programação teatral.

ESPAÇO DE ARTES VISUAIS e FOTOGRAFIA
Espaço de construção e formação de opinião, debates, palestras, oficinas, workshops, vivências, exibição de filmes, e exposições fotográficas. A programação será diária nos turnos manhã e tarde com debatedores, professores, oficineiros, artistas e público. Serão utilizados espaços diversos como corredores da universidade, salas de aula, hall de entrada dos prédios, áreas abertas.

ESPAÇO DA LITERATURA
Destinado a saraus literários, leitura literária e dramática, vendas de livros, sebos, lançamentos de obras, oficinas, conversas e debates sobre literatura.
Até o dia 8 de Novembro serão aceitas propostas de conferências, palestras, painéis, debates, oficinas, espetáculos e shows no seguinte endereço: http://frentepolonorte.com/inscricoes
Frente Cultural Pólo Norte

21 de out de 2009

Show do Projeto Pixinguinha na Expofeira

Quem não viu terá mais uma oportunidade de ver. Os shows do Projeto Pixinguinha serão apresentados na Expofeira. Joãozinho Gomes, Enrico Di Miceli e Patrícia Bastos, contemplados com gravação de CDs e shows pelo projeto da Funarte, serão atração na noite do dia 23 de outubro, a partir das 20h30.

Amazônica Elegância é o CD de Joãozinho e Enrico Di Miceli e Eu Sou Caboca, de Patrícia Bastos, que juntos foram lançados em setembro deste ano no Teatro das Bacabeiras, em Macapá, e na Pousada Maramaude do município de Ferreira Gomes. Os dois trabalhos trazem rítmos amazônicos como marabaixo, batuque, lundu entre outros. Há neles a rica participação de artistas convidados como Celso Viáfora, Grupo Voz, Nilson Chaves, Leci Brandão, Dante Ozzetti e Vitor Ramil.


Informações de Mariléia Maciel

Semana de leitura no TRE do Amapá

Dia 26.10.09 (Segunda-feira)

14h30 - Credenciamento

14h45 - Abertura

15h - Palestra sobre a metodologia aplicada para incentivar o hábito da leitura.
Palestrante: Prof. Antônio Munhoz Lopes, professor de letras e linguística, bacharel em direito, escritor e membro do Conselho de Cultura do Estado do Amapá e diretor do acervo cultural da Confraria Tucuju.

15h30 - Palestra sobre a importância do livro e incentivo ao hábito da leitura
Palestrante: Prof. Romualdo Rodrigues Palhano, Prof. Dr. e Pós-Doutor da Universidade Federal do Amapá, autor dos livros "A estrela e a rã", "Brincando com linhas" (infantis) e "Teatro de bonecos: uma alternativa para o ensino fundamental na Amazônia". Escritor, teatrólogo, poeta, ator, encenador, educador e pesquisador.

16h - Palestra sobre a importância do Programa Eleitor do Futuro para a formaçao do cidadao.
Palestrante: Doutor Joao Guilherme Lages Mendes, Juiz de Direito, Coordenador do IBCCRIM (Instituto Brasileiro de Ciencias Criminais) no Pará e Amapá, Coordenador do Programa Eleitor do Futuro no TRE/AP e Professor Universitário; 16h30 - EXPOSIÇAO DE LIVROS EM GERAL - Hall de entrada

Dia 27.10.09 (Terça-feira)


15h - Palestra: A importância da leitura como fator de inclusao social.
Palestrante: Carmo Antônio de Souza, Desembargador, Doutor e Professor Universitário, palestrante, autor de artigos e publicaçoes na área do Direito Penal e Eleitoral.

15h30 - Palestra: Questao da leitura - Uma Política de Estado.
Palestrante: Rui Guilherme de Vasconcelos Souza Filho, Juiz de Direito, Professor Universitário, conferencista, autor de livros e artigos sobre matéria jurídica, inclusive eleitoral, romancista, laureado pela Academia Paraense de Letras, contista e poeta.

16h30 - Lançamento do Protótipo do Calendário Eleitoral do TRE/AP para as eleiçoes 2010

16h45 - Cerimônia de encerramento do evento

19 de out de 2009

Posto que é chama...

Foto: allposters
Não é real a carta de ás de copas que desce do oco do cérebro, efeito da rinha de sentimentos acasalados no mesmo escombro. Espanto? Mágica. Não sobrou nada. Ah! Que o nada nem existe, pois que tudo é preenchido de lembranças do que houve. E o que houve não ouve mais as lamúrias do que não foi, do que poderia ter sido, do que não valeu. E tudo vale, mesmo ainda o que, de tanto doer, se esvai como se nunca tivesse doído. Tão doido que é esse caminhar pra dentro e pra fora e depois de volta pra dentro até se perder de novo.

