23 de nov de 2008

Um colibri

Acordei com as asas apressadas de um colibri fazendo voltas sobre meu peito ainda aquecido de teu abraço. Uma saudade linda, que falava comigo por dentro, sussurrando baixinho sem saber ao certo o que dizer. E foi assim o dia inteiro, percebendo as minúsculas alegrias. Silenciosa cantoria que anunciava festa em minha alma. Saí feito um cortejo de fadas e serafins, espalhando cores e beijos do carinho que tive de ti. Amei cada pessoa, cada pequena folha, a vida enfim. Amei você mais de mil vezes até me convencer de que és fonte de mim.
Márcia Corrêa
(Tela: Whisper, de Monica Stewart)

Nenhum comentário: