20 de fev de 2009

Poema de abril

queria agora um poema
que me vestisse de abril
que nascesse assim displicente
de uma corrente de ar sobre mim
queria um poema de algodão
tão leve e esvoaçante
que nenhuma saudade restante
o tirasse de dentro de mim
queria um poema febril
partitura da melodia inquieta
que embala meu jeito de ir
um poema intranqüilo
porque assim andam meus dias
repletos de estranha alegria
invasiva vontade de ti

6 comentários:

Lilian Dalledone disse...

Que lindo isso, Márcia, de "invasiva vontade de ti"...
Sei bem como é...
Tenha uma tarde maravilhosa.

Márcia Corrêa disse...

Sabemos como é. Mas, nunca sabemos como será... Também gosto muito do que escreves.

Lulih Rojanski disse...

Eu também quero um poema de abril. A "invasiva vontade de ti" eu já tenho. Um beijo.

Márcia Corrêa disse...

Hum... essas mulheres invadidas de vontades...
Outro beijo!

Marcos Quinan disse...

Lindo... muito lindo...

Dulcivania Freitas disse...

Nossa...Zé Miguel e Odair José..e agora hein, vou no cara ou coroa..rsss..se bem que Odair a gente não tem todo dia aqui ne. bjssssssss