18 de out de 2009

Lançamento: Poetas do Meio do Mundo


Está tudo pronto. No próximo dia 4, às 19h no Teatro das Bacabeiras, será lançada a coletânea de poesias do grupo Uni-verso, que reúne 16 poetas do meio do mundo. A organização é de Manoel Bispo e a coordenação de Alcinéa Cavalcante, Ricardo Pontes, José Pastana, Rostan Martins e Manoel Bispo – que fazem parte da diretoria do Uni-verso e também do Clube dos Poetas.

Eles dizem que a publicação é o ponto culminante de uma empreitada intelectual e artística que se pretende vitoriosa. E contam que sempre se perguntavam o que fazer para se chegar à edição da produção que estava engavetada. A resposta veio com os encontros de poetas e escritores nos eventos culturais que tornaram próximos os que estavam eqüidistantes, no desenho panorâmico da diversidade cultural que nos assemelha.

Da aproximação surgiram as idéias; das idéias, a ação. E assim nasceu o Projeto Samaúma da Literatura Amapaense – Poetas, contistas e cronistas do meio do mundo, que até o final do ano lançará quatro coletâneas: duas de poesias, uma de crônicas e uma de contos.

Os poetas contemplados na coletânea de poesias que será lançada dia 4 são personalidades que entre suas preocupações procuram externar seu amor pelas nossas coisas e, no uso da sensibilidade, nos dizem verdades e fantasias em versos decorrentes das suas visões de mundo. “A visão de mundo de cada poeta estabelece uma espécie de riqueza abstrata que se insinua na cor estilística e na forma definida dessa arte de encantar palavras”, diz Manoel Bispo. O Projeto Samaúma tem o apoio da Confraria Tucuju e do Governo do Amapá.

Poetas que participam desta primeira coletânea:

Alcinéa Cavalcante
Carla Nobre
Fernando Canto
Herbert Emanuel
Jô Massam
João Barbosa
Jonas Diego
José Pastana
Manoel Bispo
Mauro Guilherme
Obdias Araújo
Osvaldo Simões
Paulo Tarso
Ricardo Pontes
Rostan Martins
Sânzia Fernandes

Por Alcinéa Cavalcante

"Ah, esse cara tem..."


17 de out de 2009

Sesc e Sesi promovem festival de dança

CGU lança concurso de curtas-metragens

A Controladoria Geral da União lançou um concurso de curtas-metragens, que será dividido em duas partes: 1º Concurso do Minuto da CGU, que premiará filmes com até 60 segundos de duração, e o 1º Concurso Nacional de Curtas-Metragens da CGU, que viabilizará a realização de projetos de filmes com duração entre 5 e 10 minutos, orçados em até R$ 70 mil. O tema geral é ‘Luta contra a corrupção: compromisso de todos’.
As obras devem ser inéditas, em qualquer gênero, e têm que estimular a cultura da ética e da intolerância à corrupção. No concurso do minuto podem participar pessoas físicas residentes no Brasil com mais de 18 anos, o formato é livre, e as inscrições vão até 30 de outubro. Já no concurso nacional pessoas jurídicas também podem se inscrever, e o requerimento de inscrição dever ser enviado até 16 de outubro.
O resultado final será divulgado no site do CGU no dia 27 de novembro. Serão premiados com R$ 1 mil os 20 melhores curtas de um minuto. Os quatro melhores projetos de curta serão selecionados, sendo dois deles para compor lista de reserva. Mais informações e inscrições no http://www.cgu.gov.br/Concursos/Curtas/index.asp.
Assessoria de Comunicação
Solange Lima - DRT 1869

Prévia do Festival Quebramar

16 de out de 2009

Macapá: Exposição Karipunas, Marowornos e Waiãpis no Sesc Araxá

Sobre vento e esperança

"Aprendo ainda que a esperança não tem medo de ilusões. Costumamos chamar as crenças alheias de superstições e às nossas superstições damos o nome de crença. Nossa ideologia é ciência, a ciência dos outros é ideologia. Nossos crimes são apenas erros, os erros dos outros são crimes. Nossas árvores só dão frutos doces, as dos vizinhos dão frutos amargos. Mas vem a tempestade e joga todas no chão, por igual, e as sementes por toda parte. Vejo, assim, que a condição para manter minha esperança é respeitar e esperança dos outros, mesmo quando me pareçam ilusões. É o tempo quem diz o que há de vingar."
Toinho Alves
íntegra do texto em www.tempoalgum.blogspot.com

Emília Monteiro: Diga lá, coração


15 de out de 2009

Semeando Música no bairro Marabaixo III

Alunos da escola estadual Nilton Balieiro, do bairro Marabaixo 3, terão música instrumental e o cantor e compositor Zé Miguel como atrações especiais desta sexta-feira (16). É o projeto Semeando Música, promovido pelo Instituto Raça Humana que está levando para escolas de bairros mais afastados arte através da música. Adolescentes e adultos de outros bairros já tiveram o privilégio de ouvir músicas brasileiras de qualidade tocadas por músicos amapaenses.

