4 de jan de 2009

Projeto leva livros a embarcações da Amazônia

As viagens de barco na Amazônia podem durar até uma semana. Os rios são as principais estradas e, no lugar de poltronas, os passageiros ficam em redes espalhadas pelo convés. Olhar a paisagem serve para passar o tempo. Agora os passageiros vêm descobrindo um novo companheiro de viagem: um projeto de incentivo à leitura mostra que o livro ajuda o tempo a passar mais rápido, com histórias que levam a lugares muito mais distantes. “A gente acaba aprendendo durante a viagem. Acho legal também porque são livros bem diferentes, desde religião até exorcismo”, diz a universitária Flávia Rezende.
Quase dois mil livros já foram doados ao projeto "Navegando e Lendo”, que instalou, há um ano, 15 bibliotecas em barcos do Amazonas. Alguns passageiros ajudam a ampliar os acervos com novas doações. “Faço em casa a catalogação de todos os livros. Depois, reúno os livros de acordo com a embarcação: livros mais finos para um destino próximo, livros mais compridos para viagens maiores”, explica Jorge Klein, idealizador e coordenador do projeto.
Os leitores entram pela noite, aproveitando a luz do convés. É quando os livros chegam também a sala de máquinas. “Quando a gente está lendo, o tempo passa rápido e o sono não vem”, diz o maquinista Fausto Martins. Sem as curvas, solavancos e buracos das estradas, os passageiros dos barcos podem se concentrar na leitura – mesmo quem só conseguiu um lugar bem perto do motor. “Não importa o barulho, o importante é o conteúdo do que a gente está lendo”, garante a dona de casa Vera Marques.
(Do Globo Amazônia, com informações do Jornal Hoje)

Nenhum comentário: