29 de mai de 2010

Sombras

The Garden Windbreak
Nem tão assombroso desnudar-se
À sombra do amparo do amor
Morre-se em flor ao beijar-se
Tanto que é morte sem dor
Na sombra do amor derramar-se

Um comentário:

Bruna Antunes disse...

A sombra e nossa essência!
#)