O Instituto já levou o projeto para as escolas Antônio Messias, no Zerão e Lima Neto, no Infraero 2. Quem participa com Zé Miguel amanhã é a banda do Corpo de Bombeiros que tem no repertório músicas consagradas de artistas nacionais. Neste projeto o Instituto tem a parceria da SEED, das bandas de música da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros e de artistas como o próprio Zé Miguel e Amadeu Cavalcante.

Criado há um ano, o Instituto Raça Humana não tem fins lucrativos e é formada por 15 voluntários que trabalham em diversas áreas e têm em comum o compromisso de preservar nossa cultura. Outros objetivos do Instituto e de quem forma o grupo é lutar pelos direitos humanos e cidadania. O presidente Ronaldo Serra, advogado, fala que Semeando Música é apenas o início dos trabalhos que serão desenvolvidos com cidadãos amapaenses. Apresentações artísticas iniciam às 20:00.

Mariléia Maciel
Assessora de Comunicação

Belém: Festival de música instrumental


Emenda parlamentar para o audiovisual no Amapá

A deputada federal Janete Capiberibe vai destinar R$ 300 mil de emenda parlamentar para a ABD-AP - Associação Brasileira de Documentaristas - Regional do Amapá. O dinheiro vai financiar a produção de 6 documentários por profissionais do estado. Ela também se comprometeu a apoiar a ABD Nacional na mobilização, dentro do Congresso Nacional, para conseguir recursos de emendas de outros parlamentares para os documentaristas dos seus respectivos estados. A reunião aconteceu no gabinete da parlamentar, em Brasília, com o animador gráfico Márcio D. Moraes, que representou a ABD Nacional.

14 de out de 2009

Abertas inscrições para o SESCanta 2009

Estão abertas as inscrições para a seleção de músicas da Mostra de Música SESCanta 2009. O regulamento e ficha de inscrição da Mostra SESCanta estão disponíveis no Centro de atividades Araxá na Casa da Cultura – até o dia 23/10/2009. A Mostra acontecerá dias 11, 12 e 13 de novembro.

A mostra SESCanta tem o objetivo de oportunizar e incentivar a criatividade artística local, assim como possibilitar a renovação dos agentes culturais da comunidade, revelando novos poetas, letristas, músicos, cantores e grupos musicais, enriquecendo a produção artística do Amapá.

Quanto as Inscrições
Poderão se inscrever músicos, cantores e grupos musicais de todo o Estado do Amapá, onde cada inscrito poderá apresentar duas (02) músicas de autoria própria e de livre tendência musical, inclusive instrumental, que deverão ser inéditas e originais (entende-se por música inédita, aquelas que não tenham sido premiadas em mostras ou festivais);
Cada cantor ou grupo musical para se inscrever, deverá apresentar a partir do dia 01/10 até 23.10.09, em envelope contendo: 01 CD e 10 cópias da letra de cada música cifrada e/ou partituras (se a música for instrumental), com as devidas fichas de inscrição e autorização devidamente preenchidas e anexadas ao projeto.
Juliana CoutinhoSESC/AP
Assessoria de Comunicação e Marketing

Marcos Quinan e "Canção dos Povos da Noite" são atração do programa Roda de Choro

Sábado, 17 de outubro de 2009, o Programa Roda de Choro tem como destaque do 1º bloco a Coleção Choro Carioca - Música do Brasil. O autor enfocado é José Ferreira Ramos, que viveu no Rio de Janeiro entre 1885 e 1945. Ele é mais um compositor brasileiro nascido no século XIX, que teve seu nome escoado pelo ralo da dita memória nacional.
No 2º e o 3º blocos o destaque vai para uma obra inusitada, interessante e extremamente criativa, onde a arte inspirou a arte: o CD Óleo Sobre Tela, do compositor, pianista, arranjador e maestro carioca Mú Carvalho. Passeando por vários gêneros - inclusive diversos choros - ele homenageou seus pintores preferidos com composições inéditas.
O 4º bloco (choro cantado) traz os choros e modinhas presentes no CD do Prêmio SESC de Música Tom Jobim/2008, tradicional Festival promovido pelo SESC/DF e que se tornou importante vitrine de compositores e intérpretes brasileiros. Destaque para as interpretações de Cris Pereira, Leonel Laterza e Janette Dornellas.
O 5º bloco traz a revisita da obra do artista plástico, escritor, escultor e compositor goiano Marcos Quinan e o som de seu primeiro CD: Canção dos Povos da Noite, lançado em 1998. O disco contém 20 músicas arranjadas por Fernando Machado, Fernando Merlino, Roberto Stepheson e Eudes Fraga.
Ouça pela internet: Rádio Câmara, Brasília: www.radio.camara.gov.br (rádio ao vivo), sábados, 12h. Rádio Roquette Pinto, Rio de Janeiro: www.fm94.rj.gov.br . Rádio Universidade FM, Londrina-PR, quintas-feiras, 22h. Rádio Utopia FM, Planaltina-DF, quartas-feiras, 18h.
Produção e Apresentação: Ruy Godinho
Por Sonia Palhares Marinho

