14 de jul de 2009

Atitude: O pai da cidade-poesia

José Eduardo Mendes de Camargo desenvolveu o projeto Entreversos, que procura transformar Dois Córregos, no interior paulista, numa cidade onde toda a população está ligada à poesia.

A poesia pode trazer mudanças sociais?
Ler ou escrever poemas é algo intensamente transformador. Entrar em contato com o mais profundo da alma aguça o olhar das pessoas para o mundo e para os próprios sentimentos. E esse mergulho pode ser feito por meio dos versos. Dois Córregos é uma cidade de 20 mil habitantes numa zona de canaviais. Hoje temos empresas que reservam tempo e lugar para seus funcionários lerem poesias, as paredes da cadeia pública da cidade são cobertas de poemas feitos pelas presidiárias. E cortadores de cana são capazes de expressar sua realidade em rimas.

Como surgiu a ideia?
Vim de uma família de professores e gente ligada ao ensino. Mas foi um declamador de poesias da região, Deoclezio Rodolfo, que me deixou apaixonado por esse mundo de poetas. Ele declamava nas festas locais, nas cidades vizinhas, e foi tão famoso que até presidentes mandavam buscá-lo para recitar versos. Não havia quem não fi casse arrepiado ao ouvi-lo. Ele me estimulou a escrever, e arrisquei. É uma experiência tão gratifi cante que resolvi criar, em 1996, o Instituto Usina dos Sonhos. O Entreversos é um dos projetos da entidade para estimular a cultura de paz na região.

O que muda na cidade com o projeto?
Hoje temos um festival nacional de poesia, um livro para ser lançado com os poemas feitos pela população, o ensino da poesia como matéria em escolas públicas e particulares. O projeto também foi reconhecido pelo PNUD, o programa das Nações Unidas para cultura e desenvolvimento. Ah, e Dois Córregos se transformou na cidade-poesia.

Saiba mais sobre esse assunto em:
http://www.usinadesonhos.org.br/

Fred Itioka; Leandro Sarmatz; Liane Alves; Mariana Sgarioni; Rafael Tonon
PS: José Eduardo Mendes Camargo é Diretor do Comitê de Ação Cultural da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo – FIESP.

Um comentário:

Ju Corrêa disse...

Noooossaaaa!!! Que lindo ver que pessoas ocupadas e bem sucedidas encontram tempo para fazer o mundo rodar. hehehe Linda iniciativa.