16 de jul de 2009

A dama do telhado branco

Consulesa da Tailândia, Thassanee Wanick está à frente de uma campanha ambiciosa: pintar com cores claras o teto de casas e prédios para combater o aquecimento global.

Simples, barato e fácil. Se você ouvir a sorridente senhora acima mencionar esses adjetivos, pode se preparar: durante a próxima meia hora, ela tentará convencê-lo de que uma simples demão de tinta branca no telhado é capaz de reduzir as temperaturas em todo o mundo. Chato, hein? Não. O papo potencialmente maçante ganha outros contornos graças ao carisma de Thassanee Wanick, consulesa da Tailândia em São Paulo e ongueira, que não perde uma chance de divulgar o projeto Um Grau a Menos. "É minha grande paixão no momento", conta.

Trata-se de uma campanha da ONG Green Building Council Brasil que consiste em trocar as cores escuras de tetos e playgrounds por tons os mais claros possíveis, o que diminuiria o aquecimento global. "Um telhado branco de 100 metros quadrados compensa a emissão de gás carbônico anual de uma casa", estima ela, com base em dados do laboratório americano Lawrence Berkeley, ligado à Universidade da Califórnia.

Por refletirem a maior parte dos raios solares, tetos com cores claras diminuem a temperatura interna dos edifícios e, assim, fazem com que geladeiras e aparelhos de ar condicionado consumam menos energia. "É o mesmo princípio que faz alguém sentir mais calor com roupa preta do que vestido de branco", explica o físico José Goldemberg, ex-ministro de Ciência e Tecnologia.

Alvaro Leme

Revisa Veja São Paulo – 24/06/2009

Nenhum comentário: