28 de jul de 2010

Sonora Brasil traz Quarteto de Brasília em única apresentação


O SESC Amapá, através do Projeto Sonora Brasil traz ao Estado em única apresentação: “Quarteto de Brasília”.
Dia 03 de agosto
Local: Auditório da Escola SESC
Horário: as 20h.

Sobre o Projeto e a proposta para 2010

Em quatro etapas o projeto o projeto Sonora Brasil – formação de ouvintes musicais apresenta como tema música brasileira do século XX, formações distintas que apresentarão a obra a obra de Claudio Santoro e Guerra-Peixe. Esses compositores cumpriram importante papel na estruturação das bases da música erudita contemporânea no Brasil a partir da relação que mantiveram com o movimento música viva.
No concerto será apresentada a evolução de suas obras, confrontando o período em que se dedicaram ao dodecafonismo com o período posterior, o nacionalismo, em que buscaram valorizar elementos da música genuinamente brasileira.

Sobre o Quarteto de Brasília

Criado em 1986, o grupo é considerado um dos mais importantes do Brasil nesta formação e tem como característica a ênfase no repertório de compositores brasileiros. Em sua trajetória de quase 25 anos já se apresentou em vários estados do Brasil e em países das Américas, Europa e Ásia. Seus quatro integrantes participam ativamente do movimento musical de Brasília, tanto como músicos quanto como professores dos principais centros de formação musical, e todos, em maior ou menor grau, conviveram profissionalmente com Santoro e Guerra-peixe, o que os tornam parte desta história.

Sobre os Músicos

CLÁUDIO COHEN (violino)

Maestro e violinista, tem participado de forma ativa no cenário musical do país e exterior seja como solista, camerista bem como artista convidado dos principais festivais de música do Brasil. É membro fundador da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro onde atua na condição de Spalla/Solista. Violinista do premiado Quarteto de Brasília. Exerce a função de maestro titular da Orquestra Filarmônica de Brasília. Cláudio Cohen é membro da Academia de Letras e Música do Brasil. Estudou violino com Marena Salles e Cecília Guida tendo recebido também orientações de Paulo Bosísio e Rodolfo Bonucci.

LUDMILA VINECKA (viola)

Formada no curso superior de violino do Conservatório de Praga. Contratada, em 1971, para integrar a Orquestra Filarmônica de São Paulo. Foi professora de violino na escola de Música de Brasília e, posteriormente, da Universidade de Brasília. Em 2007 lançou o CD “Guerra-Peixe/Aguiar”, que contém a primeira gravação das sonatas de Guerra-Peixe, para violino e piano. Foi vencedora do concurso para “Spalla” da Orquestra Sinfônica do teatro Nacional de Brasília. Como solista, tocou sob a regência dos maestros Simon Blech, Cláudio Santoro, Osvaldo Colarusso, Piero Bastianelli, Silvio Barbato e Emílio de César, entre outros.

GUERRA VICENTE (violoncelo)

Bacharel em violoncelo pela Escola Nacional de Música da Universidade do Brasil (atual UFRJ), onde também recebeu o prêmio “Medalha de Ouro”. Fez aperfeiçoamento no Conservatório Nacional Superior de Música de Paris. De 1972 a 1998 foi professor da Universidade de Brasília, onde implantou o Curso de Violoncelo. Como solista e camerista apresentou-se em trinta e um países das Américas, Europa e Ásia. Tem participação direta em treze LPs e vinte CDS, gravados para os selos Chantecler, Festa, Philips, CBS, Basf, RBM, GLB e Comep.

GLÊSSE COLLET (violino)

Natural do Rio de Janeiro é Bacharel em violino e licenciada em Música pela universidade de Brasília. Estudou na escola Superior de Detmold (Alemanha), onde se graduou em 1982 na Classe do Prof. Ernst Mayer-Schierning.
é doutora em música pela universidade da Bahia. Primeiro lugar (viola) no concurso para instrumentistas da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional de Brasília, da qual foi "spalla" das violas em 1985 e 1986. Foi professora nos festivais de campos do Jordão, Londrina, Curitiba, Juiz de fora e Brasília. Atuou como solista em concertos regidos por Emílio de César, Elena Herrera, Sílvio Barbato e Gerald Kegelmann. Atualmente é sub-chefe do Departamento de Música da Universidade de Brasília.

Assessoria SESC Amapá

2 comentários:

Anônimo disse...

o título diz ''hoje'' e é no dia 3 ?

Márcia Corrêa disse...

Acho que "ando meio desligada, eu nem sinto os meus pés no chão...". Pensei em programar a publicação para o dia 3, provavelmente, fazendo mil coisas ao mesmo tempo escapou o título assim. Obrigada pela observação.