8 de out de 2009

Programa de Intercâmbio e Difusão Cultural

Para viagens em janeiro de 2010, inscrições até 31 de outubro

O Ministério da Cultura divulga o segundo edital de 2009 do Programa de Intercâmbio e Difusão Cultural, que cobrirá as viagens a se realizarem de julho de 2009 a abril de 2010, para as quais serão disponibilizadas, no total, R$1,9 milhão, do Fundo Nacional da Cultura (FNC). O programa se destina a artistas, técnicos e estudiosos da área cultural, convidados a participar de eventos fora do seu local de residência, para apresentar trabalho próprio, fazer residência artística ou curso de capacitação de profissionais da cultura. O evento deve ser promovido por instituição brasileira ou estrangeira, de reconhecido mérito, desde que não seja apoiado ou realizado pelo Ministério da Cultura, ou por uma de suas instituições vinculadas.

As inscrições variam de acordo com o mês em que se realizará a viagem (ver calendário abaixo). Em Brasília, os interessados que não tiverem acesso à internet podem se encaminhar à sede do MinC na Esplanada dos Ministérios, bloco B, 1º andar, Divisão de Atendimento ao Proponente/SEFIC, onde será disponibilizado, das 8h às 18h de segunda a sexta-feira (exceto feriados), computador para inscrição.

É possível anexar documentos comprobatórios do currículo, ou outros tipos de material (artigos publicados, portifólio etc) que o candidato julgar relevantes para a análise. Podem se inscrever pessoas físicas, grupos ou entidades culturais privadas e sem finalidade lucrativa, cujas candidaturas serão divididas em solicitações de grupo e solicitações individuais, que concorrerão separadamente. Apenas no caso destas últimas poderão ser apresentados pedidos com vistas a residência artística ou curso de capacitação de profissionais da cultura.

Mudanças e critérios - No tocante aos critérios para atribuição de pontos, houve algumas modificações em relação ao Edital nº 1/2009. No intuito de fortalecer a disseminação das ações culturais no interior do país, além da bonificação de 0,5 às candidaturas originárias de fora de Brasília e das capitais estaduais, também dela se beneficiarão aquelas destinadas a eventos a se realizarem fora das referidas localidades.
Em observância às políticas públicas do Governo Federal, também receberão um bônus de 0,5 as encaminhadas por comunidades tradicionais, incluindo: povos indígenas, quilombolas, ciganos, povos de terreiro, irmandades de negros, agricultores tradicionais, pescadores artesanais, caiçaras, faxinalenses, pantaneiros, quebradeiras de coco babaçu, marisqueiras, caranguejeiras, ribeirinhos, agroextrativistas, seringueiros, fundos de pasto, dentre outros grupos.

A bonificação de um ponto aquelas destinadas à participação em eventos a ocorrerem na América do Sul ou na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) permanecerá.
Os critérios a serem considerados na avaliação serão os seguintes: relevância do evento e da instituição promotora para a área cultural da atividade desenvolvida; adequação do histórico de atuação do candidato ao trabalho ou estudo proposto; relevância da atividade a ser realizada/desenvolvida para a área cultural em que se insere; caráter inovador ou experimental da atividade; contribuição para a difusão e a valorização das expressões culturais brasileiras; intercâmbio e apropriação de tecnologias e conhecimento e troca de experiência. Cada item vale até 5 pontos, e a pontuação mínima para classificação é 16.

Calendário de inscrições:

Data das viagens previstas e prazo para encaminhamento das solicitações:
Outubro - até 31/7/2009
Novembro - até 31/8/2009
Dezembro - até 30/9/2009
Janeiro de 2010 - até 31/10/2009
Fevereiro de 2010 - até 3 0/11/2 0 0 9
Março de 2010 - até 20/12/2009
Abril de 2010 -até 20/12/2009
Assessoria do Ministério da Cultura