18 de mar de 2009

A palavra

A palavra como o tijolo. O sentimento como o cimento na construção de um novo tempo. Nenhuma palavra se perde. A palavra é força viva e sonora da energia da vontade. Se a palavra é má, ainda é má a vontade.

Cada palavra transformada, transforma o raio de abrangência a sua volta. Cada palavra que insiste em ferir, mais fundo fere a cada vez que é proferida. A palavra sangra e faz sangrar. A palavra cura e faz curar. Feliz daquele que,ao descobrir o fel da sua palavra, Inicia a transformação do amargor em mel.

Não há palavra solta. A palavra é um elo na infinita corrente do pensamento; e o pensamento é a mais poderosa expressão da vontade. Cuidar do pensamento assegura cuidado com a palavra. Então, a vida pode fluir em ritmo de mansidão sem deixar rastros de mágoa nos corações.

Intuição

Para Lilian Dalledone


(Tela: Enlightenment, de Ivo)

2 comentários:

Lilian Dalledone disse...

Honrada com essa deferência especial, agradeço suas palavras. Doces, muito doces sempre. Feliz de quem tem o dom de domá-las assim...
Beijos.

Kiara Guedes disse...

Vou contar uma que ate então era meio segredo...
Há alguna anos, eu achava que tudo o que escrevia era até bom, mas que não era nada maduro, era como comer manga verde (com sal), tem quem goste mas quem gosta de manga, gosta da manga madura, manga verde com sal é invenção de moleque... Enfim, que pra ME levar a sério eu teria que escrever como vcs duas escrevem, que é muito diferente (de como eu faço)e que gosto demais. Era como se vcs (Marcia e Lilian) fossem uma meta. Verdade. Passou-se os anos e não rolou, bem... claro que descobri que mesmo não acreditando em "linha de poesia", a minha nunca seria a de vcs. Fiquei em paz (ainda bem, já faz tempo) por perceber que as palavras só querem ser tranformadas, não importa como, elas só não querem ficar lá, bem como nós, sozinhas.
pronto, falei! rs
beijo beijo