17 de fev de 2011

Ponte entre a gente e o silêncio


Quisera a vida transmutasse a gente no tempo, embalados pelas notas do violão de Daniel Wolff e nas batidas da percussão de Galdêncio Thiago de Mello. Elas entram por uma minúscula janela de um corredor escuro aqui de dentro, têm forma de finos raios de sol bem quentinhos e joviais. Falam em melodias do que há lá fora, o barulho da chuva, as estrelas escondidas do frio, o ninho de passarinhos sobre a calha da lâmpada do pátio.

As cordas do violão criam uma ponte comovente entre a gente e o silêncio das coisas. E a vida enfim volta a comover só por ser vida. No jardim as rosas ressurgem nos galhos que resistiram a mais um verão. Das amarelas às róseas estão lá plantadas em vasos mal cuidados, onde matinhos invasores as cercam. É preciso cuidar do jardim tão generoso, tão resistente, tão humilde na espera.

Abrir a janela do corredor sombrio, deixar que os raios de sol musicais preencham de luz e calor aquilo que ainda dorme. Acordar com acordes da melodia que só cada um é capaz de ouvir, no tempo certo, na maturação dos sentimentos, na audição de si mesmo. Quando lágrima e flor brotarem na mesma sintonia, a do amor.

Inspiração:
The Right Seasons - Heart do Heart
A música de Gaudêncio Thiago de Mello - percussão orgânica
Daniel Wolff - arranjo e violão

Nenhum comentário: